Quando é a Hora de Ter o Segundo Filho?

Quando e a Hora de Ter o Segundo FilhoSe for ouvir os “conselheiros”, as opiniões serão diferentes: “é melhor ter os filhos seguidos” ou “aproveitem um pouco mais do primeiro”.

A vida do casal mudou quando foram pais e agora pensam em uma segunda criança. A família deseja crescer, e é difícil saber quando é o momento indicado. Porém, algumas questões podem lhe ajudar a pensar e decidir.

• O melhor momento:
Em geral, o tempo médio que o casal espera para ter um segundo filho é de dois anos após ter dado a luz ao primeiro. Nesta idade, a criança tem uma maior independência, o vincula com a sua mãe já tomou um novo rumo e a mamãe se sente preparada para outro bebê.



• O relacionamento do casal:
Não é recomendável que uma criança venha ao mundo em meio a uma crise do casal. Os filhos não melhoram o relacionamento e podem até piorá-lo. O casal deve estar estável e consolidado, e a decisão de ter outro filho deve ser decidida em comum acordo.

• Tudo por dois:
Um segundo filho implica no dobro: dois pequenos para dar banho, de comer, dormir, cuidar, vestir, etc. O trabalho aumenta, mas também a felicidade é maior. Estas questões organizacionais são fundamentais para se levar em consideração na hora da chegada do irmãozinho.
É também certo que pais com segundo filho, vivem a experiência com mais segurança e tranquilidade, pois já tem um treinamento anterior. Ainda que toda gestação seja diferente, muitas das dúvidas que sentiram com o primeiro filho, não aparecem com o segundo.

• Leve em consideração:
◦ A idade da criança: Há estudos que sugerem que é preferível engravidar a partir dos seis meses do primeiro filho. Entretanto, muitos se dividem neste sentido. Na verdade, o momento ideal é quando os pais estão realmente convictos de que chegou o momento.
◦ A situação econômica: vocês podem dar conta dos gastos que demanda um outro bebê? Parece frívolo pensar em dinheiro, mas não é em nada um assunto irrelevante.
◦ Estão preparados para outro bebê? A chegada de um filho gera uma revolução na família e na rotina que conseguiram ter, com muito esforço. Sem dúvidas, as duas mudarão.

• Emoções confusas:
Na segunda gestação, os sentimentos maternos não estão enfocados apenas na “barriga”, mas também na criança que você já tem. Você se preocupa porque não sabe como a chegada do irmão vai afetar ao primogênito. Se questiona se o amará tanto quanto o primeiro. A forma como a mãe manifesta a espera do novo bebê será como o seu filho vai sentir. As crianças percebem tudo, por isto, se os pais vivem com muito amor e alegria, o filho também sente.

• Preparando o filho mais velho:
Em todo relacionamente, a comunicação é a chave. Por isto, é fundamental compartilhar com seu filho, com toda a naturalidade, a grande notícia da chegada do irmãozinho. Costuma ser estranho para ele, vê-lo crescer na barriga e, certamente, terá muitas emoções confusas. Entretanto, se sentirá mais confiante e seguro ao desabafar o que sente.

 

Fontes:
Violeta Alcocer, psicóloga.
Marisa Russomando, psicóloga especializada em maternidade, infância, família e autora de “Rutinas desde los Pañales” (“Rotinas desde as fraldas”- tradução livre), Urano Edic.
Laura Krochik, puericultora, especializada en infância y lactantes, diretora da Asociação Civil Argentina de Puericultura.

Fonte original:
Disney Babble 

Dê a sua opinião: