Por que o Puerpério é Tão Difícil?

Por que o puerpério é tão difícil, já parou para pensar? Porque é tão difícil cuidar de um recém nascido, amamentar, ter disposição, ter que cozinhar, ter que fazer qualquer coisa que seja essencial para a nossa sobrevivência e a sobrevivência da cria.

Até mesmo para se alimentar bem fica difícil, é cansativo ter que fazer uma comida saudável! A vontade que dá é engolir qualquer coisa e tá bom assim mesmo. Não é?

Às vezes fica cansativo até ir ao banheiro! Então eu vou te perguntar novamente, por que o puerpério é tão difícil?



Você me responde que é difícil porque a mulher está se acostumando à nova vida, está se acostumando a ser mãe e que o início é difícil mesmo…

Eu retruco: Nada disso!!!

Sim, é óbvio que o início é difícil porque todo recém nascido requer maior atenção e maiores cuidados, mas eu quero que você pense mais a fundo essa questão, assim como eu pensei mais a fundo quando eu estava no meu puerpério e li um texto muito bom no Amamentar É, chamado “A Armadilha da Mulher Maravilha”

O Dr Daniel Becker, que escreve esse texto, fala que o puerpério é difícil porque em todas as tribos, todas as cidades pequenas no interior, as pessoas se conhecem e se ajudam. A mulher se torna mãe e imediatamente se vê cercada de pessoas que a ajudam com o bebê, que levam comida, que olham o bebê para que ela tome um banho etc. Coisa que não acontece com a mulher de classe média ocidental, que além de não ter esse tipo de ajuda, pois todos os familiares estão trabalhando, o pai também não pode ajudar porque tem apenas 5 dias de licença maternidade.

Nasce um bebê em Copacabana, no apartamento 1104. A avó está trabalhando em tempo integral. O pai só tem cinco dias de licença. A vizinha do 1103 não só não ajuda, como sequer conhece, e ainda reclama do choro noturno. E a empregada diz que só ganha pra cuidar da casa. Ajudar à noite, nem pensar. (A Armadilha da Mulher Maravilha – Amamentar É)

Então a resposta para minha pergunta inicial é: é culpa da sociedade moderna e capitalista em que vivemos. É “culpa” de quem quer ajudar mas não nos pergunta o que realmente precisamos.

A situação é crítica porque é preciso ter dinheiro para pagar as contas, então os familiares que poderiam ajudar estão trabalhando e ao mesmo tempo falta dinheiro para pagar por ajuda (estou falando da classe média).

E a mãe precisa estar bem para amamentar, para cuidar da cria. A mãe precisa estar bem porque se não estiver bem o bebê sente e não fica bem também. O leite também “sente” o estresse da mãe.

E o problema maior é que só descobrimos o quanto o puerpério é difícil quando já estamos passando por ele. Durante a gravidez é só alegria, não planejamos o depois, não planejamos quem vai cuidar da casa, quem vai fazer a comida, não planejamos o nosso psicológico. Durante o puerpério muitas vezes temos a famosa depressão pós parto e muitas das vezes nem sabemos que é disso que se trata.

Assim como um recém nascido bebê temos uma recém nascida mãe, que precisa de colo, carinho e aconchego. Mais do que tudo isso, precisa que você arregace as suas mangas e ajude!

Dê a sua opinião: