Engrossar o Leite do Bebê com Farinhas É Uma Boa Opção?

Engrossar o Leite do Bebe com Farinhas e Uma Boa OpcaoEsses dias, vi um post nas redes sociais, onde uma famosa farinha para engrossar era comparada à “ração de engorda”-  aquelas que são utilizadas pra deixar o gado pronto para o abate! Sei que é uma comparação que, num primeiro momento, parece agressiva, mas acho importante falarmos sobre isso… Esses posts geram polêmica, mas nos ajudam a refletir sobre o assunto.

Muitas vezes recebo no consultório e no hospital que trabalho, bebês (muitos menores de 1 ano) recebendo fórmula infantil com farinhas engrossantes, e, sempre pergunto para a mãe porque ela introduziu isso na alimentação do bebê? As respostas são variadas, mas duas são campeãs: 1 – “Não estava ganhando peso”; 2 – “Porque o leite puro é muito fraco”.



Vamos lá… em primeiro lugar, a curva de crescimento da criança é um importante parâmetro para avaliação nutricional sim, mas o ganho de peso não pode ser o único parâmetro para avaliarmos se a criança está saudável ou não. Sei que isso gera muita ansiedade e apreensão pros pais, mas se a criança está se desenvolvendo bem, ativa, não ficando doente com frequência, então não é um problema se de um mês para o outro ela não ganhar tanto peso. Faz parte. Somos pessoas, não somos números exatos. Uma criança ganha um pouco mais que a outra e está tudo bem assim. É preciso respeitarmos a individualidade de cada um. Além disso, fazer a criança ganhar peso é fácil, gente!! Tem um monte de comida gostosa, cheia de açúcar e outros tipos de carboidratos que são capazes de viciar o paladar e fazê-la ganhar peso. Mas… será que isso está contribuindo para a saúde e o desenvolvimento dessa criança? Esse tipo de conduta resolve o “problema” do ganho de peso, mas estudos mostram que, a introdução precoce dessas farinhas, acarretam vários outros reais problemas futuros: a criança fica com o paladar viciado pelo doce, pode gerar seletividade alimentar e, muitas vezes, está associado à obesidade infantil, diabetes tipo 2 e outras doenças crônicas.

Dar suco para bebês também seria uma boa opção? Saiba mais!

Em segundo lugar, temos o clássico “leite fraco”. Esse argumento vem de décadas passadas, quando as fórmulas infantis ainda não existiam ou tinham um custo extremamente elevado e a recomendação era usar LVE (leite de vaca engrossado) em substituição ao leite materno. Hoje sabemos que o leite materno é o melhor alimento para o bebê, devendo ser exclusivo até os 6 meses e complementado até 2 anos ou mais. Quando não for possível a amamentação, as fórmulas infantis atendem às necessidades do bebê, sem precisar acrescentar farinhas e açúcares extras. A criança precisa de comida de verdade… aquela que é natural, colorida, rica em vitaminas e minerais vindos da natureza, cheia de fibras, diferentes texturas e apresentações que estimulem os diversos sentidos: tato, olfato, visão, audição e, claro, o paladar.

Uma boa alternativa, para fugir dessas armadilhas da indústria alimentícia, é utilizar aveia, quinua e amaranto em flocos misturados às frutas para acrescentar fibras, vitaminas e minerais importantes para a saúde da criança, sem adição de açúcares e farinhas refinadas. Leite somente materno ou fórmula infantil própria para idade!

debora marques alimentando metas

 

Debora Marques
Nutricionista Clínica Funcional – CRN: 06100078
Especialista em Saúde Materno-infantil – UFRJ
Tel: 21 99233-2001
E-mail: alimentandometas@hotmail.com
IG: @deboramarquesj @alimentandometas @alimentandobaby
Facebook Alimentando Metas
Facebook Alimentando Baby

1 comentário

  1. CINTIA ROCHA comentou

    Bom dia!!preciso de um help,minha filha está com uma ano e 11 meses,nunca foi muito de mamar,aos 07 meses deixou o peito sozinha,e hoje não quer mais mamar na mamadeira e nem copinho,já usei mucilon enjoo e não toma por nada,farinha lactea ela gostava hoje não mais,já tentei achocolatada no copo nada,não sei o que fazer para que tome leite!!!tem alguma sugestão?

Deixe seu comentário!