Afogamento Seco X Afogamento Secundário

Afogamento Seco X Afogamento SecundarioAconteceu um acidente com o filho de uma amiga minha semana passada, em que ela teve que ir às pressas para o hospital para investigar se o filho dela poderia vir a sofrer um afogamento secundário. Ele estava brincando na banheira com o irmão, na hora do banho. Brincando de fazer borbulhas, como aprendeu na natação e acabou aspirando um pouco de água. Não se afogou, mas essa água poderia ir para nos pulmões e horas depois causar uma inflamação. Essa inflamação pode impedir com que o pulmão consiga fazer trocas gasosas, ou seja, a criança não consegue respirar. Nesse caso ele poderia ter sofrido um afogamento secundário.

O afogamento seco e afogamento secundário não são muito comuns, mas são responsáveis por 10% das mortes em casos de afogamentos. Só que isso pode ser evitado.

O afogamento secundário ocorre como eu descrevi acima. A criança aspira água e essa água vai parar nos alvéolos que depois de um tempo inflamam afetando a funcionalidade dos pulmões.



O afogamento a seco é um pouco diferente. Ele é o resultado de um espasmo na laringe que bloqueia a passagem de ar. Também acontece horas depois da criança aspirar alguma água pelo nariz, que pode acontecer na natação, na piscina na casa do amigo, no banho de banheira exatamente como no afogamento secundário. Mas o afogamento a seco também pode acontecer por beber muita água (mas aqui estamos falando de muita muita água mesmo).

O que você precisa saber:

1-Eles acontecem fora da água: tanto o afogamento seco quanto o afogamento secundário acontecem fora da água. No afogamento seco a água não entra nos pulmões, mas entra nas vias respiratórias, causando espasmo e levando a uma dificuldade em respirar. No caso do afogamento secundário a água entra no pulmão, causando problemas horas depois.

2-É importante observar por várias horas: Esses tipos de afogamentos podem acontecer minutos depois da criança ter sido retirada da água ou até mesmo pode levar 24hs para acontecer.

3-Ficar de olho em tosse e cansaço: dificuldade de respirar e tosse. Se o seu filho adormecer de repente. Pode ser necessário fazer um raio-x para ver se está tudo bem e se não estiver, administrar oxigênio.

4-Os dois tipos de afogamento são incomuns: Podem parecer assustadores e é bom ficar de olho, mas os dois tipos de afogamentos são incomuns.

5-Tem muita coisa que os pais podem fazer: Sempre supervisionar quando a criança estiver perto de água, mesmo se o seu filho souber nadar. Um afogamento acontece de forma rápida e silenciosa.

Sinais de que alguma coisa está errada:
Se o seu filho voltou da natação, esteve brincando na piscina na casa de um amigo, tomou banho de banheira e engoliu ou aspirou água ou até mesmo caiu com o rosto em uma poça de água na rua, fique de olho nos sinais abaixo:

I-Tosse persistente
II-Respiração Superficial
III-Falta de ar
IV-Dor no peito
V-Confusão
VI-Ansiedade
VII-Súbita falta de energia
VIII-Cansaço inexplicável
IX-Lábios azulados

Se você desconfiar que alguma coisa está errada, vá à emergência mais próxima e relate que o seu filho esteve na piscina ou que provavelmente aspirou água, diga os sintomas e fale que você está desconfiando que ele possa estar sofrendo de afogamento seco.

Eu fiquei chocada com a história do menino de 10 anos que, após um dia de brincadeira na piscina do amigo, voltou para casa, tomou banho, foi dormir e horas depois a mãe o encontrou sem vida na cama dele.

Existem muitos perigos dentro de nossas casas e que nem sempre nos damos conta. Saiba quais são e como evitar.

Fonte:
Huff  Post
Basting News 
E How

Dê a sua opinião: