Mãe de Dois Ama Mais um Filho do Que o Outro? 

Mae de Dois Ama Mais um Filho do Que OutroAcredita que eu, quando era criança, me perguntava muito isso? A impressão que eu tinha é que a minha mãe amava mais o meu irmão, que é mais novo, do que a mim.

Pouco antes da Mia nascer eu pensei “estou há poucos dias de descobrir essa incógnita, se mãe de dois ama mais um filho do que o outro”.

Cheguei até a perguntar para a minha sogra que me respondeu o seguinte “O amor de mãe é igual pelos dois filhos, o que muda é o momento. Se você está chateada com um acaba se aproximando mais do outro, sendo mais carinhosa com o outro. Isso pode passar a impressão de que mãe ama mais um filho do que o outro” – No caso dela, ela já estava falando de dois adultos.



Assim que a Mia nasceu eu não a amei enlouquecedoramente logo de cara. O amor é um sentimento que nós vamos construindo com o passar do tempo. Podemos até ter aquela paixão inicial, mas amor mesmo se constrói com o tempo. Uma prova disso são as mães que adotam, pois  amam seus filhos tanto quanto as mães que geram seus bebês.  Só que quando a Mia nasceu eu não sabia disso. Eu não tinha me dado conta que o amor não iria nascer junto com ela. Não tinha me dado conta que o amor cresceria no dia a dia e pensei “é verdade, mães amam mais um filho do que o outro, pois eu amo mais o Eric”. Pensamento bem raso, eu sei, mas me perdoem, eu estava no meio do meu puperpério e fiquei 12 dias no hospital.

Com o passar dos meses me vi amando a Mia enlouquecedoramente. Eu estava apaixonada novamente. Sim, é possível amar os dois filhos na mesma proporção e o que a minha sogra me falou faz sentido.  As vezes sinto o meu peito explodir de amor quando estou somente com o Eric, dando atenção exclusiva para ele. Também sinto meu coração doendo de emoção quando estou amamentando a Mia.

A verdade é que hoje em dia eu passo mais tempo com a Mia do que com o Eric, pois ela mama de madrugada, ela mama várias vezes por dia, ela é um bebezinho de colo que demanda muita atenção. O Eric já é uma criança um pouco mais independente (porém ainda um pouco dependente). Já brinca sozinho, não usa fraldas, come sozinho etc ele requer um pouquinho menos atenção e como eu fico mais tempo com a Mia, acabo morrendo de amores por ela com mais frequência. O que não significa que eu não ame o meu filho na mesma proporção. Eu amo sim.

Por isso cheguei a conclusão que mãe de dois ama os filhos de forma igual, só que a atenção as vezes precisa ser desproporcional dependendo da necessidade de cada um no momento. 

A verdade é que o amor é igual, mas nós somos mães diferentes para os nossos filhos por diversos motivos. Tudo afeta a nossa maneira de maternar. Por exemplo a gravidez do Eric foi mais complicada, já o parto da Mia foi mais complicado, o Eric quase não consegui amamentar, já a Mia eu consegui.  Além dessas coisas temos a personalidade, por exemplo, uma criança quando é mais fácil de lidar e a outra mais difícil, assim como um bebê High Need que é mais difícil de lidar. A criação dos dois filhos não vai ser igual e em determinados momentos da sua vida você vai se aproximar mais de um do que do outro por algum motivo. 

Só agora eu consigo escrever e pensar sobre o assunto. Mia chegou ao mundo há mais de 1 ano e só agora me sinto à vontade para tirar essa conclusão. 

Se você é mãe de dois aproveita para deixar a sua opinião sobre o assunto.
Beijos, Thata

2 Comments:

  1. Olá, eu sou mãe de três, tenho uma adolescente de 13 anos, uma de 9 anos e uma bebê de 4 meses que amamamento exclusivamente. E já havia chegado a mesma conclusão que vc, tudo depende do momento, da fase em que estão vivendo. Não tem como não amar um bebê de colo, que vive esbanjando sorrisos pra vc, é uma fase de amor muito intensa!!
    Em compensação hj já estou muito próxima da minha primogênita do que há um ano atrás, pois superada a “pré adolescência”, começamos a ter uma relação mais de igualdade, de amigas mesmo!!
    E qd tenho que brigar ou chamar atenção delas é elas logo respondem que queriam estar no lugar da bebê, vou logo dizendo que elas tb tiveram aquela fase e aquela mesma atenção!!!
    Mas o amor de mãe realmente é algo extraordinário, que se multiplica e cresce a cada dia!! Mas precisamos educar disciplinar nossos filhos para a vida, então não dá pra ser só beijinhos e abraços o tempo todo!!

  2. Livia cristina Gomes de Almeida

    Eu tinha o mesmo pensamento, ainda mais que a gravidez da Milena nao tinha sido planejada, ficava imaginando que nao conseguiria amar ela como amava o Matheus, quando ela nasceu tambem nao tinha aquele amor arrebatador, ela ta com dois meses e meio agora e meu amor por ela e tao grande quanto pelo meu pequetuxo.

Dê a sua opinião: