Crianças Francesas Não Fazem Manha – Opinião Sobre o Livro

Olá! Hoje vim falar sobre um livro que eu li quando o Eric era bebezinho, ou seja, há mais de 3 anos atrás. Na época eu era mãe de primeira viagem, tinha pouca experiência e estava em uma fase que eu estudava tudo relacionado a maternidade.

Uma pausa para explicar um pouco sobre o livro: O livro é de uma americana que mora na França e fica perplexa que as crianças francesas obedecem seus pais e começa a investigar do por quê. O livro defende uma teoria totalmente contrária a teoria do apego. O livro fala do ponto de vista dela da situação. Ela não é psicóloga, nem pediatra. Se não me engano ela é jornalista. O que eu quero dizer com isso é que ela não tem anos de estudo sobre crianças e bebês e que o livro é pura experiência de vida. (tudo bem ser experiência de vida, mas não serve como fonte para estudos). Segue a foto do livro:

Criancas Francesas Nao Fazem Manha Opiniao Sobre o Livro

Agora vamos voltar a minha história: A princípio eu achei o livro o máximo. Era isso mesmo, crianças precisam obedecer seus pais e ponto final.

Me lembro que ela começava falando no período da gravidez, onde as mulheres francesas, diferente das americanas, não ficavam estudando sobre parto, não se importavam muito com os detalhes. Iam no hospital no dia que estavam em trabalho de parto e pronto. Até aí ok, mas o livro vai seguindo essa linha, de que os pais não se importam muito com os filhos, os sentimentos etc.

Confesso que não li o livro até o final. Não gostei do que estava lendo e parei mesmo.


Hoje em dia as pessoas estão escolhendo cada vez mais criar seus filhos com apego e empatia. Crianças são pessoas que sentem dor, frio, medo. Precisam de seus pais. Precisam do amor dos seus pais. Precisam da orientação dos seus pais. E só conseguimos orientar na base da conversa e não na base do grito.

A verdade é que os franceses (tô generalizando aqui viu, gente? Por favor, conheço muito francês que não é assim) em sua maioria, batem nos seus filhos. Batem de deixar marca. Batem até matar!!!! Isso mesmo! Você sabia que NA FRANÇA MORREM DUAS CRIANÇAS POR DIA nas mãos dos próprios pais? Veja aqui a reportagem falando sobre esse assunto.

Então a conclusão que eu chego é que as crianças francesas temem seus pais. Têm medo dos seus pais. Isso não é respeitar. Respeitar é outra coisa e se conquista de outra forma.

Aí eu te pergunto: É assim que você quer criar o seu filho? Se não for, eu desaconselho esse livro. O jeito francês de criar filho não deveria ser parâmetro para nada. Não deveria servir de exemplo para nada.

Se você quiser um livro legal para ler sobre criação de filhos leia Carlos Gonzalez. Qualquer livro dele. Ele é um pediatra espanhol renomado e escreve coisas incríveis, nos fazendo refletir e nos colocando no lugar dos nossos filhos.

Eu, particularmente, prefiro criar os meus com muito amor. Eu gosto de ser o porto seguro deles. Comigo eles se sentem bem, felizes, capazes e seguros. Eles estão aprendendo a me respeitar e não a me temer.

Não vou deixar os meus filhos chorarem até cansar, porque eles precisam de mim quando choram. Pode ser fome, sede, frio, dor. Pode ser um pesadelo e eu estarei lá para dar colo quando eles precisarem.

Algumas coisas são naturais, como criança que não para quieta. Criança que para quieta está doente ( e ela fala no livro como os pequenos franceses ficam quietos diante de seus pais). Então é coisa de criança se mexer demais, querer brincar, pular, gritar, correr… e até mesmo, adivinhe só: fazer manha é coisa de criança!!!

Como pais, nos resta aprender a lidar com a manha e não evitar que ela aconteça.
Não acha?

Aprenda aqui 5 dicas legais de como ter paciência com o seu filho.

3 Comments:

  1. Thata, comprei o livro por recomendação de um amigo, li metade e a cada página ficava mais indignada, não tive vontade nenhuma de terminar de ler o livro. Me identifiquei com tudo que vc escreveu, pelo tanto que li do livro cheguei a conclusão que crianças franceses não fazem manha pq seus pais são totalmente frios.

  2. Prefiro a educação dos franceses.

  3. Eu acho que filhos devem ser criados com amor e carinho sim, mas com limites e sabendo que são crianças e não cabe a eles certas escolhas para que saibam quando e como devem agir. Ok concordo que a brutalidade com as crianças que ocorre na França não é exemplo para ninguém, mas a permissividade e a falta de limites das crianças brasileiras também não é.
    Se a educação brasileira fosse tão ótima não teríamos tantas cadeias lotadas.

Dê a sua opinião: