10 Dicas Para Criar Bons Hábitos Alimentares nas Crianças

menino fazendo compras saudaveis

Sabe-se que a criação dos hábitos alimentares inicia-se na gestação e continua durante a amamentação e ao longo da primeira infância. No entanto, a alimentação e o contexto em que ela ocorre podem sofrer constantes mudanças e renovações.

Não há problema em modificar, intencionalmente ou não, algumas atitudes em relação à alimentação. Afinal, as crianças, em especial, se descobrem a cada dia e não seria diferente com os alimentos. O importante é que essas modificações tragam benefícios à saúde.

É preciso estar sempre atento e refletir sofre a rotina alimentar das crianças e da família. Não impor nada, mas educar para que todos adquiram autonomia para escolhas mais saudáveis. Ser um educador não é uma tarefa fácil e tratando-se da alimentação, algumas vezes, essa tarefa se torna ainda mais difícil.



O primeiro passo é não isolar a criança num “mundo fantástico”, no qual só ela possui hábitos alimentares adequados. Toda a família deve levar a alimentação de forma natural, com práticas mais saudáveis. Caso haja necessidade de mudanças, que elas aconteçam gradualmente.

As dicas a seguir ajudarão a estimular hábitos alimentares saudáveis nas crianças:

1. Criar uma rotina alimentar: O número de refeições realizadas no dia dependerá da rotina diária individual, porém é preciso ter horários regulares para se alimentar. Não confundir horários regulares com horários rigorosos.

2. Não omitir refeições: A omissão de refeições pode ser prejudicial àquelas crianças que têm dificuldade para ganhar peso ou àquelas que estão acima do peso. Quando há omissão, tende-se a beliscar, o que não é adequado para ambos os casos.

3. Evitar monotonia alimentar: Um prato colorido é um prato balanceado e equilibrado. Oferecer todos os grupos alimentares e variar dentro de cada um permite a maior oferta de nutrientes. Além disso, um prato colorido chama mais atenção e desperta curiosidade.

4. Ser o exemplo: A criança observa o que acontece ao seu redor, inclusive na hora da alimentação. A família deve ser o exemplo, fazendo da refeição um momento de aprendizado em que todos se enriquecem. É fundamental não deixar de oferecer algum alimento por não ser o preferido da família.

5. Não tratar comida como recompensa: A alimentação saudável deve ocorrer naturalmente. A inserção na rotina de hábitos alimentares adequados deve ser gradual e não deve ser associada como obrigação.

6. Se alimentar sem distrações: É necessário que a criança entenda que o alimento é o foco no momento da refeição. Ao assistir televisão ou prestar atenção em um joguinho no computador não se atentará ao que está consumindo, como a cor, a textura e o sabor dos alimentos.

7. Não ter guloseimas em casa: Evitar nos armários de casa guloseimas, como balas e chocolates, pois limita o acesso a esses produtos. Quanto mais disponíveis estão, mais vontade de consumi-los temos e sem nem percebermos entram na alimentação diária.

8. Compartilhar habilidades culinárias: Dedicar um tempo do seu dia para cozinhar com a criança é muito importante. Esse é um dos momentos que ela tem para descobrir os alimentos e em que podem se transformar. Cozinhar é um ato de amor.

9. Cultivar uma horta: Incentivar a criança a plantar e cultivar os alimentos utilizados na rotina alimentar pode ser essencial para que ela conheça a sua origem. Não é necessário iniciar com uma horta grande e muito variada. Já pensou em plantar em garrafa PET um tempero natural, como hortelã?!

10. Ser crítico às informações vinculadas à alimentação: A mídia pode ser uma aliada ou vilã. Ela pode transmitir informações que gerem reflexão e a busca por mais conhecimentos ou pode enganar o consumidor, visando principalmente o lucro. Ficar atento e procurar auxílio de um profissional qualificado é determinante.

Pequenos atos fazem a diferença e podem favorecer um futuro de bem-estar e saúde para a criança e toda a família!

 

priscila e anna nutriped nutricionistas infantil no mamae tagarela

 

Priscila La Marca Pedrosa e Anna Carolina Ghedini escrevem artigos para o Mamãe Tagarela.

Priscila e Anna Carolina são nutricionistas nas áreas infantil e gestacional.

Conheça a página delas, NutriPed, no Facebook.

Dê a sua opinião: