Pílula do Dia Seguinte – Tudo o Que você Precisa Saber

Fizemos sexo. Eu tomo pílula há muito tempo, mas eu havia esquecido de tomar uma pílula 2 dias antes. E fizemos sexo sem proteção logo em seguida. No dia seguinte eu o avisei “há 2 dias atrás esqueci de tomar pílula, inclusive já tinha te falado, só estou reforçando”.

Tenho 2 filhos e quero muito o terceiro, mas não agora.



O marido sugeriu a pílula do dia seguinte, que eu descartei na mesma hora. “Eu não vou fazer isso comigo” – eu disse.

No dia seguinte pela manhã achei que estivesse ovulando. Pode até ser que eu esteja errada, já que há muito tempo não vejo isso (não menstruo há 2 anos por causa da amamentação). Mas achei que tivesse visto muco cervical (para saber mais sobre o metodo leia mais aqui) e me desesperei.

Nesse momento fui ler mais sobre a pílula do dia seguinte. Mas já haviam se passado 30hs. Mas a coisa mais importante para mim foi descobrir que a pílula do dia seguinte não é abortiva porque não interrompe uma gravidez que já existe, ela apenas dificulta a fecundação como qualquer pílula de uso diário. Eu sou a favor da legalização do aborto por motivos que eu explico aqui, mas eu não faria um aborto. Já sofri um aborto aos 3 meses de gravidez (leia a minha história aqui) e sei como dói perder um filho ainda na barriga. Mesmo que eu nunca tivesse sofrido um aborto natual, eu só faria um aborto em casos de extrema necessidade como estupro ou em casos que o bebê não sobreviveria fora do útero.

Sabendo que a pílula impede a fecundação já foi um alívio. Saber que ela age impedindo que o óvulo e o espermaatozóide se usam já me fez seguir em frente nas pesquisas. A pílula age impedindo ou até mesmo atrasando a ovulação, deixando o corpo da mulher mais lento, atrasando a movimentação das tubas e consequentemente dificultanto a penetração do espermatozóide no muco cervical.

Daí a minha segunda preocupação foi com a amamentação da Mia. Será que atrapalharia a amametação? Será que eu poderia continuar amamentando normalmente ou teria que dar uma pausa?

Muito pesquisando acerca disso descobri que existem dois tipos de pílula do dia seguinte. Um tipo contém estrogênio e progesterona e o outro tipo contém somente com progesterona. E quem amamenta deve tomar apenas essa pílula que contém apenas a progesterona e leva o nome de levonogestrel. A quantidade de hormônios que passa no leite é de 0,01% e não fará mal algum para o seu bebê. Por fim, a pílula do dia seguinte pode ser tomada em dose única de 1,5mg , que costuma ter mais eficácia, ou em duas doses de 0,75mg.

A pílula do dia seguinte é uma bomba hormonal com uma dose igual a sua pílula normal do dia a dia. Só que essa pílula contém 20X mais hormônios do que a dose diária da sua pílula comum de uso diário (a de uso diário contém em média 75 microgramas de hormônios enquanto a pílula do dia seguinte contém 1500 microgramas, ou 1,5 mg – que é a mesma coisa).

Minha terceira preocupação era o que essa bomba hormonal faria em mim, no meu corpo. Quais seriam os efeitos colaterais? Descobri que os possíveis efeitos colaterais seriam os seguintes:

1-Tonturas;
2-Vômitos;
3-Enjôo;
4-Dor de cabeça;
5-Inchaço;
6-Dor nas mamas;
7-Cansaço
8-Irregularidade menstrual: a menstruação pode adiantar ou atrasar. O corpo vai levar alguns meses para se reorganizar.

Se você vomitar ou tiver diarréia é muito provável que você precise tomar outra dose. Fale o mais rápido possível com a sua médica.

Como e quando tomar a pílula do dia seguinte:
No máximo 72 horas depois da relação (3 dias), pois após esse tempo não existe eficácia e cada hora que vai passando a eficácia do medicamente reduz.

Em que situações tomar a pílula do dia seguinte:
1-Quando a camisinha estourar, sair do lugar durante a relaxão sexual ou se foi usada de forma incorreta.
2- Quando uma mulher que normalmente toma pílulas anticoncepcionais contendo estrogênio e progesterona se esquecer de tomar a pílula por dois dias seguidos.
3- Quando uma mulher que normalmente toma pílulas anticoncepcionais contendo apenas progesterona atrasar a sua tomada em mais de três horas.
4-Quando uma mulher que normalmente usa injeções de acetato de medroxiprogesterona (Depo-Provera®) atrasar a sua injeção mais do que duas semanas.
5-Quando uma mulher que normalmente usa adesivos anticoncepcionais os retirar antes ou depois do tempo programado.
6-Quando o diafragma ou preservativo feminino se rompe ou sai do lugar.
7-Quando o DIU que sair acidentalmente.

OBS. A pílula do dia seguinte deve ser usada somente em situações de emergência, não deve ser usado com frequência porque vai perdendo a sua eficácia se for usada várias vezes e também é uma bomba hormonal, como já foi dito.

Infelizmente no Brasil essa pílula é usada com frequência por cerca de 20 a 30% das mulheres.

E a eficácia da pílula?
Caso a pílula seja tomada em até 24hs após a relaxão sexual, a eficácia é de 95%. Entre 24hs e 48hs a eficácia é de 85%. Entre 48hs e 72hs a eficácia é de 58%.

De qualquer forma a pílula pode não funcionar. Caso não funcione e você engravide mesmo assim, o seu bebê ficará bem. Os hormônios não farão mal a ele.

Para saber se deu certo, se a menstruação não tiver vindo, faça um teste de farmácia 3 ou 4 semanas após ter tomado a pílula. Aqui eu fiz um teste 3 semanas depois e deu negativo. Ufa, foi tenso. Quero demais o terceiro, mas a Mia ainda é muito pequena, ainda não é hora.

Não se esqueça de tomar o seu anticoncepcional normalmente no dia seguinte e coloque um alarme no celular todos os dias na mesma hora para lembrar. Desde que isso aconteceu eu não tenho mais esquecido. Agora o marido também me lembra todos os dias, afinal de contas a responsabilidade também é dele.

Fontes:
M de Mulher
M D Saúde
Cria Saúde 

Deixe seu comentário!