Conselhos de Pai Para Pai

Conselhos de Pai Para PaiOlá papais! Hoje quero ter uma conversa com vocês, de pai para pai. O quanto você participa na vida do seu filho? O que você faz por ele? Uma coisa é certa, brincar é muito fácil, a parte difícil é participar ativamente da rotina da criança.

Saiba que a mãe do seu filho vive cansada, exausta de ter que cuidar de cada mínimo detalhe da vida do seu filho. A grande maioria das mães ainda tem que cuidar da casa em que vocês moram. Algumas famílias têm ajuda de familiares ou ajuda paga – babás, creche, empregadas, diaristas etc, mas isso é uma realidade cada vez menos comum nos lares brasileiros. Mas não pense que as mães que têm esse tipo de ajuda não ficam cansadas também!

Um dos motivos mais recorrentes para brigas e discussões entre casais com filhos é a falta de participação dos pais no dia a dia. Então vou te dar uns conselhos para você evitar esse tipo de atrito, mas já vou avisando: isso requer uma mudança de atitude SUA!



Aposto que perdi uma parte dos leitores (homens) na minha frase anterior. Sei disso porque é próprio da natureza humana a resistência à mudança. Se você ainda está comigo, parabéns. O primeiro passo é querer mudar para melhor!

1- Entenda que a mãe dos seus filhos está cansada de verdade. A não ser que você seja um atleta profissional ou um trabalhador braçal, provavelmente ela está mais cansada do que você. Não importa se você acorda mais cedo do que ela e trabalha duro o dia todo. Ela provavelmente está fisicamente esgotada ao final do dia, além do cansaço psicológico de cuidar dos filhos o dia todo (para mães que trabalham em casa integralmente) ou cansada de ter tantas responsabilidades com os filhos e com a casa depois de um dia de trabalho fora. Reconheça o cansaço dela e mude sua atitude.

2- Não seja uma criança grande. Comece pelo básico: limpe sua própria sujeira. Tirou do lugar, coloque de volta, arrume suas próprias roupas, e por aí vai. Não há nada pior do que um homem que, além de não fazer nada em casa, ainda dá mais trabalho para sua esposa ou parceira.

3- Divida as tarefas da casa e os cuidados com a criança. Pai e mãe têm responsabilidades iguais!
– Acorde de madrugada, verifique e troque as fraldas, dê banho, lembre dos horários dos remédios, dê comida, limpe seu filho após a refeição, ensine coisas novas, converse, eduque, diga não quando ele estiver fazendo algo errado, ofereça água, troque a roupa, ponha a meia de volta no pé, lave as mãos dele etc.
– Faça o almoço/jantar da família, ponha a mesa, lave a louça, tire o lixo, limpe o chão, faça as compras no mercado, organize a geladeira e a despensa, passe aspirador de pó na casa etc.

Ponha uma coisa na sua cabeça: você não está “ajudando” a mãe dos seus filhos ao fazer as tarefas acima, pois as tarefas não são exclusivas da mãe. E não estou querendo dizer que essas tarefas são de sua única responsabilidade agora. Como eu já disse antes, as tarefas são responsabilidade dos dois. Faça a sua parte com o tempo que você tiver em casa. Muitas dessas tarefas podem ser feitas junto com a sua esposa/parceira.

4- Seja proativo. Não espere ser orientado a fazer alguma coisa quando ela está ali na sua cara. Eu sei como é difícil pensar em tudo e se antecipar às situações. É normal a gente precisar de um empurrãozinho para lembrar de certas tarefas, as mulheres tendem a ser mais organizadas do que nós. Mas seja proativo, na dúvida não vá para o sofá ver TV. Pergunte o que mais vocês dois ainda precisam fazer pela casa ou pela criança.

5- Não reclame. Lembre-se, dividir as tarefas da casa não é mais do que sua obrigação.

Abro aqui um parêntese para dar umas dicas para as mulheres também:

– Reconheça e valorize as mudanças no pai dos seus filhos. Apesar de ser obrigação dele dividir as tarefas, seja gentil e diga a ele como você fica feliz que ele esteja participando. Todo mundo precisa de estímulo e motivação. A famosa frase “não fez mais que sua obrigação”, apesar de verdadeira, terá efeito contrário às suas expectativas.

– Oriente, sem mandar. Não gostamos de nos sentir como soldados que só cumprem ordens. Se ele parecer uma barata tonta ao fazer as tarefas da criança ou da casa, direcione-o, mas não custa nada falar com jeitinho.

– Tenha paciência. Nós homens somos meio lesados para algumas coisas e precisamos de um tempo para aprendermos aonde se guardam certos itens da casa. Eu por exemplo nunca sei aonde ficam os panos de prato. Coisas que são óbvias para você podem não ser tão simples para ele, é tudo questão de costume e ponto de vista.

– Peça a participação dele usando um tom de voz amigável. Nós respondemos muito melhor a palavras doces do que a um discurso exaltado.

– Espere para conversar quando estiver calma. Explique como você se sente no dia a dia. Mostre a ele esse texto. Se você estiver muito nervosa, a comunicação vai ser truncada e vocês vão acabar discutindo sem chegar a lugar nenhum.

– Entenda que ele pode ter sido criado com valores machistas. Espere que ele mude de forma gradual e não da água para o vinho.

Então, meus amigos pais, mãos à obra? Não, você não precisa abrir mão do seu futebol ou do chopp com os amigos. Não, você não vai ser menos homem por botar a mão numa vassoura, pilotar o fogão ou trocar uma fralda de cocô. Perca esse ranço machista e seja um pai e marido 100%. De pai para pai: prometo que seu relacionamento com sua esposa e filhos vai mudar se você se esforçar de verdade.
Um abraço,
Papai Tagarela

Foto:
Logos Instituut

Um Comentário:

  1. Sobre o ponto 1. Recomendo a experiência que eu tive (só serve para mães que também trabalham, contudo): Para não mandar nosso bebê muito cedo para a creche, tirei férias assim que minha esposa voltou ao trabalho. Foram 3 semanas em que fomos só eu e o bebê por 9h ao dia. Nunca achei que ficar com criança em casa fosse moleza, mas deu a verdadeira dimensão de como fazer isso é cansativo. Esse discurso de que “passou o dia em casa” é conversa pra boi dormir.
    Sobre o ponto 2: nunca fui criança grande. Mas não seja desses que larga copo, cueca e toalha pela casa. Isso é irritante pra caralho. A propósito, lave o copo que você usou. Colocar a cueca no cesto de roupa suja ou na máquina de lavar também não é nenhum mistério
    Sobre o ponto 3: Fazer essas coisas todas relacionadas ao bebê é legal! Você estreita os laços com seu filho no fim das contas. No resto, nem preciso acrescentar nada
    Sobre o ponto 4: qualquer coisa, pergunte: “Como dá pra te ajudar?”
    Sobre o ponto 5: mimimi é um porre

Dê a sua opinião: