Aceite a Ajuda Imperfeita

O primeiro ano de vida do bebê é certamente o mais difícil para os pais. O bebê é completamente dependente, requer cuidados e atenção constantes. Tudo é difícil – a amamentação, o sono, a introdução alimentar – e as mães logo se vêem sozinhas cuidando do recém nascido quando acaba a licença paternidade. Cuidar de um bebê sozinha é praticamente impossível. Há um provérbio africano que diz que é necessária uma tribo inteira para cuidar de um bebê. Um pouco de exagero, talvez. Você precisa da ajuda de pelo menos uma pessoa para conseguir fazer as coisas do dia-a-dia. Seja alguém para limpar a casa e fazer comida enquanto você dá atenção total ao bebê, ou alguém que fique com o bebê para você cuidar de todas as outras coisas relacionadas à casa.

Geralmente quem vem ao socorro das recém-mães são as avós. Aqui em casa não foi diferente. Quando a Mia nasceu, não tínhamos qualquer tipo de ajuda contratada – nem ao menos uma faxineira. Então os pais da Thata vieram do Brasil para dar um apoio. Logo em seguida, minha mãe veio ajudar. E assim passamos os 3 primeiros meses da Mia.

Mas as pessoas que vão te ajudar com o bebê e mesmo com as crianças mais crescidinhas, na maior parte das vezes, não vão fazer as coisas exatamente da mesma forma que você faria. E é aí que muitas mães se descabelam (ainda mais). Por mais que você exponha as suas vontades sobre a criação do seu filho, vão existir situações em que os avós (ou quem vier ajudar) vão fazer algumas coisas um pouco diferentes de você. E é isso que estamos chamando de ajuda imperfeita.



Vamos concordar: ninguém vai cuidar melhor do seu filho do que você. Mas lembre-se: sozinha e sem aceitar a ajuda de ninguém, você vai ficar muito mais cansada e não conseguirá se dedicar tanto ao seu filho. Por isso é importante você aceitar qualquer ajuda que te ofereçam, mesmo que ela seja imperfeita. Porém, isso não significa deixar que os avós (ou outros ajudantes) façam tudo que eles quiserem. Você pode (e deve) expor as suas convicções e vontades a respeito da criação do seu filho. E você tem todo o direito de bater o pé naquilo que for muito importante para você. Pode ser que os avós sejam super-protetores demais com o bebê, ou pode ser que sejam mais permissivos. Cabe a você julgar o que é essencial para a criação do seu bebê.

Aqui em casa, por exemplo, uma das regras de ouro é não dar doces ou comidas não saudáveis para as crianças. Deixamos isso muito claro para os avós e não tivemos problemas com isso. Então, estabeleça alguns limites e seja firme nas regras que não podem ser quebradas de jeito nenhum, mas pode relaxar um pouco nas outras coisas, especialmente em relação à organização da casa. Deixe que façam um pouco do jeito deles, senão você vai acabar se estressando com cada pequeno detalhe e as pessoas podem deixar de te oferecer a tão preciosa ajuda.

Aceitar a ajuda imperfeita é melhor do quer não ter ajuda nenhuma. Vai ser melhor para todos, especialmente para você.

Venha ler mais dicas sobre como conseguir cuidar um pouco de você mesma, mesmo tendo um bebê em casa.

 

Dê a sua opinião: