Introdução Alimentar – Nem Sempre É Fácil Como Dizem

Introducao Alimentar Nem Sempre e Facil Como DizemEssa é a história de uma menina que não comia nada que a mãe fazia. A mãe tentou de tudo e nada da menina querer. A mãe chorou muito porque a filha não comia.

Opa, não péra, essa era eu e a minha mãe.

Já cresci sabendo as minhas histórias com comida e o quanto eu era péssima para aceitar alimentos. Engravidei, tive um filho e nenhuma dificuldade com a introdução alimentar dele, que sempre comeu de tudo e sempre abriu a boca com facilidade.



Aí engravidei de novo e tive uma menina. Aos 6 meses de idade eu achei que teria uma folga de dar o peito para ela, ledo engano. Mia não queria comer por nada. Eu que já era mãe de segunda viagem e já sabendo que o leite materno é o principal alimento do bebê até 1 ano fiquei calma e aceitei que ela comeria no tempo dela.

Diferente da minha mãe que se desesperou. Muito provavelmente o pediatra na época dela fazia pressão que “a sua filha precisa comer, precisa engordar”. Hoje em dia sabemos que muito mais vale que a criança come algo nutritivo, mesmo que pouco, do que ganhar peso. Naquela época a minha mãe me deu farinha láctea e outros alimentos com baixos nutrientes e cheios de açúcares que hoje em dia sabemos que não acrescenta em nada, mas era recomendação do pediatra (e continua sendo recomendação de muitos pediatras desatualizados). Mãe, eu super te entendo, um abraço em você!

Eu não queria isso para a minha filha e esperei pacientemente pelo momento que ela se interessaria por comida.

Segundo o pediatra mais famoso da última década, Dr Carlos Gonzalez:

“A alimentação complementar não é para a nutrição do bebê. Da nutrição o leite cuida! A comida vem para o prazer dos sabores, a descoberta das escolhas, o desenvolvimento motor”

“Você não dá comida para o bebê de 6 meses porque ele precisa de algo melhor, pois o leite é o melhor alimento que existe. Na verdade, é o contrário. Depois de 6 meses o corpo dele já está preparado para receber coisa pior, no caso, a comida!”

SIC Psimama

Fui conversar com mães que dão mamadeira e mães que amamentavam, descobri que o bebê que mama no peito leva mais tempo para começar a comer. O que não é problema nenhum. Você já leu o que o Dr Carlos Gonzalez falou sobre isso e já sabe que o leite é melhor para o bebê do que a própria comida. É só um fato mesmo, que bebês de peito vão demorar mais a comer então tenha mais paciência com eles que esse dia vai chegar.

A maioria das mães que amamentam me disseram que o bebê só começou a comer com 9 ou 10 meses.

Conversei com a nutricionista Débora do Alimentando baby e ela me falou que tudo bem se o bebê não comer, mas que eu tinha que continuar oferecendo sempre alguma coisa, variando os sabores e que uma hora o bebê ia aceitar. 

Eu tentei de tudo: BLW – deixando algum pedaço de fruta na frente dela e também papinhas. Já cheguei a deixar alguns dias sem comer porque gente, cansa! Cansa você fazer comidinhas e o bebê nem abrir a boca para experimentar (oi mãe, agora entendo o seu desespero). Só não me cansou mais porque o irmão mais velho vinha pedir o que estava no prato da irmã e comia tudo.

Veja aqui o que é e como fazer o BLW – Baby Led Weaning

Não foi fácil, mas mentalizava sempre que até 1 ano eu tava tranquila só com o leite materno (leite de mamadeira também, viu gente). E mentalizava que qualquer chupadinha na fruta o bebê já estava absorvendo nutrientes. E mentalizava que uma hora ela ia comer, uma hora ela tinha que comer, não ia viver de leite o resto da vida.

Se você está tendo dificuldades com a introdução alimentar do seu bebê, vai mentalizando isso tudo aí pelo menos 1 vez por dia. Copia as frases do Dr Carlos Gonzalez em um papel e cola na geladeira para você ler todos os dias. Fique calma e acredite que uma hora vai. Uma hora o bebê vai comer!

“Ah mas eu preciso voltar a trabalhar em breve”

Não adianta forçar comida. Se você precisa voltar a trabalhar e o bebê não come, tenta fazer um estoque de leite e se não conseguir oferte o leite de lata para complementar. Fazer o quê? Forçar comida na criança só vai criar uma relação ruim entre a criança e a comida. O bebê precisa sentir prazer em comer.

Com quase 8 meses a Mia começou a abrir a boca para comida. Ela é bem seletiva, por exemplo, odeia banana. Já chegou a vomitar banana. Mas adora pera, ameixa, melão, feijão com arroz, lentilha, tangerina. Gosta de várias coisas, mas outras não aceita de jeito nenhum. Acho que isso é o normal, né? Anormal é o meu filho que come de tudo.

Quando ela começou a comer engordou 1KG em 1 mês. E continua no peito, mamando muito, madrugada afora.

E assim Mia começou a se relacionar bem com os alimentos, sem eu forçar, mas insistindo sempre. Eu estava sempre apresentando a ela novos alimentos. Deixando-a, muitas vezes, pegar, sujar, apertar, fazer bagunça. Outras vezes eu dava a comidinha amassada na colher.

Introdução alimentar é paciência e repetir que até 1 ano tudo bem se a criança não comer direito. O importante é continuar tomando leite.

Então calma, respira fundo e muita paciência que uma hora o bebê vai comer!

Dê a sua opinião: