Mamãezite Aguda – Meu Filho Só Quer Estar Comigo

Mamãezite Aguda Meu Filho So Quer Estar Comigo

mamãezite aguda (tradução livre), como costumamos chamar, é uma fase em que nossos filhos se sentem especialmente apegados às suas mães, choram ao se separar de nós e ninguém mais consegue consolá-los.

Um pouco antes de completar dois anos, meu filho não parava de chamar “mamãe, mamãe”. Passava o dia todo grudado em mim. Quando eu saía do campo de visão dele, ele começava a chorar. Quando eu aparecia novamente, ele me abraçava como se tivesse medo de me perder.

Sim, ele estava passando por uma fase de “mamãezite aguda”.

Por volta dos dois anos de idade, as crianças passam por uma fase em que só querem estar com a mãe. Ninguém mais os consola. Somente a mãe lhes proporciona a segurança que precisam. A criança não quer ninguém mais, nem o próprio pai. Esta é uma fase passageira, porém bastante exaustiva para as mães. Mas devemos encará-la com paciência e usar algumas estratégias para aumentar a confiança dos nossos pequenos, até porque, no final das contas, tudo vai passar.



Quando apenas querem estar com a mãe, quando nossos filhos estão passando por essa fase de “mamãezite aguda”, não ache que eles estão rejeitando o pai. Seu comportamento  não pode ser considerado rejeição, porque nessa fase da vida, a criança ainda não tem a capacidade de se colocar no lugar do outro. Quando nosso filho só quer a mamãe, quando ele apenas quer ficar conosco, na verdade ele está buscando a confiança que pode ter sido perdida por algum motivo, como por exemplo, uma doença recente.

“Não é rejeição ao pai. A criança está passando por uma etapa em que a mãe é a única pessoa que faz com que ela se sinta segura. A mãe é sua figura de apego, desde o momento do nascimento.”

O apego, os laços afetivos que criamos com os nossos filhos se formam antes mesmo do nascimento deles. Logo que vem ao mundo, nosso bebê aprende que em nossos braços vai encontrar segurança, conforto e vai se sentir amado. Ele sente que nada nada vai acontecer a ele enquanto estiver nos braços da mamãe. Deste modo, podemos observar como os bebês entre 6 e 9 meses têm a sua primeira fase de “mamãezite”, quando reagem à presença de estranhos chorando.

Nessa fase dos dois anos de idade, a criança já ganhou autonomia e pode se movimentar sozinha, já começou a falar e a expressar seus gostos e preferências. Já frequenta o parquinho ou a creche, lugares em que ela precisa se relacionar com outras pessoas: crianças da mesma idade e pessoas mais velhas como as cuidadoras. Mas logicamente se sente melhor se estamos perto dela também. Embora os nossos filhos já sejam um pouco mais independentes, continuam precisando de nós da mesma forma que quando eram bebês.

O que pode desencadear esta fase de “mamãezite” aguda?

A “mamãezite” aguda é, como vimos, uma fase de insegurança que nossos filhos atravessam, agarrando-se a nós, mamães, porque dessa forma tudo parece ser mais fácil. Em nossos braços, eles se sentem seguros e confortáveis e sentem que nada de ruim pode acontecer com eles.

Alguns fatores podem desencadear esta fase, como:

 

Quais são os sintomas da “mamãezite” aguda?

A criança:

  • fica constantemente chamando a nossa atenção: “mãe, mamãe, manhê!”;
  • não quer ficar com ninguém além da própria mãe;
  • não quer ser vestida pelo pai, pelos avós, nem niguém;
  • quer que a mãe e ninguém mais dê todas as refeições: café-da-manhã, almoço e janta;
  • só quer brincar com a mãe;
  • chora ou nos chama no exato momento em que saímos do seu campo de visão;
  • fica com ciúmes dos irmãos, sejam mais velhos ou mais novos;
  • demonstra ciúmes até mesmo do pai;
  • não nos deixa fazer nada, querem colo e companhia o tempo todo;
  • agarra nas nossas pernas enquanto andamos pela casa.

 

Como solucionar a “mamãezite” aguda?

Apesar de essa fase ser bem desgastante e estressante para nós, mães, a verdade é que a solução está em nossas mãos. Basta uma boa dose de bom senso. Sabemos que essa fase reflete um momento de insegurança da criança, portanto temos que ajudá-la a recuperar a autonomia e segurança. De que forma? Brincando.

Podemos começar brincando com a criança, seja com construções, bolas coloridas, quebra-cabeças ou algo que a gente saiba que ela goste. Depois de iniciada a brincadeira, levante-se sem que ela perceba e separe-se dela por alguns centímetros. Repare se a criança tem alguma reação. Vá aos poucos aumentando essa distância, mas continue falando e interagindo com ela da mesma forma, para que ela perceba que você ainda está com ela. Com o tempo, você vai conseguir ir se afastando cada vez mais, até conseguir deixá-la sozinha no quarto por alguns momentos. Mas volte logo depois para ir buscá-la.

Leia aqui uma lista com 19 atividades muito legais para brincar com seu filho.

 

É importante também que seu filho aprenda a ficar sozinho com o pai e com os avós. Quando ele estiver interagindo com eles, procure não interromper. Se houver dificuldade de interação, peça para que eles façam atividades divertidas, que contem historinhas, leiam livros e brinquem. Depois de alguns dias, a criança vai se sentir mais confortável com outras pessoas e desgrudar um pouquinho da mamãe!

Essa é uma fase passageira, mas que podemos remediar com um pouco de paciência e muito carinho.

Traduzido e adaptado de Mamá Psicologa Infantil

4 comentários

  1. Letícia comentou

    Estou passando por essa fase, super exaustivo. Meu filho não me desgruda por nada, até mesmo na hora de dormir, se ele percebe que me levantei, ele acorda e chora ou vai atrás de mim.
    Muito difícil não….

  2. Angelica comentou

    Estou passando por isso também ,meu bebê tem 1 ano e 5 meses, estamos tendo problemas na creche e agora ele estranha ate os avós, meu marido me culpa por isso, eu me senti muito mal não sei mais o que fazer, realmente é muito difícil.

  3. Síria Marengo comentou

    Meu bebê tem 1 ano e 4/5 meses e está exatamente nesta fase,não desgruda de mim um minuto!não quer saber do papai,nem dos avós que antes ficava grudado ele quer saber….realmente exaustivo, o papai fica triste e todos perguntam o que aconteceu?!que bom saber que não sou a única e que é só uma fase!👏👏👏😂🙌
    Obrigada por este post esclarecedor!

  4. Cássia Vieira comentou

    Tenho um filho de 4anos ele não desgruda pra nada se preciso me ausentar por uma hora quando volto ele já vem me abraça ,beijar diz que está com saudades até mesmo durante a noite quando está dormindo ele me chama.

Deixe seu comentário!