Derrubando os Maiores Mitos Sobre Pais

Derrubando os maiores mitos sobre paisExiste uma noção comum de que as mulheres são melhores na maternagem/paternagem do que os homens. A idéia de que nós, pais, não somos tão bons quanto as mães é sustentada por uma série de mitos. A maioria deles vêm dos nossos antepassados, mas têm repercussão forte até hoje. Isso acaba reforçando idéias machistas de que cuidar da criança é papel da mulher. Não, não, não. Machismo aqui não! Hoje nós vamos derrubar esses mitos sobre pais. Já vou adiantar aqui, meus amigos pais, vocês são extremamente capazes de cuidar de um bebê e não há (quase) nada que vocês não possam fazer.

Mito 1 – Homens são insensíveis, então serão insensíveis com os bebês. Errado. Isso é um resquício daquele pensamento de que “homem não chora”. Pais podem ser extremamente sensíveis quando se trata de bebês, tanto quanto as mães. O coração dispara do mesmo jeito quando os pequenos estão em perigo. A tensão quando o bebê não para de chorar também é a mesma. Pais conseguem reconhecer os seus recém-nascidos, de olhos fechados. Quando um pai dá uma mamadeira, é com todo o amor e sentimento de proteção da sua cria. Olho no olho, pele a pele, um pai pode ser verdadeiramente sensível.

Mito 2 – As mães são naturalmente melhores cuidadoras do que os pais. Errado. Tanto homens quanto mulheres são bem atrapalhados para cuidar de bebês no início  e têm a mesma capacidade de aprender a cuidar deles ao longo do tempo. Mas as mães tendem a passar mais tempo com os bebês. Amamentando várias vezes ao dia, passando a licença maternidade grudada neles, lendo mais sobre maternidade do que os pais, conversando com amigas mães ou com suas próprias mães sobre tudo relacionado ao bebê. Pais, infelizmente, têm menos oportunidades para passar tempo com o bebê e a verdade é que, em geral, demonstram menos interesse nesse aprendizado. Tudo vai depender da vontade do pai de aprender a cuidar do bebê. Se pais e mães pudessem passar o mesmo tempo com seus filhos recém-nascidos, tendo o mesmo suporte, desenvolveriam as mesmas habilidades para cuidar dos filhos no mesmo ritmo.



Mito 3 – Pais não fazem muita diferença. Errado. Crianças com pais envolvidos se adaptam melhor na creche e na escola, desenvolvem mais a capacidade cognitiva e apresentam menos problemas de comportamento. A presença forte de uma figura paterna favorece a socialização da criança, ou seja, a criança tem mais facilidade para fazer amizades, além de ter mais facilidade para entender os sentimentos e emoções das outras pessoas. Essas crianças que têm pais bem envolvidos nas suas vidas tendem a ser mais felizes em suas relações amorosas no futuro e a ter menos desvios de conduta. Isso vale tanto para meninos quanto para meninas. Quer ler mais sobre o assunto? Descubra como o pai afeta o recém nascido.

Mito 4 – Os pais raramente cuidam dos seus filhos. Um estudo na Inglaterra descobriu que os pais de hoje em dia fazem 8 vezes mais tarefas relacionadas aos seus filhos do que os pais de 30 anos atrás. Ou seja, a nossa geração tem se envolvido muito mais nos cuidados com as crianças do que a geração dos nossos pais. Isso já é uma informação animadora, mas ainda assim a divisão de tarefas continua desproporcional. As mulheres inglesas ainda fazem 75% do trabalho. Não achei dados sobre o Brasil, mas não deve ser muito melhor do que isso. Que tal a gente começar a fazer a diferença hoje para derrubar esse mito?

Mito 5 – Os homens não desejam filhos tanto quanto as mulheres. No período da adolescência, é mais comum encontrar meninas falando que querem um dia ter filhos do que meninos. Essa tendência continua até os 30. Antes de chegar aos 40, o desejo masculino de ter filhos se equipara ao desejo feminino. O que acontece então é que as mulheres tendem a pensar em formar uma família mais cedo do que os homens, mas não significa que os homens queiram isso menos do que elas. Isso é reforçado pelo fato de que as meninas ouvem, desde pequenas, que precisam casar, formar família, que precisam ser “belas, recatadas e do lar”. Primeiro nós precisamos derrubar esse pensamento de que mulheres são menos capazes e precisamos levantar a bandeira da igualdade de gêneros. Se meninos e meninas ouvissem exatamente as mesmas coisas durante a infância toda, provavelmente demonstrariam vontade de ter filhos na mesma faixa de idade.

Mito 6 – Homens não conseguem fazer duas coisas ao mesmo tempo. Esse é mais um mito clássico que ainda tem muita força atualmente, mas não tem fundamento. Pesquisas recentes mostram que os homens têm a mesma capacidade de multitasking que as mulheres. Pense em um barman, ou em um chef de cozinha, ou em um atendente de telemarketing, ou em um gerente de uma empresa, ou em um controlador de tráfego aéreo, ou em um produtor de TV ou em um diretor de cinema. Você acha que nessas profissões os caras não fazem várias coisas ao mesmo tempo? Essas são apenas alguns entre tantos outros exemplos. Então, se os homens fazem menos tarefas simultâneas em casa não é por qualquer tipo de inferioridade biológica. Pode ser porque não tenham autoconfiança suficiente para realizar alguma tarefa, ou por falta de habilidade, ou por falta de costume. Tudo se resolve com uma dose de boa vontade e treinamento.

Enfim, homens e mulheres são iguais e possuem a mesma capacidade (e obrigação) de cuidar dos filhos e da casa. As únicas coisas que os homens não podem fazer são: gestar, parir e amamentar.

Fonte: Dad.info

Um Comentário:

  1. Concordo com todos os itens..o papai aqui de casa derrubou todos os mitos, e tornou a vida da mamãe o mais confortável possível nas coisas que não pôde fazer, gestar,parir e amamentar, aliás ele tem grande responsabilidade na amamentação prolongada do bebê.

Dê a sua opinião: