Vacina: Devo ou Não Devo Vacinar o Meu Bebê?

vacina do bebe vacinando o bebeVenho lendo bastante coisa sobre isso porque nos Estados Unidos esse assunto está à tona. Alguns pais decidiram que não precisam vacinar os seus filhos e isso vem trazendo consequências para todo mundo.

Outro dia li a melhor explicação do porque devemos vacinar os nossos filhos. Dr. Tim, o autor, é casado e pai de dois filhos, também é pediatra e explica porque devemos vacinar as nossas crianças.

Ele começa falando da contaminação de sarampo que começou na Disneyland. Essa contaminação se deu por uma criança que não tinha a vacina de sarampo. Também fala que não vai ficar debatendo as questões do movimento anti-vacina, como o Timerosal que não é mais utilizado nas vacinas das crianças ou do mito de que a Tríplice Viral (chamada de MMR nos EUA) cause autismo, pois há mudanças na química do cérebro do autista antes mesmo do nascimento, então o autismo não tem nada a ver com a vacina.



Aí ele começa a falar do sarampo, que é considerado “eliminado” nos Estados Unidos e que a contaminação se dá somente viajando para fora do país. Sarampo é altamente contagioso, podendo ficar no ar e contaminar alguém mesmo duas horas depois. Sarampo também pode ser transmitido antes de ser diagnosticado, quatro dias antes de aparecer qualquer erupção cutânea (uma vermelhidão na pele, como se fossem brotoejas). Ter sarampo é, além de desagradável, perigoso: de 6 a 20% das pessoas com sarampo vão ter infecção no ouvido, diarreia e até pneumonia. A cada 1000 pessoas com sarampo, 1 vai ter inflamação no cérebro e a cada 1000 pessoas com sarampo 1 vai morrer.

Então ele explica que existem quatro grupos de pessoas e que os quatro grupos estão representados na família dele:

1- A Tríplice Viral resulta em imunidade contra essas doenças (Sarampo, Rubéola, Caxumba) para a maioria das pessoas. Duas doses dessa vacina dão proteção necessária que pode ser confirmada em um exame de sangue. A esposa dele, Anna, está nesse grupo.

2- Por volta de 3% das crianças vacinadas, que receberam as duas doses, não desenvolvem nenhuma resposta imunológica. Essas pessoas ficam com poucos anticorpos que não são suficientes para combater a doença. Se essas pessoas entrarem em contato com a doença, elas vão ficar doentes. Ele, Dr Tim, está nesse grupo. Apesar de ter sido vacinado, o seu organismo não respondeu à vacina.

3- Os não vacinados. O filho dele Eli, com 10 meses, é muito novo para receber a Tríplice Viral (cuja primeira dose é dada apenas com 12 meses). Então ele não está protegido contra o sarampo. E crianças que ainda não foram vacinadas e foram expostas à doença têm 90% de chance de pegar sarampo.

4- Existem crianças como, a filha dele Maggie, que não podem ser vacinadas. Crianças que têm câncer. Crianças com o sistema imunológico fragilizado, que são imunocomprometidas. Crianças que são alérgicas a algum componente da vacina (anafilaxia ao ovo). Essas crianças vão estar em risco porque não podem ser protegidas, exceto pelas pessoas vacinadas que estão em contato com ela.

A filha dele, Maggie, foi diagnosticada com câncer e eles, os pais, vinham lutado para salvá-la. Maggie depois de várias internações e muita quimioterapia, tinha acabado o seu tratamento e fez exame de sangue. Estava tudo bem até que Dr Tim, o pai, recebeu uma ligação dizendo que a mulher dele e os filhos foram expostos ao sarampo por um paciente do hospital que não tinha recebido a vacina. E os dois filhos, que não tinham defesa para se proteger contra o sarampo, tiveram que receber várias injeções de imunoglobulina da rubéola (anticorpos contra o sarampo). Eles estão de quarentena sob observação no hospital.

Não vacinar o seu bebê não afeta só a sua vida e a sua família. Ao fazer isso você está colocando as vidas dos outros em risco.

Fonte: Mother Jones (texto em inglês)

Dê a sua opinião: