VBAC – O Que É e Como Conseguir Uma?

VBAC – o que é?

Quando a gente engravida uma sopa de letrinhas aparece na nossa vida, abreviações e siglas desconhecidas vão passando a incorporar o nosso vocabulário. Hoje no meu primeiro artigo aqui no Mamãe Tagarela vamos falar sobre VBAC, sigla do inglês que significa Vaginal Birth After Cesarean, em bom português embora menos usado existe o PNAC – Parto Normal Após Cesariana que quer dizer a mesma coisa. O VBAC tem sido desejado e acontecido cada vez mais, principalmente com a informação de qualidade ao alcance das mães que não puderam ter o primeiro filho por parto normal devido a alguma intercorrência na gravidez ou por conveniência médica, pois nosso país é recordista de cesáreas eletivas. Vamos falar aqui um pouco mais sobre VBAC essa possibilidade de parir normalmente depois de uma cesariana.

Uma vez cesárea sempre cesárea?

Não! Esse é um grande mito que é difundido e que alguns médicos seguem, embora não tenha nenhum embasamento científico. Segundo as evidências temos disponíveis estudos que mostram o VBAC como uma opção bastante segura. O principal risco que se corre nesse tipo de parto, e que amedronta as mães de segunda viagem, envolvem mitos relacionados com a cicatrização do útero. Pelo fato de já ter sofrido incisão (corte) e sutura (pontos) ficaria suscetível a romper, seguindo essa lógica, esse argumento parece plausível, mas não é o que dizem as pesquisas. O risco de ruptura (ou rotura) uterina é de apenas 0,2% dos partos normais após cesárea, de acordo com o estudo feito pelo Sistema de Vigilância Obstétrica do Reino Unido. Em um terceiro parto após duas cesáreas o risco aumenta um pouco mais, entretanto ainda assim segundo o estudo de Tahseen & Griffiths de 2009 os riscos de uma terceira cesárea eletiva e um VBA2C, que significa duas cesáreas anteriores, sao muito semelhantes.

Tem tempo de cicatrização recomendado?

Se o parto anterior tem menos de 15 meses de distancia da data provável do próximo parto configura um fator de risco para ruptura uterina. Então, se você está planejando o segundo bebê e teve uma cesariana e quer um VBAC o ideal é engravidar pelo menos 8 meses depois do parto e quanto maior for a distância entre os dois partos menor o risco, pois o útero estará certamente bem cicatrizado.



E se eu não entrar em trabalho de parto?

Normalmente toda mulher entra em trabalho de parto, porém se por algum motivo não se iniciar no tempo previsto, que é até 42 semanas, embora a maioria das maternidades só espere até 41 semanas, uma indução farmacológica que muitas vezes é feita com prostaglandina, assim como o uso da oxitocina, não são recomendadas em caso de cesárea prévia por submeterem o útero a contrações intensas que podem ocasionar a ruptura uterina. Caso haja necessidade de indução no VBAC serão utilizados métodos mecânicos como descolamento de membranas ou sonda de foley que é um balãozinho que enchem de água para abrir o colo do útero.

Veja como entrar em trabalho de parto de forma natural e veja também as formas de indução que existem.

Em resumo, se a distância da cesariana e do novo parto é igual ou superior a 15 meses, se sua gravidez é saudável e sem problemas, ainda que seja preciso indução as chances de um parto normal com sucesso são enormes e o fantasma da ruptura uterina é uma porcentagem bem pequena. Eu já pude acompanhar alguns VBAC’s, inclusive meu primeiro acompanhamento como doula foi de um bebê com uma circular de cordão, um parto natural lindo e empoderador no SUS após uma cesariana extremamente necessária alguns anos antes.

Uma boa equipe é fundamental para o sucesso do parto e emocionalmente é fundamental ter um apoio para que se tenha segurança sobre a escolha do parto e que os medos sejam dissipados e os fantasmas do parto anterior não atrapalhem o andamento do novo parto. É muito comum comparar, e se aconteceu algo indesejável no parto anterior pensar que pode acontecer novamente, mas cada gestação e cada parto são únicos. Confiem nos corpos de vocês e escolham uma boa equipe ou boa maternidade para garantir que tudo dará certo no seu VBAC.

Beijos e até a próxima.

Eloá Chaignet é mãe, doula e professora de Dança, idealizadora do Cria em Movimento no Brasil e do MaterDanse na França, onde vive atualmente e faz Doutorado em Psicanálise.
Ig @Eloachaignet

Deixe seu comentário!