Alimentação Para Quem Amamenta

Alimentacao Para Quem AmamentaOs primeiros 1000 dias de vida se referem ao período da gestação (270 dias) até o segundo ano da criança (730 dias) e é considerado um intervalo de ouro, que pode determinar o futuro biológico, intelectual e social da criança.

Os potenciais de crescimento e desenvolvimento são influenciados por fatores genéticos e ambientais, incluindo a nutrição. Sendo assim, uma alimentação adequada durante a gestação e nas fases seguintes é fundamental.

O cuidado com a alimentação deve ser realizado na gravidez, durante o aleitamento materno, ao introduzir a alimentação complementar e deve ser mantido ao longo da infância para a garantia de um futuro saudável.



O leite materno é o primeiro alimento do bebê e sua composição nutricional varia, em especial, de acordo com a sua maturidade ao longo do tempo e com a dieta materna. Ele é o alimento mais completo, rico em nutrientes e agentes protetores e não deve ser comparado a nenhum outro.

Sendo a amamentação um dos determinantes para a boa saúde na infância e na vida adulta, as mamães devem ficar atentas a algumas orientações nutricionais, pois embora o seu leite seja, indiscutivelmente, o melhor para seu filho, seu potencial de garantir uma nutrição apropriada pode ser aumentado:

  • Consumir diariamente todos os grupos de alimentos (carnes, leguminosas, cereais, verduras e legumes) e variar dentro de cada um a fim de obter as vitaminas necessárias. O consumo desses nutrientes determina a concentração dos mesmos no leite materno;
  • Evitar alimentos e preparações gordurosas, como frituras e salgados. Dar preferência aqueles que possuem uma gordura boa, como o azeite e os peixes. O tipo de gordura que consome determina a qualidade da gordura no leite materno;
  • Aumentar o consumo de líquidos, principalmente água, para aproximadamente 3L/dia;
  • Evitar o consumo de bebidas cafeinadas, como café, chás, mate e refrigerantes.
  • Não consumir bebida alcoólica de forma alguma. Além do álcool passar para o leite e consequentemente ser ingerido pelo bebê, ele pode prejudicar o reflexo de descida do mesmo;
  • Não realizar dietas restritivas para prevenir deficiências nutricionais;
  • Fazer da amamentação, um momento tranquilo, de troca de afeto e carinho entre você e o bebê. A sucção pelo bebê é o maior estímulo para a produção do leite e os sentimentos agradáveis para a sua descida.

O bebê começa a conhecer os alimentos na gestação, pelo líquido amniótico, e continua esse processo durante o aleitamento materno. Então, além da composição nutricional, seu sabor e cor podem ser modificados pela alimentação materna. Se esta for variada, mais fácil será a aceitação e a introdução da alimentação complementar.

Dar preferência aos alimentos in natura ou minimamente processados e evitar os produtos processados e ultraprocessados são atitudes que devem fazer parte da rotina alimentar da nutriz, assim como da população em geral.

Um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada e balanceada, deve ser inserido na rotina familiar, mesmo que a amamentação seja realizada diretamente pela mãe. Embora a nutriz tenha influência direta sobre o futuro da criança, a partir do leite, essa responsabilidade deve ser compartilhada por todos os familiares.

A busca por informações concretas e as ações em relação à alimentação devem ser realizadas e pensadas em conjunto, como um trabalho diário de paciência e união por todas as pessoas próximas à criança.

 

Foto: Babycenter

priscila e anna nutriped nutricionistas infantil no mamae tagarela

 

Priscila La Marca Pedrosa e Anna Carolina Ghedini escrevem artigos para o Mamãe Tagarela.

Priscila e Anna Carolina são nutricionistas nas áreas infantil e gestacional.

Conheça a página delas, NutriPed, no Facebook.

Dê a sua opinião: