Meu Filho Não Me Ama – Ele me Disse Isso e Agora?

Se você já ouviu do seu filho (ou filha, mas no meu caso foi o meu menino) de que ele não te ama, calma, eu sei que é difícil pensar “Caramba, meu filho não me ama, e agora?” Vem ccomigo que eu nós vamos conversar sobre o assunto hoje.

A primeira vez que eu ouvi “Mamãe eu não te amo!” foi no meio de uma briga. Doeu sim, chorei muito achando que o meu filho não me ama de verdade, mas logo percebi que ele tinha falado isso da boca para fora. Na hora fiquei sem reação, mas a melhor dica que me deram na época foi de falar de volta para ele “Mas a mamãe te ama muito”.



Depois disso ele falou algumas vezes no meio de brigas nossas maas eu não levei a sério e fui repetindo que o amava e o abraçando de volta.

Só que da última vez ele falou assim, do nada. Não foi no meio de uma briga, não foi de cabeça quente. Ele tava calmo. Dói ouvir isso pela primeira vez, mas ouvir quando o seu filho está calmo, sem ser no meio de uma briga, é um tapa na cara de mão aberta. O dialógo foi assim:

“Mamãe, eu não te amo”
Aí o papai perguntou:
-“Por que você não ama a mamãe?”
-“Porque ela grita muito”

Pronto, engoli um seco. Eu realmente ando muito cansada! Correndo contra o tempo, tentando dar conta de tudo o tempo todo e muitas vezes acordando de madrugada.

Outro dia li um artigo em um site especializado em autismo “que mães de crianças e (jovens) adultos no Espectro do Autismo experimentam um estresse crônico e comparável a soldados em combate” (S.I.C.).  Eu realmente ando muito cansada, estressada, somatizando tudo. Até o meu seio dói quando eu sinto meu músculos doloridos (e amamentar com o seio doendo tem sido um safricício).

Como eu gosto muito de estudar, ler, me informar, fui ler sobre relacionamentos mãe x filho, mesmo porque confesso para vocês que eu sempre tive um relacionamento conturbado com a minha mãe.

Li muita coisa. Li que existem relacionamentos mãe e filhos em que a mãe não ama o filho (ou filha) e a o filho não ama a mãe. Alguns muitos outros relacionamentos em que o filho (ou filha) não ama a mãe. Geralmente isso acontece na adolescência ou fase adulta.  Isso me assustou muito, de verdade. Não quero um filho adolescente ou adulto que não gosta de mim.

Li sites de vários psicólogos e cheguei a seguinte conclusão:

Não é porque ele (ou ela) é seu filho que ele tem obrigação de gostar de você custe o que custar. Você precisa fazer um esforço para que isso aconteça. Precisa ser amável e paciente com ele assim como você costuma ser com estranhos.

Amor precisa ser regado todos os dias um pouquinho. Mesmo quando o dia não é um dia bom, o saldo precisa ser positivo. Quando eu perco a paciência com ele, eu recompenso de outra forma para pedir desculpas. Além de pedir desculpas verbalmente porque é importante.

Eu decidi que não quero isso para mim, para nós dois. Eu decidi que iria fazer o sacifício que for para o meu filho gostar de mim. Amor mãe e filho é como qualquer um, é preciso investir tempo, empatia, carinho, beijos, paciência (principalmente). Amor se conquista um pouquinho todos os dias. Claro que isso não anula aquele puxão de orelha que você precisa dar quando necessário, não anula o não que você precisa dizer quando necessário.

Sim é normal perder a paciência de vez em quando, ainda mais quando se está com alguém 24hs x7! Mas no meu caso estava demais.

Fui dormir mal, mas determinada que faria diferente no dia seguinte. Não quero que meu filho não goste de mim quando for maior. Tenho sido mais paciente. Tenho sido mais carinhosa. Tenho sentado mais para brincar com ele. Fiz bolo, levei na rua mais de uma vez por dia (parquinho, patinar). Tudo dentro do meu limite, é claro, não quero também dar além do que eu posso e esquecer de mim. Afinal de contas também precisamos estar bem para cuidar bem dos nossos filhos.

As vezes ainda perco a paciência com ele, mas bem menos do que eu perdia. Mas no final de todos os dias eu tenho dito para ele que eu o amo e ele tem dito que me ama também.

Thata

1 comentário

  1. Daniela Matos comentou

    Oi boa tarde!
    Lembro de uma vez estar numa palestra e ouvir o palestrar falar q qdo uma criança diz isso, ela está te testando (ver o q acontece, reação) que o amor é um sentimento muito nobre pra tão pouco tempo de vida saber definição. Por outro lado, concordo com o q vc disse q o relacionamento entre pais e filhos deve ser regado td dia sim (até pq o treino antecede espontaneidade).
    A forma de demonstrar amor para com nossos filhos é tendo PACIÊNCIA com eles. Mil beijos e adoro seu blog 💋

Deixe seu comentário!