Dicas Sobre Introdução da Alimentação Complementar

Dicas Sobre Introducao da Alimentacao ComplementarO leite materno é o nosso primeiro alimento, sendo completo e suprindo todas as necessidades nutricionais até os seis meses de vida, quando consumido exclusivamente. Ele protege o lactente contra inúmeras doenças e ainda aumenta o vínculo entre a mãe e o filho.

Em algumas situações como volta ao trabalho, uso de medicamentos e falta de suporte emocional, pode ocorrer o desmame precoce. Dessa forma, há a introdução de novos alimentos, que nesse momento, podem ser prejudiciais à criança. A introdução precoce de alimentos está associada ao risco de desnutrição ou obesidade, redução da absorção de ferro e zinco, além do aumento do número de diarréia e hospitalizações por doença respiratória.

Nesse sentido, destaca-se a importância de manter o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e a partir dessa faixa etária, por haver a necessidade de complementação (e não substituição), introduzir gradativamente os grupos alimentares. Aos seis meses, a criança já possui postura ereta, maturidade fisiológica, reflexo lingual e excitação ao alimento. Ela deve permanecer mamando no peito até os dois anos ou mais.



É importante que a família tenha paciência, afeto e dê o suporte necessário nessa fase. Oferecer os novos alimentos com um sorriso nos lábios e transmitindo confiança é fundamental. Alguns medos são normais, como de engasgos ou de perda de peso. No entanto, deve-se evitar ao máximo passar essas aflições para a criança.

Há crianças que se adaptam muito bem aos novos alimentos, porém outras necessitam de mais tempo. Esse fato não deve ser motivo de ansiedade e angústia para as mães. No primeiro momento, a quantidade que o bebê ingere pode ser pequena, ele sabe da sua saciedade e, portanto, deve-se cuidar especialmente da qualidade do que é ofertado e sua variedade, em comparação à quantidade.

Ao completar seis meses, quando ainda em aleitamento materno, os alimentos devem ser oferecidos de maneira lenta e gradual três vezes ao dia, sendo duas papas de frutas e uma papa salgada. Deve-se dar preferência às frutas da estação, pois são mais nutritivas e saborosas. Quanto à papa salgada, para que seja completa, deve conter os seguintes grupos alimentares: hortaliças (legumes ou verduras), leguminosas, carnes variadas ou ovo e cereais ou tubérculos. Aos sete meses, acrescenta-se a segunda papa salgada.

O primeiro dia da alimentação complementar deve ser iniciado com uma papa de fruta, com somente uma frutinha amassada pela manhã, e no horário do almoço com um alimento amassado por vez. É fundamental que todos os grupos alimentares da papa salgada sejam oferecidos até o final da primeira semana, para que a criança permaneça com o aporte de nutrientes necessário, antes suprido exclusivamente pelo leite materno.

A alimentação deve ser, desde o início, espessa (papas e purês) e amassada com o garfo. Isso garante a quantidade de energia que a criança precisa para ganhar peso. Os grupos de alimentos devem ficar separados no prato para que a criança os reconheça (sabor, textura e aparência) e oferecidos em colheres. Em caso de líquidos em copos, e não em mamadeira.

Apesar do nome ser papa salgada os alimentos não devem ser liquidificados e nem peneirados, pois ocorre redução da energia ofertada, além de prejuízo ao estímulo a mastigação, fortalecimento da gengiva e dentição.

Para a oferta dos alimentos, não deve haver horários rigorosos. Esse fato pode prejudicar a capacidade da criança de distinguir a sensação de fome. Entretanto, é importante manter intervalos regulares entre as refeições.

No início, a criança pode rejeitar as primeiras ofertas, porque tudo para ela é novidade (a colher, o sabor e a consistência do alimento). São necessárias várias exposições, geralmente 8 vezes, para que a criança reconheça e aceite o alimento. Não faça chantagens ou trocas para a aceitação de qualquer alimento, é importante não desanimar e insistir!

A partir da introdução dos alimentos complementares é importante oferecer água à criança, a mais limpa possível (tratada, filtrada e fervida). Antes, o leite materno exclusivo era suficiente para a hidratação.

Não oferecer alimentos adicionados de açúcar, café, enlatados, embutidos, frituras, refrigerantes, sucos artificiais, balas, salgadinhos, biscoitos recheados, outros alimentos industrializados, conservas (palmito e picles) e mel. Eles são totalmente contraindicados para crianças com idade inferior a dois anos e sua apresentação deve ser prorrogada o máximo possível. Esses alimentos oferecem calorias vazias, contribuindo para o excesso de peso e a deficiência de micronutrientes. São riquíssimos em gordura, açúcar e sal, sendo a longo prazo ou não tão longo (ainda na infância), potentes causadores de doenças como hipertensão e diabetes.

O processo de criação de hábitos alimentares se inicia ainda na barriga da mãe, durante a gestação, e continua ao nascimento e na primeira infância, o que inclui o momento da introdução da alimentação complementar. A criança fica atenta à rotina alimentar da família e se aproxima dela, sendo necessário dar o exemplo dentro de casa.

Inicie a alimentação complementar do seu filho de forma consciente e com hábitos alimentares adequados para a faixa etária. Cada criança possui sua individualidade, então, sempre que necessário, procure um profissional de saúde capacitado para tirar dúvidas e receber orientações apropriadas.

OBS: FAÇAM PERGUNTAS RELACIONADAS À INTRODUÇÃO DA ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NOS COMENTÁRIOS QUE EM BREVE A PRISCILA E A ANNA CAROLINA RESPONDERÃO.

 

priscila e anna nutriped nutricionistas infantil no mamae tagarelaPriscila La Marca Pedrosa e Anna Carolina Ghedini escrevem artigos para o Mamãe Tagarela.

Priscila e Anna Carolina são nutricionistas nas áreas infantil e gestacional.

Conheça a página delas, NutriPed, no Facebook.

15 Comments:

  1. Olá, tenho muita dificuldade sobre a alimentação do meu filho. Ele tem 2 anos e muito chato para comer comida salgada, já tentei de tudo. Vitaminas. Remédio para aumenta o apetite, e nada deu certo até agora!
    Ele vive sempre doente, eu sei que também é por falta de nutrientes no seu corpo
    Queria uma opinião o que devo fazer

  2. Uau, parabéns pelo post. Eu estava mesmo precisando saber sobre esse assunto pois meu bebê vai fazer 4 meses e já quero me preparar. Bom, tenho uma dúvida, existem adeptos de um técnica chamada Baby Led Weaning que ao invés de fazer a introdução dos primeiros alimentos com papinhas, fazem com alimentos sólidos e deixando o bebê mais independente já que ele mesmo leva o alimento a boca. Gostaria de saber o que vocês acham sobre isso, e também sobre as papinhas prontas que sao vendidas nos mercados e farmácias.
    Obrigado!

  3. Oi, oi! Meu bebê tem 11meses e desde o nono mês, qdo começou o processo de nascimento de alguns dentes, ele tem rejeitado diariamente as papinhas salgadas. Antes comia bem, porém depois passou não querer mais… já não sei mais o que fazer, tem sido muito difícil… será que existe algo pra ajudá-lo, alguma outra maneira que eu possa fazê-lo conseguir comer? Agradeço muito!

  4. Olá, gosto muito das dicas de vocês, parabéns!!
    O final da minha gravidez e o parto foram extremamente complicados e, por conta disso, meu leite secou, minha filha toma aptamil e água. Ela está com três meses, no caso de bebês alimentados através de fórmula, quando é a
    melhor hora para introdução alimentar???
    Obrigada desde ja!!

    • Thata Tagarela

      Olá Thabity. A recomendação é que todos os bebês comecem a introdução alimentar aos seis meses de idade, salvo em alguns casos acompanhados por pediatra e nutricionista.
      Um bjs e tudo de bom.

  5. Texto muito esclarecedor. No entanto, tenho dúvidas sobre a oferta de ovos. Uns pediatras dizem que deve ser oferecido aos 6 meses. Outros, que deve ser aos 7 meses. Quando oferecer ovos??? Obrigada.

  6. Larissa Araujo

    Gostaria de saber sobre a introdução alimentar de crianças q tomam fórmula. Se mantém só a partir dos 6 meses. Fico frustrada q sempre vejo falarem “leito exclusivo até os 6 meses”, mas só Deus sabe o que fiz pra conseguir amamentar, porém sem êxito, daria pra escrever um livro. Então, para crianças com leite artificial com quantos meses começo a oferecer novos alimentos?

    • Thata Tagarela

      Larissa, só depois dos 6 meses também. A questão é a maturidade do sistema digestivo (estômago, intestino etc) dos bebês. Eles estão bem preparados com 6 meses apenas. Um beijo e não se culpe em relação à amamentação.

  7. Minha bebê tem agora 4 meses e mama leite fórmula, comecei a dar painha de frutas e salgadas ,pois ela não estava conseguindo dormir, quando comecei a dar as papinhas , ela agora dorme muito bem. Ela aceitou muito bem os alimentos. Mais agora fico meio perdida, pois não sei o que dar além das que estou dando a ela.pois receitas que procuro na internet só são apartir dos 6 meses. E ela é muito adiantadinha!

    • Thata Tagarela

      Querliane, a recomendação é que se comece a introdução alimentar só aos seis meses, ou bem perto disso, por causa de maturidade do aparelho digestivo do bebê.
      Um beijo e boa introdução alimentar.

Dê a sua opinião: