Gravidez Não É Doença

gravidez não é doença gravida enjoada passando mal enquanto vomitaTaí a frase que mais me chateava durante a minha gravidez, “Gravidez não é doença”. Um homem deve ter inventado isso, não é possível… ou uma mulher que até então nunca teve filhos, só pode! Porque é muita falta de empatia, gente, falar uma coisa dessa!

Esses dias uma amiga querida, que está grávida, reclamou:

“As pernas doem, o corpo começa a sentir o peso extra, começa a faltar ar porque o diafragma está pressionado, xixi de 15 em 15 minutos (tem que ficar que nem uma louca procurando banheiro). Já estou remando lentamente e bufando por caminhar 10 minutos, mesmo fazendo hidro, pilates e drenagem. Não é doença, mas no final incomoda demais.”



E quando a gente espirra a barriga quica e o xixi sai na calcinha! Hahahaha

Mas eu sofri demais com o início da minha gestação também. Até as 16 semanas (4 meses) de gravidez eu passei muito mal com enjôos. Na época uma tia tentava me animar consolar dizendo que “é assim mesmo, eu enjoei a minha gravidez inteira”.

Fora o desespero que passei por quase ter perdido o Eric

Mas eu costumo dizer que gravidez não é doença, que gravidez é pior que doença. Gravidez dura longos 9 meses. É claro que tem o lado bom também, né gente, não vale só reclamar. Mas que é dureza, ah é!

Por favor, antes que me joguem pedras, eu não estou me referindo a doenças crônicas e doenças terminais, estou me referindo a uma simples gripe por exemplo… ok, vamos reformular: “Gravidez é pior que gripe, porque a gripe passa logo, mas a gravidez vai durar 9 meses”. Ficou melhor assim?

O que eu quero deixar a entender aqui é que não é fácil estar grávida, são 9 meses de muito sacrifício. No final compensa, claro! Nós mulheres temos esse poder de gerar um outro ser humano, um serzinho que vai ser o nosso maior amor, mas isso não nos tira o direito de reclamar e quando reclamarmos, por favor, homens e mulheres sem filhos: guardem essa frase para vocês,por favor, porque vocês não sabem de nada (inocentes)… hahahah

Pronto, falei!

OBS: É claro que toda regra tem exceções, já vi muitas mulheres sem filhos e homens compreensivos, assim como já vi mulheres que já tiveram filhos usando essa frase porque não sofreram tanto assim.

16 Comments:

  1. Já vi muita grávida que recém descobre que está e começa assim: Ai eu não posso levantar de onde estou por que estou grávida, vai vc… sendo que nem é gravidez de risco, Tem muita mulher que usa a barriga como desculpa para não fazer o seu trabalho. Quando estava grávida trabalhei enjoada, com dor nas costas e quadris e nem por isso me fiz de coitadinha para não trabalhar, fui trabalhando até os 9 meses do meu filho. Gravidez não é doença! Se fosse as gravidas ficariam em casa encostadas! Ter enjoo, mijadeira faz parte! Na hora de de abrir as pernas e virar os zoinhos foi gostoso né?Agora se não queria passar por enjoos e tudo mais que se cuidasse hora! Não fizesse filho! Deixe de mimi e aguente filha!

    • Thata Tagarela

      Podia ter terminado sem essa frase horrível no final sobre virar os “zoinhoz”. Mais empatia, por favor. É difícil demais e colocar no lugar nos outros né? Julgar que é super fácil. O mundo precisa de mais amor. Pratique.

    • Cada mulher tem sintomas diferentes, os meus sintomas no início parecia Dengue, por que já tive Dengue posso falar,não tinha febre e nem manchas na pele, porém, fraqueza terrível de não conseguir ficar em pé, descascar uma fruta às vezes era difícil pq dá uma fraqueza nos braços, fadiga de subir uma escada e sair ofegante, pior sem apetite algum e tendo que comer forçado para não piorar ainda bem que trabalho para mim mesma se não terias dias que não conseguiria… Muitas que sentem apenas enjoo ou qualquer outro isolado não entendem, mas quem sente todo o pacote, fraqueza, fadiga, falta de apetite, ancia de vomito, dores de cabeça etc sabem o que estou falando…

    • Eu também pensava parecido com o seu texto, entretanto após ter engravidado duas vezes e tambem ter trabalhado praticamente até o parto acredito que como todo ser humano poucas vezes nos empenhamos em gerar um outro ser e nessa etapa, assim como ocorre na licença maternidade, temos que nos focar primeiro no nosso bem estar. O serviço/trabalho/escola/chefe/funcionários continuarão no mesmo lugar e o mundo continuará girando, mas temos que ter a compreensão de que quando estamos em condições especiais temos que nos poupar sim! Não adianta nos arrependemos quando estivermos no limite, com sobrecarga no trabalho, irritados e nos culpando por “darmos o sangue” pelo serviço sem recebermos reconhecimento da empresa ou dos colegas. A nossa vida no mundo do trabalho já é corrida e cansativa o bastante sendo que pelo menos na gravidez a mulher tem que ter a oportunidade de trabalhar com leveza e de ser tratada com cordialidade e respeito pelos demais. #prontofalei

    • Nenhuma gravidez é igual a outra. Se você fez isso mesmo como você falou, não julgue os outros.
      Pense antes de falar qualquer idiotice. Não é porque a pessoa não consegue trabalhar que não quer assumir. Então filha olha bem o que você fala.

    • Comentário mais imbecil…

  2. Fiquei impressionada com o discurso machista e preconceituoso desse(a) tal de Frs. Cada mulher é um ser único e cada gestação também é única, não se pode julgar a partir de sua experiência pessoal a dor e sentimentos do outro, parabéns a essa criatura aí que não sentiu nada na sua gravidez, mas lembre-se que a percepção da dor é subjetiva.

  3. Desculpa mas tenho que desabafar que pessoa idiota e essa que faz um comentário absurdo destes melhor se tivesse ficado calada falar dos outros e muito fácil mas se colocar no lugar e difícil. Parabéns a ela que não sentiu nada. Mas cada uma mulher tem um organismo e cada um reage de uma forma. Antes de falar seja humilde e respeite os demais! E uma fase especial e requer cuidados especiais. Este comentário e de mau gosto e grosseira. Imagino como foi sua gravidez!! Quando engravidamos os filhos vem em primeiro lugar. Repense suas atitudes e posturas!!

  4. Acredito que na gravidez a primeira coisa que deve ter importância é o bem estar da mulher e ela se sentir segura quanto ao bem estar de seu bebê. Não é doença, mas limita SIM! Trabalho em escola de educação infantil e não vou ficar pregando as crianças no colo o tempo todo nem ficar me abaixando e levantando também. Sinto dores e colicas se faço isso. Trabalho a gente encontra outro; filho, não.

  5. Eu estou nesse momento gravida pela segunda vez, e posso dizer que está sendo dificiil!
    Na primeira fiz tudinho, nada me custava, nesta tenho sofrido horrores fisicamente e emocionalmente, porque minhas hormonas estão descontroladissimas! :O
    No entanto, não podemos julgar MESMO, porque as dores de uns não são as dores de outros, e o que uns conseguem fazer nessa altura, não é o que outras conseguirão fazer…
    Á parte de todas as dores e desconfortos que estou sentindo, estou feliz por conseguir carregar esse milagre de novo, mas sou sincera quando digo que precisamos de mais apoio em tudo, principalmente emocional e mais compreensão! :)
    Parabéns pelo blog, que é TOP!

  6. Na média, a gravidez impões sim um sofrimento à mãe, em especial nos primeiros meses com enjôo, dores, e até o lado psicológico. Mas, algumas mulheres, uma minoria, realmente pode exagerar nos cuidados e até prejudicar a si mesmas quando encaram a gravidez com algo parecido com uma doença. Deixam de fazer TODO TIPO de atividade física, de se alimentar adequadamente, tornam-se impacientes com seus maridos e algumas deixam até o emprego. Sabemos que existem excessões como na gravidez de risco e tal, mas existem sim aquelas que aproveitam a situação para curtir uma preguiça. Isso não é benéfico para a mãe, muito menos para o futuro bebê.

  7. Nossa… Lamentável o comentário desse ser denominado “Frs”… Que insensível!
    Não julgue para não ser julgado…
    Cada mulher enfrenta esse período de uma maneira diferente… Eu, por exemplo, tive que afastar do trabalho com 4 meses de gestação porque não conseguia realizar as minhas atividades como antes, passei muito mal com enjôos, dores nas costas, falta de ar, pressão descontrolada, sangramento, enfim, uma série de sintomas… Acredito que foi a melhor coisa que fiz, pois me dei um tempo para cuidar de mim mesma e, consequentemente, cuidar do meu bebê que sentiu os benefícios disso, considerando que, tudo o que nós sentimos, o nosso bebê também sente…
    Agora, estou com 8 meses de gestação, o mês que vem nasce a minha menininha, a Luísa…
    Parabéns pelo blog.

  8. Estou gravida de dois meses e meio passando mal todos os dias , com muita dor ,enjoou , sangramentos e falta de apetite já e a minha terceira gestação pois já tive dois aborto …choro todos os dias com medo de acontecer a mesma coisa, e estou com anemia então acho que os outros devem respeitar viu senhora Frs. se você conseguiu trabalhar e etc na sua gestação ótimo agradeça a DEUS , mas não critique quem passa por momentos mais delicados (difíceis).

Dê a sua opinião: