Uso de Medicamentos na Gravidez e Amamentação

Uso Medicamentos Gravidez AmamentaçãoPosso tomar Aspirina na gravidez? Buscopan é seguro durante a gestação? Grávidas podem tomar anti-inflamatório? Antibióticos são seguros para o feto? Afinal, quais medicamentos posso tomar e quais devo evitar?

Uma das dúvidas mais comuns entre mamães é querer saber se pode usar o remédio tal durante a gravidez ou amamentação. Quase todas as mães que conheço já se perguntaram isso pelo menos uma vez. Aqui em casa não foi diferente nas duas gravidezes da Thata. É comum nós recorrermos ao Google ou a amigas, mas é preciso tomar muito cuidado com as informações que achamos na internet. O mais indicado é perguntar ao seu médico sobre qualquer remédio específico. Mas para as mães e pais ansiosos, seguem aqui algumas informações importantes sobre segurança de medicamentos.

Certos medicamentos podem ser perigosos, pois eles atravessam a barreira placentária e expõem o bebê a determinadas substâncias que podem ser prejudiciais ao seu desenvolvimento. Isso também acontece na amamentação, uma vez que estas substâncias podem passar pelo leite materno e prejudicar o bebê. Por esse motivo é muito importante se informar sobre o uso de medicamentos durante a gravidez, quais são seguros e quais não são.



O que você precisa saber se está tentando engravidar? Se você está tentando engravidar, você deve saber que a gravidez geralmente é confirmada duas semanas após a concepção. Ou seja, é possível que você já esteja grávida, mas só vai descobrir depois de algumas semanas de gravidez. Nessa fase, o embrião é muito frágil e propenso a ser afetado por qualquer agente prejudicial. Então, se estiver tentando ter um bebê, já fique atenta a essas informações sobre segurança de medicamentos.

Por que o bebê é tão vulnerável nas primeiras semanas? O primeiro trimestre da gravidez é o período em que o bebê é mais frágil e vulnerável a agentes externos. O período mais crítico ocorre entre 8 e 12 semanas, pois é quando os órgãos estão se formando. Sendo assim, o uso de alguns medicamentos nessa fase pode afetar gravemente o crescimento do bebê e causar danos irreversíveis.

Qual é a regra geral para uso de medicamentos na gravidez? A regra geral é não utilizar nenhum remédio! Existem muitos medicamentos que podem ser perigosos para o bebê, muitos deles às vezes estamos acostumados a tomar no dia a dia e encontramos facilmente em qualquer farmácia, sem precisar de receita. Então, é melhor evitá-los por completo. Coloque na sua cabeça que o mais seguro para seu bebê é você passar a gravidez toda sem usar remédio nenhum. Se você sofrer algum desconforto durante a gravidez (enjôo, mal estar, azia, dor de cabeça, dores nas costas, fadiga etc) ou se você pegar uma gripe, consulte seu médico. Ninguém melhor do que um profissional de saúde experiente para te ajudar sem trazer riscos ao bebê.

O que você deve levar em conta se estiver amamentando? Se o médico receitar alguma medicação durante o período da lactação, procure tomar seus remédios logo após seu bebê sair do peito, para dar um intervalo maior para o seu corpo removê-los da do seu organismo. Quando você estiver sob tratamento com qualquer medicamento e estiver amamentando, verifique sempre seu bebê para ter certeza de que ele não está sofrendo qualquer efeito colateral do remédio. Se você observar alguma alteração no comportamento dele (por exemplo, mais sonolento, mamando mal, muito irritado etc), procure orientação do médico.

Segurança de medicamentos:
Há muitos estudos sobre a segurança de medicamentos durante a gravidez. Existem várias classificações que indicam o grau de segurança do uso dessas drogas durante a gestação. Uma das mais comuns é a classificação da FDA (Food and Drug Administration), órgão responsável pela aprovação e monitoramento de medicamentos nos Estados Unidos. Esta classificação foi adotada no Brasil pela ANVISA e agrupa os medicamentos em 5 categorias diferentes de acordo com o grau de risco para o feto.

Categoria A: São medicamentos seguros para se tomar durante a gravidez. Estudos controlados feitos em mulheres não demonstraram riscos ao feto no primeiro trimestre de gravidez e não há evidências de problemas no segundo e no terceiro trimestre. A Categoria A é a mais segura das cinco.

Categoria B: São medicamentos considerados seguros, mas seu uso é desaconselhado.  Estudos realizados em animais não indicaram efeitos perigosos ao feto, mas foram encontrados alguns efeitos colaterais em seu uso. Não existem estudos adequados feitos em seres humanos durante a gestação.

Categoria C: São medicamentos que devem ser evitados durante a gravidez. Estudos em animais concluíram efeitos adversos no feto e não há estudos feitos em humanos. Sendo assim, não existem dados suficientes provando que esses medicamentos sejam seguros. Devem ser utilizados apenas em situações excepcionais em que o benefício de tomar o remédio seja maior do que o risco.

Categoria D: São medicamentos que devem ser evitados durante a gravidez pois existem estudos evidenciando que eles podem ter efeitos nocivos para o desenvolvimento e bem estar do feto, incluindo risco de má formação fetal e aborto. Devem ser utilizados apenas em situações excepcionais, doenças graves ou risco de vida, quando não se puder usar medicamentos mais seguros.

Categoria X: É a categoria de mais alto risco. São medicamentos que não devem ser usados em hipótese alguma durante a gravidez, pois existem estudos comprovando efeitos muito perigosos para o bebê, incluindo risco de má formação fetal e aborto. A utilização de medicamentos nessa categoria é totalmente contra-indicada na gravidez pois os seus riscos são claramente maiores do que o possível benefício.



Em caso de necessidade, os médicos tendem a prescrever medicamentos dos grupos A e B, sempre que possível.

Se você quiser ter uma segurança extra para ter certeza que o remédio não vai passar para o leite, use o site E-Lactancia para pesquisar em que categoria o remédio está. É só jogar o princípio ativo (em inglês) e verificar a informação que o site te dá.

Nunca se automedique. Busque sempre a orientação do profissional de saúde. Automedicação é perigoso para a sua saúde e para a saúde do seu bebê.

Fontes:
Embarazada.com
Drugs.com
ANVISA

Dê a sua opinião: