19 Mitos e Crenças Sobre Amamentação

19 Mitos e Crencas Sobre AmamentacaoOla! Sou Camilla, Consultora de Amamentação e mãe de um guri bem levado que tem 18 meses e que mama até hoje.
Com este post espero esclarecer vários mitos que ouvimos sobre amamentação e que desencorajam muitas mulheres a amamentar. Eu mesma já ouvi vários, e agora como consultora escuto uma quantidade ainda maior!
Fiz uma seleção cuidadosa, pois, se colocasse todos, escreveria um livro!
Tem alguma sugestão de temas ou mitos a serem derrubados? Deixa lá nos comentários! Será um prazer escrever sobre eles! 😉

1- Leite Fraco:
Seu leite não é fraco! Salvo em situações muito específicas, o leite da mãe é rico em nutrientes e possui exatamente aquilo que o seu bebê precisa.  Ao contrário do que normalmente escutamos, o leite da mãe vai suprir as necessidades do bebê sempre que ela conseguir amamentar o bebê em livre demanda, sem controle de duração e horário das mamadas.

2- Leite que Secou:
Se o seio materno está sendo estimulado, ele tem leite. Se houver algum problema no estímulo pode ser que a quantidade diminua, mas se o bebê mama, tem leite! Caso haja real diminuição de produção, a mãe deve amamentar mais vezes, em livre demanda, e procurar orientação para aumentar o estímulo e voltar a produzir normalmente.



3- Mama murcha:
Durante a descida do leite é normal que os seios fiquem inchados. Após a adaptação a demanda do bebê, é natural que os seios parem de inchar muito ou vazar o tempo inteiro. Peito murcho é um ótimo sinal de que seu corpo se adaptou a demanda do seu bebê. Se ele está demandando mais do que o habitual, recomendo ler sobre Picos e Saltos de crescimento, pois provavelmente ele está passando por uma dessas mudanças.

4- “Bico” que não serve para amamentar:
O bebê não mama no mamilo. A pega se dá na aréola e o mamilo pode ou não ajudar para que ela aconteça de forma efetiva.
Mulheres podem amamentar com vários tipos de mamilo diferentes. O que acontece é que algumas podem ter um pouco mais de facilidade e outras tenham que lançar mão de mais técnicas/apoio para que o bebê faça o “engate” de maneira correta.

5- Colostro que não alimenta:
O Colostro é um líquido rico e muito importante para os primeiros dias do recém-nascido. Possui proteínas, carboidratos e funciona também como forma de imunização para o bebê. O estômago do recém nascido possui aproximadamente o tamanho de uma cereja, não sendo necessário nenhum tipo de complemento para “saciar/alimentar” o bebê. O colostro é produzido em pequenos volumes para atender a esta demanda. A descida do leite deve ocorrer entre 48 e 72h após o parto.

6- Amamentar é automático:
Pode ser natural mas não é automático.Na maioria das vezes é bastante cansativo e exige paciência, muita informação e apoio. Para aumentar as chances de sucesso é preciso que seja estimulado o contato da mãe com o bebê logo após o nascimento, e que preferencialmente fiquem em alojamento conjunto no dias subsequentes.
A mãe e outros cuidadores precisam de apoio e orientação quanto ao posicionamento do bebê, pega correta e comportamento do recém-nascido nos primeiros dias, para prevenir possíveis intercorrências na amamentação.

7- Amamentar dói:
A amamentação não deve doer. A dor é é um sinal de que algo está errado. Pode ser a pega incorreta,  o posicionamento do bebê, ou questões relacionadas ao freio lingual e outros. Se a mãe está sentindo dor, ela deve procurar apoio e orientação de uma consultora de amamentação, banco de leite ou outro profissional amigo da amamentação, para que o problema seja investigado e corrigido..

8- Silicone e redução mamária impedem a amamentação:
A maioria das mulheres com silicone/redução conseguem amamentar. Tudo depende do tipo de incisão usada, se houve ou não dano ao tecido mamário ou se houve uma retirada muito grande da mama que possa ter comprometido o tecido mamário. Incisões feitas pela aréola podem ser mais problemáticas em relação aos dutos mamários. Na cirurgia de redução pode haver também o esticamento da aréola e mamilo, que podem precisar de uma atenção especial quanto à pega correta.

9- Seios pequenos ou grandes demais:
O sucesso da amamentação depende do tecido mamário que a mulher tem e não do tamanho seio . O seio é composto em sua maior parte por gordura e em nada afeta além da aparência.

10- Regular horários para amamentar:
Regular mamadas só dificulta a amamentação e pode atrapalhar no ganho de peso do bebê. Amamentar sempre que o bebê solicitar, até que ele mostre sinais de saciedade, é o ideal. Não se deve estabelecer horários para as mamadas. Outros cuidadores e familiares devem ajudar para que a mãe possa se dedicar a amamentação, caso essa seja a sua vontade.

Livre demanda vai garantir o sucesso da sua amamentação, entenda mais aqui.

11- Regular o tempo em cada seio:
Esqueça o relógio. Deixe que seu bebê mame até a saciedade em um seio e depois ofereça o outro, caso ele queira, deixe-o mamar nesse também. O mito do controle de tempo surge a partir do momento em que se começa a querer controlar quanto do leite anterior (mais rico em sais minerais) e do leite posterior (leite mais gorduroso, mais rico em lipídios) o bebê está ingerindo. Esse controle é impossível, pois não sabemos a velocidade com que cada bebê vai mamar, quanto volume vai ingerir,  e nem como se dá a produção de leite daquela mãe. O bebê que mama em livre demanda saberá controlar a sua saciedade e quanto de cada leite mama, sozinho.

