Porque o Bebê se Comporta Bem com Todo Mundo Menos com a Mãe

Porque o bebe se comporta Bem com Todo Mundo Menos com a MaeMia sempre foi o meu grudinho. Diferente do Eric que conviveu com os avós até os 11 meses, Mia nasceu na gringolândia longe de toda família e ficava só com a mamãe aqui o dia inteiro.

A princípio achei que fosse esse motivo dela só querer a mãe, mesmo porque com o Eric esse tipo de coisa não acontecia quando eu aparecia. Quando eu apareço perto dela ela chora, resmunga… nitidamente me quer.

Meus pais chegaram para visitar os netos e confesso que aproveitei para dormir um pouco mais. Coisa que não sabia mais que era capaz de fazer há 10 meses (risadas nervosas: hahahah). Após passar a noite em claro, eu entregava a Mia para a minha mãe e voltava para a cama para dormir mais duas horas. Quando eu chegava na sala, onde vovó e bebê estavam brincando Mia começava a chorar ao me ver.



“Pronto, viu a mãe e ela mudou da água para o vinho”
Isso aconteceu todos os dias.

Para a explicação do porque isso acontece, para acalmar o meu coração, recebi por what’s app um trecho de um livro que fiquei com vontade de comprar para ler o resto. Segue o trecho:

“Ela estava ótima até você chegar!” Sobre quando parece que a criança se comporta bem com todo mundo menos com a mãe.
“Todo mamífero espera a sua mãe antes de expressar um sentimento de pavor em voz alta. Na ausência da mãe, é melhor não se manifestar em demasia. Quando mamãe = segurança) voltar, posso descarregar as tensões acumuladas. O mesmo processo está em curso quando a sua filha fica incontrolável com você à noite depois de passar o dia divinamente bem na creche.”
“Ela aguentou situações de estresse sem nada demonstrar e só “sucumbiu” quando você chegou. Às vezes isso é difícil para as mães, que podem ter a impressão de que a criança deixa o pior para elas, ou podem achar que não são boas mães (sobretudo quando o pai reforça: “Olha, comigo estava tudo bem!”).
Choros e crises de raiva são às vezes (frequentemente) simples descargas de tensão dirigidas à fonte de amor incondicional: mamãe. Esse comportamento continuará durante muitos anos ainda; tenha isso em mente quando sua filha adolescente lhe gritar toda a raiva que tem dentro dela. Não esqueça que você é o receptáculo preferido para os seus sofrimentos; não por não ter autoridade (é o que muitas vezes dizem o pai ou mesmo a sua própria mãe), mas porque com você ela se sente segura.”

Trecho de: Filliozat, Isabelle. “Já tentei de tudo!”. Editora Sextante, 2014-09-18. iBooks.”

Não sei você, mas essa explicação me caiu como um abraço, eu precisava disso. Vou comprar esse livro para já. Preciso ler tudo!

3 Comments:

  1. Qual o nome do livro?

  2. Onde compra esse livro preciso de um desse me ajuda

Dê a sua opinião: