Cinta no Pos Parto – Devo ou Nao Devo Usar?

Uma das perguntas que as gestantes mais me fazem diz respeito aos cuidados com o abdômen no pós parto, ou seja, com o uso ou não uso da cinta.

A realidade é que a resposta não deve ser assim, preto no branco. Há vantagens em aderir a cinta, mas o importante é não achar que ela fará todo o trabalho de redução de medida abdominal sozinha.



O músculo responsável por conter nosso abdômen, definir a cintura e ainda estabilizar e dar firmeza a região pélvica e lombar é chamado transverso abdominal. Ele é um músculo postural e profundo que precisa sempre estar ativado para cumprir bem suas funções.

O que acontece é que com a gestação todos os músculos do complexo abdominal são distendidos e passamos a gravidez toda achando que não podemos nem devemos fazer qualquer exercício para essa região. Sendo assim, ocorre a separação do músculo reto abdominal, conhecido como diástase, que pode ou não retornar á posição original nos meses após o parto.

A diástase faz parte do processo da gestação, em graus leves, e desaparecerá no decorrer dos meses. Há diversos cuidados que devemos tomar na gestação e pós parto para que isso aconteça, mas esse assunto merece um texto inteiro para ele. Então vamos focar aqui em um desses cuidados que é exatamente o uso da cinta e a ativação do transverso abdominal.

É importante que a gestante procure um fisioterapeuta especializado em obstetrícia em algum momento da gravidez para uma avaliação e orientação sobre a correta ativação do transverso abdominal. Em geral, envolve o movimento de levar o umbigo para dentro, mas varia muito de acordo com a consciência e percepção corporal de cada mulher.

Esse exercício deve ser praticado diariamente, durante as atividades que envolvem mais esforço, para se tornar um hábito e assim continuar a ser realizado durante o pós parto. Caso você adquira boa ativação desse músculo, a cinta pode ser dispensada. Na maioria das vezes oriento a utilização da cinta por algumas horas associada a ativação muscular,  mas não precisa usar o dia inteiro até porque se você não tem essa consciência muscular a cinta sozinha não fará muito por você.

Com um pouco de disciplina no início, o hábito se instala e tudo fica mais natural. Então, comecem os trabalhos e boa sorte!!!

Nathalia Moura é fisioterapeuta pélvica e obstétrica, Mestre em ciências da reabilitação, acupunturista e co idealizadora do Espaço Mater Luz, no Rio de Janeiro, onde realiza seus atendimentos. O que mais ama fazer é ser mãe da Maria Clara de quase 3 anos.
Facebook: Nathalia Moura -fisioterapeuta pélvica
IG: @nathaliamoura.fisio
WebSite www.materluz.com.br

1 comentário

  1. Mariana comentou

    No final da gestação e esse assunto é o que eu mais tenho dúvida sobre o que seguir. Já ouvir especialistas falarem que a cinta deixa a musculatura preguiçosa, outras mulheres (que usaram) falam que fez toda a diferença o uso da cinta (inclusive as que passaram por mais de uma gestação e tem o comparativo). Na dúvida, optei por aquelas calcinhas bem altas… elas fazem o mesmo papel?

Deixe seu comentário!