12- Pegar sol nos seios ajuda:
Até pouco tempo, achava-se que manter os tecidos da região do mamilo bem secos ajudaria no processo de cicatrização. Hoje sabemos que para que haja a regeneração eficiente, as camadas mais internas do local precisam reter alguma umidade. No caso do sol, o efeito pode ser o contrário, já que a tendência é deixá-los secos demais e prejudicar a regeneração do local afetado. Após amamentar, use o próprio leite materno nos seios para hidratá-los. Contudo, evite mantê-los excessivamente úmidos e abafados, com conchas ou roupas molhadas.

13- Casca de banana ajuda nas fissuras:
O uso da casca de banana como cicatrizante natural para fissuras mamilares não está bem documentado pela literatura científica. Considerando que se trata de uma ferida aberta, não recomenda-se passar nada além de leite materno, pois há o risco de infecção e agravamento das feridas. Outros produtos específicos para o local, como a lanolina, podem ser aplicados com bastante cuidado, colocando o mínimo possível e apenas em cima da fissura, para evitar problemas na pega ou o entupimento de dutos. Hoje, para acelerar o processo de regeneração das fissuras, é possível utilizar a laserterapia, que tem se apresentado como opção segura e bastante eficiente na cicatrização de fissuras mamilares.

14- Não pode comer/beber chocolate/café/feijão etc:
O cardápio de uma mãe que amamenta deve ser bem equilibrado. Isso significa que, a princípio, não existem restrições no consumo de alimentos que são comuns ao seu dia a dia. Caso haja comportamento diferente do bebê após a mãe comer alguma coisa específica, vale observar se acontece novamente e comunicar ao pediatra. Em regra, a mãe pode comer tudo aquilo a que estiver habituada. Para os casos de alimentos que contenham cafeína, é bom maneirar na dose, principalmente quando se amamenta bebês recém-nascidos, que são muito pequenos e mamam o tempo todo.

15- Amamentar emagrece:
Não necessariamente. Amamentar pode ajudar a perder peso caso a mãe mantenha uma dieta balanceada. O gasto de calorias diário para produzir leite não é muito alto, cerca de 700 calorias diárias. Se houver uma alimentação desbalanceada pode ser que não faça diferença nenhuma. O ideal é que exista uma rede de apoio para que essa mulher possa se alimentar de forma balanceada sem se preocupar com calorias, ganho ou perda de peso nessa época.

16- Amamentar faz o cabelo cair:
Durante a gravidez o ciclo de queda capilar normal é interrompido por questões hormonais. O que acontece é que depois que o bebê nasce, o ciclo tende a se restabelecer e caem todos aqueles cabelos que não caíram durante a gravidez. Isso pode ser assustador para algumas pessoas, pois a tendência é que caiam 5x mais fios de cabelo! No entanto, após alguns meses é comum que o ciclo se normalize e a queda ocorra de forma natural novamente. Caso o período se estenda por mais que alguns meses, vale procurar o seu médico para verificar questões hormonais ou dermatológicas.

Descubra como tratar a queda de cabelo no pós parto e porque ela acontece.

17- Amamentar faz o seios caírem/ficarem murchos:
Engravidar e amamentar são processos que normalmente modificam os seios. Não significa que ficam caídos ou flácidos, mas mudanças são comuns nesses períodos. Cada corpo irá responder de uma forma ao ganho de peso, mudanças hormonais e etc. Algumas mulheres notam mais flacidez, outras aumento no tamanho e outras diminuição. É um processo bastante individual.

18- Canjica/cerveja preta aumentam a produção de leite:
Não existem evidências de que a ingestão destes ou outros alimentos aumentem a produção de leite. Para aumentar a produção de leite, o seio deve ser estimulado regularmente pela criança, ou, no caso de aumento para estoque, poderá ser também estimulado com a bomba tira-leite. Atenção especial ao consumo de álcool, que deve ser evitado/controlado durante a amamentação de recém-nascidos.



19- Lavar os seios antes de amamentar:
Exceto no caso do uso de medicamento/substância específico para o local, não é preciso lavar os seios para amamentar.

 

camilla mendes consultora em amamentacao rio de janeiro

Camilla Mendes é Consultora em Amamentação e Educadora Perinatal e atua na cidade do Rio de  Janeiro.
Tel: 21 99688-3111 (what’s app)
E-mail: moira.consultoria@gmail.com
Facebook Moira Consultoria em Amamentação e Educação Perinatal

4 Comments:

  1. Ótimas dicas adoreiiii tirei muita dúvidas quero engravidar nos próximos meses muito bem elaborado Parabéns Camila.

  2. Fazer o uso de de domperidona ajuda aumentar o leite?

  3. Posso me alimentar enquanto amamento? As vezes é necessário mas minha sogra enche o saco dizendo que não pode por que se não a criança fica com problemas mentais. Acho isso ridiculo queria uma opinial sobre o assunto em si.
    Faz mal comer e amamentar ao mesmo tempo?

    • Thata Tagarela

      Pode sim Juliana. Pode comer e beber água à vontade, antes, durante e depois de amamentar. Mesmo porque amamentar dá muita fome e muito sede 😉

Dê a sua opinião: