Pré-natal – Quais Exames de Gravidez Devo Fazer e Quando?

Pre natal Quais Exames de Gravidez Devo Fazer e QuandoPara uma mamãe preocupada com a saúde do seu neném o pré-natal é um compromisso sério!
As consultas são o momento de tirar dúvidas, falar suas queixas, avaliar se está tudo bem com você e com seu bebê e colocar em dia os exames referentes a cada época da gravidez.
As vezes, o médico do pré-natal pode solicitar um exame e não explicar porque está pedindo, para o que serve o exame, quais doenças ele busca e a importância dele na gravidez!
Mas tudo bem, por que aqui no Mamãe Tagarela você vai poder entender um pouco mais dos principais exames desse momento tão mágico que é a gravidez!

Beta-HCG: Podendo ser identificado tanto na urina como no sangue, o hormônio da gonadotrofina coriônica humana é o principal exame para diagnóstico de gravidez. Resultado positivo? Hora de iniciar o pré-natal! (Realizado na suspeita de gestação)

Ultrassonografia: É um exame de uso muito amplo na obstetrícia, cada trimestre da gestação ele tem uma função e um tipo de avaliação.
-1o. Trimestre: Feito para avaliar se a gravidez está no lugar correto(descarta gravidez ectópica), se existe o embrião(descarta gravidez anembrionada), avalia a placenta (para descartar mola) e faz a datação (ultrassom precoce é ótimo para saber a idade gestacional)
(Realizado entre 11 e 14 semanas)
-2o. Trimestre: Neste período é feito o morfológico. É um ultrassom complexo e demorado, é como um check-up completo do nenê. Avalia coração, o crânio, o abdome, os ossos, líquido, placenta, fluxo de sangue do útero e assim diagnosticar possíveis mal-formações.
(Realizado entre 20 e 24 semanas)
-3o. Trimestre: Utilizado para acompanhar o desenvolvimento. Muito importante para avaliar o peso no bebê, a placenta (localização e descolamentos) e o líquido (se aumentado ou diminuído pode significar alterações no feto)
(Realizado entre 32 e 36 semanas)



Hemograma: As gestantes tem uma leve diminuição na hemoglobina, que é normal, mas deve-se ficar atenta para não desenvolver uma anemia severa.
(Realizado no 1º, 2º e 3º trimestres)

Urina 1 e urocultura: Seu médico pediu exame de urina mesmo sem você estar com nenhum sintoma? Pois é, na gravidez a bacteriúria assintomática (leucócitos aumentados na urina sem sintomas) deve ser tratada para evitar complicações.
Importante também para medir a proteína na urina, que pode ser fator de risco em gestantes com pressão alta.
(Realizado no 1º, 2º e 3º trimestres)

Glicemia de jejum: Algumas mulheres tem tendência a apresentar diabetes na gravidez, mesmo sem nunca terem tido nenhum caso na família da doença. Ela deve ser pesquisada em todas gestantes, pois na gravidez a diabetes pode cursar com mal-formações diversas no feto.
(Realizado no início da gestação e repetido na 26ª. semana)

TSH e T4: Mesmo sem nunca ter tido doença da tireoide, na gravidez deve-se pesquisar esses hormônios, pois a placenta pode desregular o funcionamento da glândula, o que pode levar a aborto ou parto prematuro.
(Realizado no 1º, 2º e 3º trimestres)

Sorologias: Sifilis, toxoplasmose, rubéola, hepatite e HIV. Doenças que podem passar para o neném ainda na barriga ou no momento do parto normal.
(Devem ser realizados no primeiro trimestre e repetido entre 32 e 34 semanas)

Exame de fezes: Investiga parasitas nas fezes, que podem ser a causa de anemia, entre outros problemas.
(Realizado no primeiro trimestre)

Tipagem sanguínea: o fator Rh é de extrema importância e deve ser pesquisado logo no começo. A eritroblastose fetal é uma doença hemolítica causada por incompatibilidade do Rh (ou seja, mãe Rh- que dá a luz a uma criança Rh+)
(Realizado no primeiro trimestre)

Cultura de Streptococo: Realizado entre 36 e 38 semanas. Com uma cotonete o médico colhe secreção vaginal e anal. A intenção é pesquisar por essa bactéria que pode contaminar o recém-nascido no trajeto do parto.

Exame físico: Na consulta do pré-natal o obstetra examina a paciente a para verificar se tudo está nos conformes, esses exames são:
-Altura uterina: Existe uma relação entre idade gestacional e tamanho da barriga. Um útero maior ou menor que o esperado pode significar alterações no nenê ou no liquido amniótico.
-Toque vaginal: O colo deve permanecer fechado até o trabalho de parto. Uma dilatação antes da hora pode necessitar uma intervenção médica.
-Movimento fetal: Com a mão na barriga o médico sente se o nenê se move muito ou pouco. Nenês agitados estão com boa viatalidade.
-Pressão arterial: Controle da pressão é ideal para pesquisar a hipertensão específica da gestação.
-Peso: Gestantes ganham, em média, 12,5Kg na gravidez. O médico deve ficar atento para aumento de peso muito significativo (principalmente em pacientes com edema)

Cardiotocografia: Conforme o nenem se aproxima da hora de nascer, o carditoco ajuda muito a ver se ele está bem. A frequência, o ritmo e as batidas do coração dizem muito sobre um nenê dentro do útero. *O Professor Neme dizia que é pelo cardiotoco que o nene se comunica com o obstetra.
(Realizado dia sim dia não a partir da 38ª semana)

Gestante necessita de cuidados especiais, afinal, o obstetra está cuidando de duas pessoas! Não falte as consultas do pré-natal, siga bem todas as orientações e faça os exames, dessa maneira, você e seu bebê estarão prontos para um parto saudável.

Por Dr. Bruno Jacob, formado em medicina na Universidade São Camilo, especialização em ginecologia e obstetrícia. Foi presidente da Liga da Saúde da Mulher e atende em grandes maternidades de São Paulo e consultório particular.

dr bruno jacob ginecologista obstetra

 

Dr Bruno Jacob
Ginecologista e Obstetra

Facebook Dr Bruno Jacob
Instagram Dr Bruno Jacob
e-mail: drbruno@consultoriojacob.com

Dê a sua opinião: