Amamentação – Quando Você Percebe Que a História Está no Fim

Indo para o banho, me olho no espelho e vejo o meu sutiã de amamentação que me acompanhou por alguns meses. Percebo que ele está largo, como se não fosse mais meu, não cabendo mais em mim.

Entro embaixo do chuveiro e enquanto me lavo fico pensando o quanto já passamos juntas, minha filha. São quase 2 anos de amamentação e ver que os meus seios já murcharam bastante me dá a sensação de que essa nossa história está chegando ao fim.



Ao perceber isso, me sinto um pouco desnorteada. Por um lado estou cansada, sinto que já fiz bastante, torço para que acabe logo e eu possa descansar um pouco. Por outro lado eu não quero que acabe pois eu sei que vou sentir saudades de ter esse nosso momento juntas e sei o quanto o leite materno tem sido importante para você.

Fico lembrando todo o sacrifício que fiz para conseguir te amamentar. Os dias que você passou na UTI e o quanto eu tive que usar bomba elétrica para tirar leite para você. O quanto foi difícil tirar a mamadeira que te deram no hospital. Corrigir pega, sapinho, mastite e todos os outros problemas. Mas eu consegui, minha filha, eu consegui por você.

Ter conseguido te amamentar foi como lavar a minha alma, já que não consegui amamentar o seu irmão. Porque não ter conseguido amamenta-lo foi uma ferida que doeu por muito tempo.

Vou saindo do banho e pensando em como estamos hoje em dia: você tem mamado tão pouquinho. É por isso que o meu leite diminuiu. Agora você só pede quando está com sono. Você está comendo bem, toma bastante líquido durante o dia inteiro e muitos dias fica até 24hs sem mamar.

Eu sei que vou chorar no dia que você parar de mamar. Eu sei que vou chorar no dia que me der conta que você tomou o seu último tetê. Enquanto isso aproveito cada mamada como se fosse a última. Deixo os meus dedos passarem entre os fios do seu cabelo, faço carinho no seu rosto, te olho nos olhos enquanto te observo sendo amamentada por mim.

Obrigada, meu amor, por ter me permitido ter essa experiência maravilhosa contigo. Vou guardar para sempre os nossos momentos em fotos e dentro do meu coração.

Autora Thais Cardoso
Mamãe Tagarela
Para mais textos como esse siga o Instagram @mamaetagarela

Foto Anna Flávia

3 comentários

  1. Amanda comentou

    Lindo esse texto, obrigada por compartilhar, amamento há 1ano e 8meses e sinto que esta no fim ao mesmo tempo que estou cansa, sinto que cumpri a missão sei que sentirei saudades.

  2. Vânia Tavares comentou

    Nossa!! Já choro de pensar neste momento… Foram muitas dores até a pega ser correta. Peito machucado, cheio, sangrando e dolorido… Sou tão feliz por amamentar meu bebê… Fico imensamente feliz ao ver meu peito vazando, pois sei, que o alimento do meu BB está garantido. Gosto de mostrar, como um troféu, o leite ordenhado com bombinha, quando preciso sair e vou demorar.
    Assim como vc TB não consegui amamentar meu primeiro filho, mas ao contrário, ainda não me virei da dor de não ter podido fazê-lo (penso que esse possa ter sido o motivo de uma internação com apenas 1 mês de vida devido a uma bronquiolite) e por isso ainda dói. Sofri muito com os julgamentos, dizia que eu não tinha leite por isso ele não queria pegar… As 5 vezes que consegui amamenta-lo foram os momentos mais felizes, era meu sonho nutri-lo com meus seios. Quando veio a internação, foi o pingo que faltava… Depois de 7 dias no hospital, ele não quis mais saber nem de chegar perto do peito.
    Bem meu bebezinho de 4 meses veio para provar o quanto essa gente estava enganada, e foi, ou melhor, está sendo muito bom esfregar na cara de quem pisou em meus sentimentos lá atrás, o quanto meu bbzinho está gordinho (peso acima da média), mamando e feliz, é isso sem nunca ter tido que tomar nada para aumentar a produção… Apenas a livre demanda…..

  3. Alexandra comentou

    Que texto liiindo!!! Tô nessa fase aí também, com vontade de desmamar mas sentindo um aperto no peito…

Deixe seu comentário!