Disciplina positiva – O Adulto Que Seu Filho Vai Se Tornar

A violência é uma herança real e muito triste. Se quisermos construir uma sociedade melhor para os nossos filhos crescerem, somos nós, os responsáveis, que devemos promover essa mudança que tanto desejamos.

O que está por trás de uma palmada e o castigo é o amor que se tem por um filho. Não há dúvida sobre isso. Ou seja, a intenção é educar. No entanto, o que não paramos para pensar é que não batemos em um adulto para mostrar o quanto ele está sendo inadequado em determinadas situações, não é mesmo?! Por que então fazer isso com uma criança em plena formação?



O livro “A Primeira Infância e as raízes da violência”, do Dr. Antônio Marcio J. Lisboa, pediatra, fala sobre a importância de olhar para infância com mais amor, pois a violência é aprendida nesta fase da vida. É possível educarmos as nossas crianças para serem adultos mais saudáveis, cooperativos, responsáveis, empáticos e amorosos e tudo isso também é aprendido na infância.

Na abordagem da Disciplina Positiva, os pais encorajam os seus filhos e promovem uma relação respeitosa e mútua com as crianças. A dignidade e o sentimento de pertencimento são desejos de qualquer pessoa, onde quer que esteja – na família, na escola. Ou seja, isso não poderia ser diferente com as crianças. Quando sentem-se incluídas, percebem-se igualmente capazes de cooperar com o ambiente no qual estão inseridas.

A filosofia da Disciplina Positiva é baseada nos ensinamentos de Alfred Adler e Rudolf Dreikurs. Jane Nelsen, doutora em educação, mãe, avó e bisavó, há muitos anos mudou a sua vida dentro de sala de aula e, principalmente na relação com os seus filhos, quando entrou em contato com a abordagem adleriana. Ela mostra em seus livros que a chave do sucesso é a não punição. É prezar pelo equilíbrio. E este é o nosso grande desafio: manter a autorregulação, a autodisciplina e a responsabilidade para que os nossos filhos aprendam conosco através dos nossos exemplos.

Então, que tal contribuirmos para construir um mundo melhor através de uma educação acolhedora, amorosa, empática e respeitosa e que é muito possível de ser feita com os nossos filhos?

“Seja você a mudança que quer ver no mundo” Mahatma Ghandi

 

Marcela Peconick é mãe, educadora perinatal, consultora em amamentação, jornalista e pedagoga com especialização em Educação Infantil e Psicopedagogia. Idealizadora do Espaço Corujona, um projeto educativo para as crianças e suas famílias.

Deixe seu comentário!