Como Ter Uma Casa Segura Para Bebês Que Engatinham

Como Ter uma Casa Segura Para Bebes Que EngatinhamOs bebês começam a explorar o ambiente ao seu redor  quando começam a engatinhar. Na maioria das crianças, isso ocorre por volta dos 7 a 10 meses de idade, mas algumas podem ser mais precoces do que isso. Aprender a engatinhar não acontece da noite para o dia, mas quando você menos esperar, seu bebê já estará explorando a casa toda e o ideal é já ter uma casa segura para o bebê.

Então, não espere que ele comece a engatinhar por aí para deixar a casa à prova de crianças. O ideal é já ir pensando nisso antes mesmo do bebê nascer, pois nos primeiros meses de vida te garanto que não vai sobrar tempo! Uma das melhores formas para começar a “pensar como um bebê” é tentar ver o mundo da perspectiva dele. Deixar a casa à prova de crianças é uma tarefa importante, mas por que não transformá-la em um momento divertido? Você pode, por exemplo, começar a engatinhar pela casa como um bebê e ir observando e anotando todos os detalhes ao seu redor.

O que você vê que pode ser perigoso para um bebê? Quinas de móveis, portas de armários, fios soltos? Observe tudo que pode machucar ou chamar a atenção do bebê. Bebês são curiosos por natureza, vão mexer EM TUDO o que virem pela frente. Quando o Pititico nasceu, morávamos em um apartamento pequeno que não tinha porta na cozinha, então colocamos um portão para impedir o acesso dele. Certamente a cozinha é o cômodo mais perigoso – fogão, forno, facas, pratos, produtos de limpeza, geladeira, máquina de lavar roupas etc… O risco de acidentes é maior na cozinha.



Se você mora em casa com escada, coloque um portão no topo e outro embaixo, mantendo-os sempre fechados.

Use protetores de tomadas para evitar choques elétricos (eles podem ser fatais). Use protetores de quinas, há diversas opções no mercado. O Pitico gostava de arrancar os protetores de quinas para brincar, então não adiantava muito. Há também protetores tipo fita adesiva acolchoada, que podem ser boas opções dependendo dos móveis da sua casa.

Reorganize a decoração da sala e dos quartos. Porta retratos, enfeites e velas na mesa de centro da sala serão atraentes para o bebê. Esqueça as fotos das revistas de decoração, aquilo não é real nem prático. Logo logo a sala da sua casa será transformada em um grande playground. A não ser que você limite o acesso do bebê na sala.

Use também travas para gavetas e portas de armários, não só para proteger os pequenos dedinhos curiosos de ficarem presos nas portas, mas também para impedir que o bebê tenha acesso aos objetos guardados. Lembre-se, ele vai querer mexer em tudo e colocar tudo na boca. Use travas em todos os cômodos a que o bebê tem acesso mas não confie cegamente nelas um dia elas podem falhar, ou o bebê pode aprender a abri-las ou alguém pode esquece-las destravadas. Não dê chance para o azar e guarde medicamentos, produtos de limpeza, álcool etílico, solventes, inseticidas e outros itens perigosos e venenosos em um armário alto e totalmente fora do alcance de crianças.

No banheiro, convém instalar uma trava de tampa de vaso sanitário. Crianças tem a cabeça mais pesada em relação ao corpo do que nós adultos. Se ela enfiar a cabeça no vaso, pode não conseguir sair e se afogar.

Mantenha mesas, cadeiras e sofás longe das janelas para evitar que elas subam no parapeito. Instalar grades de segurança em janelas e varandas também é uma excelente medida de proteção. Estantes e cômodas devem ser afixadas nas paredes por meio de ganchos de segurança, para evitar que tombem em cima de crianças. O mesmo vale para aparelhos de TV.

Tome cuidado com as cordas de cortinas, venezianas e persianas, elas podem causar estrangulamento se a criança acidentalmete enrola-las no pescoço.

A limpeza do chão da casa deverá ser impecável agora que você tem um pequeno explorador em casa. Objetos pequenos, quando levados à  boca, oferecem grandes riscos de engasgo e asfixia. Cuidado com moedas, botões, miçangas, pedrinhas e objetos pequenos em geral.

Ao arrumar a casa, deixando-a à prova de crianças, seu bebê terá muito mais liberdade para explorar o ambiente (sempre sob supervisão) com o mínimo de risco possível.

Dê a sua opinião: