Toxoplasmose na Gravidez – Como Previnir e Como Tratar

Toxoplasmose na Gravidez Como Previnir e Como TratarÉ só falar em gato, para a gravidinha sair correndo e querer distância. Afinal, contrair uma doença séria, e que pode ser transmitida ao feto, não parece uma boa idéia na gravidez. Mas não é necessário se livrar do seu animalzinho de estimação.
Hoje, aqui no mamãe tagarela, vamos falar sobre uma doença pouco discutida no pré-natal e pouco conhecida pela maior parte das mamães, a toxoplasmose.

Toxoplasma gondii, é o nome do parasita responsável por essa doença, seu hospedeiro principal é o gato.
E como isso ocorre? É dentro do organismo dos felinos que ele se desenvolve de oocisto para taquizoítas.
Traduzindo: O organismo dos gatos é onde o toxoplasma cresce, se reproduz e libera seu “ovos”.
Esses ovos são eliminados pelos gatos através das fezes, e se ingeridos pelo homem farão a contaminação da toxoplasmose. As fezes podem contaminar legumes, água, carne e tudo o que tiver contato.
Assim, a gravidinha não precisa colocar seu gato no olho da rua, basta evitar o contato com a areia e as fezes do felino.

E quais os riscos na gestante?
Para a gravidez em geral, a toxoplasmose aumenta o risco de abortamento, prematuridade e baixo peso ao nascer.



Como identificar a toxoplasmose?
Os sintomas são inespecíficos e podem ser confundidos com uma gripe comum. Dor de cabeça, dor no corpo, fadiga e até nódulos aumentados. Em algum casos as pacientes podem não apresentar nenhum sintoma

Então é muito difícil diagnosticar se uma gestante tem toxoplasmose, certo doutor?
Sim! Por isso que a OMS preconiza que no pré-natal TODAS as gestantes façam os exames de sangue para detectar a doença, e assim, nenhuma paciente deixe de ser diagnosticada.

É possível saber se o feto foi atingido?
Sim! Primeiramente deve-se saber que as chances do feto contrair a toxoplasmose varia de acordo com a idade gestacional que a mãe foi infectada. No primeiro trimestre as chances são de 4,5%, no 2º trimestre elas sobem para 17,3%, já no 3º trimestre chegam a 75%.
O ultrassom é um bom exame para o diagnóstico de infecção fetal, ele mostra alterações no crânio e no abdome que podem sugerir toxoplasmose, mas o diagnóstico definitiva é feito através da pesquisa do parasita no líquido amniótico.

Quais os riscos para o bebé?
Ao nascer, os bebes infectados pelo toxoplasma podem apresentar sinais como coriorretinite (lesões nos olhos), surdez, atraso mental e convulsões. Sim! As repercussões são muito graves.

E existe tratamento?
Existem tanto medicações para evitar a transmissão ao feto, quanto para tratar um feto já acometido. Porém o uso ainda é discutido e o risco-benefício deve ser avaliado.

Na gravidez todo cuidado é pouco, ainda mais quando se fala em doenças com repercussões graves. Por isso deve-se evitar carnes cruas, levar bem os legumes, evitar contato com gatos desconhecidos e tomar água de procedência duvidosa.
Acompanhe todo o pré-natal de maneira adequada, fazendo os exames de rotina e seguindo as orientações do médico. Tire todas as suas dúvidas!

Conheça todos os exames importantes para serem feitos durante a gestação.

 

Por Dr. Bruno Jacob, formado em medicina na Universidade São Camilo, especialização em ginecologia e obstetrícia. Foi presidente da Liga da Saúde da Mulher e atende em grandes maternidades de São Paulo e consultório particular.

dr bruno jacob ginecologista obstetra

 

Dr Bruno Jacob
Ginecologista e Obstetra

Facebook Dr Bruno Jacob
Instagram Dr Bruno Jacob
e-mail: drbruno@consultoriojacob.com

Deixe seu comentário!