Ser Mãe É Emprego SIM, ok?

ser mae é emprego sim resposta ao mundo ovo ser mae nao é emprego

Fonte da foto: Mundo Ovo

Esses dias me deparei com um texto do Mundo Ovo, blog que até então eu curtia… Na chamada na página do Facebook ela, Camila, a autora, diz “Hoje uma moça na fila do banco me disse que o emprego dela era ser mãe. Eu quis chorar de desgosto com a afirmação…” e o link para o post vinha em seguida.

Vou transcrever abaixo um trecho do texto que ela escreveu, mas vocês podem conferir na íntegra aqui (e aconselho que confiram).

Sempre que uma mãe que não trabalha me diz  “meu emprego é ser mãe”, tenho vontade de dizer “moça não diminua a sua importância de ser mãe confundindo maternidade com emprego !”

Daí ela explica que emprego você faz em troca de salário, que pode ser bom ou ruim e que é uma coisa que você pode largar, desistir e trocar quando não quiser mais. Enfim, ela termina dizendo que achou o vídeo idiota O vídeo ao qual ela se refere é o vídeo “O emprego mais difícil do mundo”.



Eu não acho que foi a intenção da autora, mas ela apontou o dedo e julgou muito. Também não acho que tenha sido a intenção dela mas esse tipo de texto incentiva mais ainda a guerra entre as mães. Aquele mesma briga de sempre: mães que trabalham X mães que ficam em casa, mães que fizeram cesárea X mães que fizeram parto normal , mães que amamentaram X mães que deram mamadeira. Gente, pelamor! Quando isso vai acabar??? Mãe é mãe, n’a pas d’importance comme e ponto final (vontade de terminar essa frase com um palavrão, mas daí fica subtendido ok?).

Eu entendo que no fundo ela quis dizer que ser mãe é muito mais do que ter um simples emprego e concordo com ela nisso, porque mesmo as mães que trabalham fora também acordam de madrugada para cuidar dos seus filhos doentes, também fazem comida , levam no médico, se preocupam em que escola colocar, se preocupam com o bem estar da criança e por aí vai… Mãe é tudo igual, não importa se trabalha fora ou não, cada mãe só quer o melhor para os seus filhos e é nisso que somos tão parecidas apesar das nossas diferenças.

Mas do jeito que ela escreveu, não ficou legal… Talvez não tenha sido a intenção, mas passou um ar de superioridade e julgamento. Pelo menos foi essa a impressão que eu tive. E uma coisa que eu odeio é julgamento. Não vou ser hipócrita e dizer que nunca julguei, já julguei sim, mas daí sempre tenho uma amiga de bom senso me dá um toque e eu caio na real da besteira que estou fazendo em julgar a outra mãe. E claro, eu assumo o meu erro.

Nós, mães em tempo integral…

Pausa para a explicação: Algumas mães que trabalham fora não gostam dessa expressão “mãe em tempo integral”. Entendo isso porque provavelmente elas pensam “poxa vida, eu trabalho fora e sou mãe 100% do tempo” e concordo com elas. Como eu já disse acima, mães que trabalham fora estão 100% focadas nos filhos também, mesmo quando estão no trabalho. Vejo isso por algumas amigas que trabalham fora e falam que estão o tempo todo pensando no filho. Não costumo usar essa expressão, mas usei só para explicar uma coisa aqui: as mães que ficam em casa só usam essa expressão para dizer que ficam em casa 100% do tempo, não trabalham fora, entenderam? Não querem de jeito nenhum diminuir as mães que trabalham fora. Então vamos começar essa frase de outra maneira?

Nós, mães que não trabalhamos fora de casa, gostamos de dizer que o nosso emprego é ser mãe e, Camila, isso não significa que estamos nos diminuindo, entendeu? Muito pelo contrário, isso significa que temos muito orgulho do que fazemos e de fazermos “somente” isso.

Moça, eu pelo menos tenho muito orgulho de ficar em casa cuidando do meu filho e nunca me senti diminuída por isso, nunca sofri preconceito por isso (meu filho tem 17 meses) e só agora senti um certo preconceito que veio do seu texto. Não foi essa a sua intenção, mas eu senti.

Moça, ser mãe é um trabalho SIM, e é o emprego mais gratificante do mundo, o nosso pagamento são beijos, sorrisos, abraços e carinho. Claro que mães que trabalham fora também recebem tudo isso, mas esse é o nosso ÚNICO pagamento e estamos satisfeitas com isso.

Moça, não precisa ficar tentando mudar a opinião das mães que dizem que “o meu emprego é ser mãe” porque cada pessoa pensa de uma forma e viva a diferença, viu!

Moça, não existe isso de “sempre uma mãe que não trabalha…” porque todas nós trabalhamos. Ser mãe é o trabalho mais cansativo do mundo. Eu prefiro dizer que algumas mães têm dois empregos (trabalham fora e trabalham em casa) e outras mães “só” têm um emprego (trabalham em casa).

Moça, você não deveria se incomodar com as mães que dizem isso e nem “chorar de desgosto”, elas sentem orgulho do que falam, tá? Elas estão satisfeitas e se sentem completas com isso. Se alguma não sentir satisfeita pode ter certeza que ela vai procurar um segundo emprego (o de trabalhar fora de casa).

Moça, ao contrário do que você diz, conheço muitas mães que largaram os seus filhos para trás, abriram mão da maternidade. A maioria de nós não faz isso, mas temos essa opção sim. A maioria de nós não faz isso porque amamos os nossos filhos, eles são as coisas mais importantes do mundo e por mais que ser mãe seja “o emprego mais difícil do mundo” nós somos fortes e somos movidas pelo amor.

Moça, o vídeo não é uma “piada engraçadinha” o vídeo é uma homenagem à todas as mães, tanto para as que trabalham em casa quanto as que trabalham fora de casa também. E é uma homenagem linda e não tem nada de “idiota”. Você tem todo o direito de não ter gostado da homenagem, mas não diminua a essência do vídeo chamando de idiota e dizendo que é uma piada. Não diminua a mensagem que o vídeo quer passar. Muitos filhos homens e maridos viram o vídeo e passaram a entender melhor as suas mulheres e as suas mães. Sim, algumas pessoas precisam de alguém de fora para dizer e fazer entender esse tipo de coisa.



Moça, nunca precisei provar nada para ninguém e não estou tentando provar nada para você. O único que “tem a ver” com a minha escolha é o meu marido que concorda, respeita e me apoia em tudo que eu faço ou desisto de fazer. Não que eu deva explicações a ele, mas ele é a minha família (junto com o meu filho) e assim como eu tenho a ver com as escolhas dele, ele tem a ver com as minhas. Mas resolvi escrever isso tudo para te explicar o porque tantas mães não gostaram do que você escreveu (inclusive eu).

Pra finalizar, moça, nunca me senti menos importante por ser “somente” mãe, eu sinto muito orgulho disso e vou continuar dizendo que esse é o meu emprego, cabe você aceitar e respeitar, gostando ou não.

Moça, veja tudo isso como uma crítica construtiva, ok?

Ah, e moça, ser mãe é emprego sim!

Dê a sua opinião: