O Desfralde do Eric com Dicas

produtos utilizados no desfralde do eric

Produtos que utilizei no desfralde do Eric

Eric hoje está com 2 anos e 11 meses e está desfraldado.

Mas tudo começou quando ele tinha 2 anos, quando compramos um penico, sem compromisso, e mostramos para ele para o que servia. Mostramos vídeos de desfralde, mas ele colocava o penico na cabeça, como se fosse chapéu. Não nos importamos porque sabíamos que ele não estava pronto. Era só para ele começar a entender o processo mesmo.

No início de 2016 começamos a notar que ele estava preparado. Estava com quase 2 anos e 5 meses, mas eu estava grávida e tinha ouvido falar que as crianças regridem no desfralde depois que o irmão mais novo nasce. Foi o que aconteceu comigo quando eu era criança e aconteceu com alguns filhos de amigas minhas. Então não me dei o trabalho de desfraldar ainda. Resolvi esperar a Mia nascer e ele se acostumar com a presença da irmã. Mas mesmo assim, começamos a colocá-lo para fazer xixi no penico de manhã ao acordar, porque a fralda geralmente estava vazia pela manhã.



Assim em janeiro de 2016 ele fez o primeiro xixi no penico, com 2 anos e 5 meses.

A Mia nasceu em Março e o Eric até que a recebeu bem. Quando ela estava com 3 meses e o Eric com 2 anos e 9 meses, resolvemos tentar o desfralde com vontade. Aí compramos todo o material abaixo (vou falar sobre cada um deles, para que serve e se realmente ajudou).

Uma coisa bem legal que fizemos, foi colocar o Pocoyo, boneco preferido dele, de cueca e o Pocoyo toda hora ia no penico fazer xixi e fazer cocô. Acredito que isso o ajudou a entender o processo.

Ta aí o Pocoyo de cueca.

pocoyo de cueca

O Pocoyo fazendo xixi – atenção para a seringa que jogava a água do “xixi”

pocoyo fazendo xixi

O Pocoyo fazendo cocô

pocoyo fazendo coco no peniquinho

Aí vocês me perguntam “Mas Thata, como você fez esse cocô? Eu fiz usando cacau em pó, farinha e um pouco de água. Amassei tudo e virou um cocô de matéria orgânica que podia ser jogado na privada para dar tchau.

coco do pocoyo

O desfralde estava indo bem. Eric realmente estava preparo. Eu que não estava. Ele fazia o xixi no penico, dava bye bye xixi, lavava as mãos e colava os adesivos na tabela de recompensa. Aliás, santa tabela de recompensas: ajudou demais!

Mas o cocô… ah o cocô foi um problema. Sempre foi. Eric era aquele tipo de bebê que não se incomodava com cocô, muito pelo contrário, sempre gostou de ficar com cocô na fralda. Antes dos dois anos ele começou a brincar com cocô, se eu estivesse longe e demorasse alguns minutos para tirar ele espalhava no sofá por exemplo (que ainda bem é de couro, fácil de limpar). Uma vez ele estava cochilando no andar de cima da casa (onde estão os quartos) e quando acordou fez cocô. Eu não sabia, óbvio. Levei 5 minutos para subir e quando subi ele já tinha espalhado cocô.

Só que ele tinha parado de fazer isso e quando começamos o desfralde ele voltou a fazer e foi o que me fez desistir, recuar. Eu peguei ele com cocô nas mãos, orelha, cabelo e tive que dar um banho bem dado, bem esfregado. Confesso que nesse dia eu perdi a paciência com ele, como eu não tinha perdido em toda a vida dele. Não bati, sou contra bater, mas gritei e não foi bonito. Não é nada legal fazer isso, principalmente durante o desfralde. Eu tinha um bebê de 3 meses e não estava preparada para desfraldar. Ele estava preparado, eu não. Eu não dormia porque Mia acordava 4 vezes por noite para mamar. Eu andava podre de cansada. Desisti e acabei colocando a fralda de volta nele.

Aí eu pensei “Ah foda-se, nunca vi ninguém com 18 anos de fralda. Quando eu estiver preparada de novo eu volto a tentar”. Não sei qual é a sua relação com palavrão, mas para mim um palavrão bem falado me liberta, assim como nesse momento me libertei dessa questão do desfralde, mesmo com as avós fazendo pressão eu bati o pé e falei que não ia fazer.

Nesse meio tempo fizemos um trabalho de conscientização com ele sobre o cocô. Não adiantou nada usar frases negativas como “não pega no cocô” “não brinca com o cocô”. Sabem o que ajudou mesmo? Tentar ensinar de forma positiva. Falamos para ele “Quando você fizer cocô, coloca as mãos para o alto e fala que fez cocô”. Funcionou que nem mágica e ele parou de colocar as mãos no cocô. Assim ele continuou fazendo cocô na fralda mas sem colocar as mãos. Ele chegava do meu lado com as mãos para o alto para avisar que tinha cocô. Perfeito! Chega de bagunca com caca.

Só que o Eric está matriculado para começar a pré escola no dia 1 Setembro de 2016, com 3 anos. É a melhor escola Montessori aqui da cidade e eu tive que lutar pela vaga, pois não tinha mais. Eu tive que ir inúmeras vezes nessa escola, falar com a diretora, enfim, consegui uma vaga para ele. Mas aí a tia da escola, junto com a diretora, vieram falar comigo que só pode entrar na escola quem está desfraldado, pois eles não trocam fraldas lá.

Aí ferrou, me vi obrigada a desfraldar o meu filho para não perder a vaga na escola. Pensei “ok, ele está pronto para o desfralde, quem não está sou eu, ele vai conseguir”.

Nessa época Eric estava com 2 anos e 11 meses e fiquei a semana inteira conversando com ele que no sábado ele colocaria cueca e teria que passar a fazer xixi e cocô no peniquinho. Acho que isso ajudou.

Sábado de manhã colocamos cueca e pimba: ele passou a ir sempre no penico. Como se nunca tivéssemos desistido do desfralde. No dia seguinte ele já estava indo sozinho no penico. Parava o que ele estava fazendo e ia no penico fazer xixi. Abaixava as calças, levantava as calças e saía do banheiro. Como se ele estivesse desfraldado há um bom tempo.

Não precisamos dessa vez mostrar que o Pocoyo era um menino grande e usava o penico. Não precisamos de tabela de recompensas. Não precisamos de fazer nada mirabolante. Tudo rolou de forma natural.



Mas o cocô… o cocô merece um capítulo a parte. Ele continua fazendo na cueca. Lemos que o cocô é mais difícil das crianças desapegarem e é normal que algumas não queiram fazer no penico. Algumas mães chegam a colocar a fralda para a criança fazer cocô e depois tiram. Aqui optamos por não fazer assim, então ele tem feito cocô na cueca. Ainda estamos estudando e trabalhando para isso. Acredito que em breve contaremos para vocês como foi e como resolver isso.

As dicas que eu dou são:

1-Saiba se o seu filho está preparado para o desfralde e respeite o tempo dele.
2-Tenha tooooda paciência do mundo, para não jogar tudo água abaixo (como eu fiz no caso do cocô).
3-Antes de começar o desfralde leia muito e compre todo acessório que você vai precisar.
4-Escolha começar em um dia que você vai ter mais ajuda com o desfralde.
5-Escolha começar no verão porque muitos acidentes acontecem e o seu filho vai estar sempre molhado (aqui os acidentes continuaram por 1 mês e eles eram vários por dia – era preguiça de  parar de brincar para ir ao banheiro)
6-Leve o seu filho a cada meia hora/40 minutos no banheiro.
7-Tente usar o lúdica, as brincadeiras, durante o desfralde.
8-Tenha muitas, muitas, muitas cuecas. Aqui acho que temos umas 35 e tenho que lavar a cada 2/3 dias.
9-Se você ainda não está pensando em desfralde, tudo bem, você já pode mesmo assim começar a mostrar vídeos, ler livros e compra rum troninho, só para o seu filho ficar familiarizado com o processo.

Agora que já falei muito, vou deixar para outro post os produtos, se serviram, como serviram, se eu recomendo ou não.
Bjs, Thata

2 Comments:

  1. Tem como você fazer um texto explicando a Tabela de recompensas achei legal e queria saber mais tipo como usar e qual idade introduzir para a criança obrigada.

Dê a sua opinião: