10 Dicas Para Preparar Seu Filho Para a Chegada do Bebê

10 Dicas Para Preparar Seu Filho Para a Chegada do BebeA chegada de um bebê muda completamente a rotina da casa. Afeta o padrão de sono e os hábitos alimentares dos pais, que agora têm uma pessoinha totalmente dependente deles para fazer tudo. Da mesma forma, a chegada de um recém-nascido afeta também a vida dos irmãos.

Você pode estar muito bem preparada para a chegada do novo bebê, porém o seu filhote não faz idéia de como a sua vida vai mudar com a chegada de um irmãozinho ou irmãzinha. Este pode ser um momento bastante delicado para as crianças, pois elas passam do posto de filhos únicos para uma posição até então desconhecida, que implica em dividir o tempo, atenção e amor de seus pais.

Então, é preciso preparar a criança para esse evento tão marcante na vida de todos. Mas como fazer isso? Como preparar uma criança para a chegada de um bebê? Há diversas coisas que você pode fazer para ajudar seu filho(a) a começar a se conectar com o bebê antes mesmo de ele nascer e também ir se acostumando com as mudanças na dinâmica familiar que estão prestes a acontecer.



Vamos então às 10 dicas para preparar seu filho para a chegada do bebê:

1- Fale a verdade e não crie falsas expectativas: não vale a pena falar sobre a chegada do bebê como se tudo fossem rosas. Você não é mais mãe de primeira viagem e não tem mais aquela visão romântica sobre recém nascidos. Você sabe como é difícil ficar 100% para o bebê, sabe como é difícil amamentar, ficar sem dormir, comer mal, sabe que o bebê exige muito trabalho e chora muito. Sendo assim, o melhor a fazer é não criar falsas expectativas no seu filho. Não fique falando apenas de como tudo será lindo e que seu filho vai ter um amigão para brincar e se divertir, caso contrário ele vai se frustrar quando descobrir que o parceiro de brincadeiras que ele estava esperando é quase um boneco que fica ali parado sem fazer nada, que só chora e dorme. Você pode sim falar que o bebê vai ser um grande amigo para seu filho, mas deixe bem claro que recém nascidos não fazem muita coisa. Como? Veja as próximas dicas.

2- Mostre vídeos e fotos para seu filho(a) de quando ele era bebê: as crianças tem mais facilidade de entender conceitos quando os mostramos de maneira concreta. Enquanto estiver mostrando vídeos e fotos de quando seu filho era recém-nascido, comente como ele já mudou e se desenvolveu e o quanto aprendeu. Mostre vídeos dele mesmo mamando, chorando, engatinhando, dos primeiros passos e assim por diante. Reforce a idéia de que o bebê que está para nascer também vai ser assim, que no começo não vai fazer muita coisa, mas em breve vai se desenvolver e ficar como ele. Aproveite para mostrar roupinhas que ele(a) usou quando era recém-nascido para ele(a) ter uma noção melhor do tamanho de um bebê.

3- Visite amigos que tenham bebês: uma maneira excelente para fazer uma criança entender o que um recém-nascido faz é mostrando um ao vivo para ela. Explique o que o bebê está fazendo e comente que todos as crianças passam por essas fases. Aproveite pra dar uma pequena lição de anatomia focando naqueles aspectos que diferenciam recém-nascidos de crianças. Mostre o coto umbilical, mostre as perninhas arqueadas de tanto tempo que o bebê fico dentro da barriga da mãe, aponte para como o pescocinho é frágil e ainda não consegue suportar o peso da cabeça, sempre reforçando a idéia de que temos que ser bem suaves e cuidadosos com os bebês.

4- Envolva a criança: agora que ele(a) vai ser o irmão/irmã mais velho(a), é interessante deixar que ele faça algumas pequenas escolhas para o novo bebê para se sentir mais conectado. Quando você estiver comprando o enxoval ou algum objeto para a decoração do quarto, envolva a criança nesse processo. Pode ser simplesmente deixando a criança escolher entre a roupinha X ou a Y, pode ser deixando-o escolher a cor do enfeite de porta ou de algum outro item. Tome cuidado para não deixar a criança perceber que o centro das atenções da família está mudando. O ideal é que a criança sinta que o centro das atenções está se expandindo, ou seja, ela não pode se sentir deixada de lado. Para isso, quando estiver comprando coisas para o bebê, escolha ou deixe seu filho escolher algo também para ele mesmo, ainda que seja uma roupa que você já precisava comprar.

5- Seja cuidadosa com as mudanças: qualquer mudança tem impacto na vida das crianças, pois requer uma readaptação delas à nova realidade. Nós adultos, regra geral, também não gostamos de sair da nossa zona de conforto e fazer mudanças bruscas no nosso ambiente, não é mesmo? Também temos que nos readaptar. Para uma criança pequena, pode ser mais difícil entender as mudanças e se adaptar a elas, isso vai depender de cada indivíduo. Então se você pretende mudar seu filho pra outro quarto para preparar a chegada do bebê, ou se pretende mudá-lo do berço para a caminha, faça-o o mais cedo possível, pelo menos 2 meses antes do nascimento do bebê. Isso para que seu filho(a) não associe essas mudanças à chegada do irmão ou irmã. Essas mudanças podem não parecer grandes para um adulto, mas sair do berço para a caminha é um grande passo na vida das crianças. Se a criança sentir que está sendo “expulsa” de seu quarto e o bebê está agora usando o SEU berço, ela certamente ficará incomodada e poderá ter sentimentos negativos em relação ao bebê.

6- Estimule atividades calmas e silenciosas: explique que para o bebê crescer e ficar forte ele precisa dormir bastante durante o dia, desta forma são maiores as chances de seu filho colaborar um pouco mais com o silêncio da casa durante as sonecas do irmãozinho. Estimule a leitura de livros, pintura, quebra-cabeças, desenhar, colorir etc para serem feitas nas horas das sonecas do recém-nascido.

7- Procure reservar tempo para o filho mais velho e não bagunçar muito a sua rotina: seu filho está acostumado a ser o centro das atenções da família, tudo gira em torno dos seus horários e sua rotina. A chegada do bebê vai virar essa rotina de cabeça para baixo e trazer grandes mudanças. Reserve um tempo para ele, por mais difícil que seja. Procure ao máximo manter a rotina do seu filho, incluindo a creche, passeios, aulinhas de música ou natação. Se precisar fazer ajustes às atividades ou horários, o ideal é fazer com uma boa antecedência à chegada do novo membro da família. Se você também estiver acostumada a brincadeiras mais vigorosas com seu filho – brincando de correr, pular, lutar, rolar no chão etc – é bom gradativamente transformar essas brincadeiras em atividades mais leves ainda durante a gravidez. Encontre outras maneiras de passar tempo com seu filho de maneira que ele não sinta que a gravidez ou o nascimento do bebê ameaçam a sua diversão.

8- Prepare-se para “birra” e ciúmes: os irmãos mais velhos podem se sentir dominados por pensamentos como “meus pais vão deixar de gostar de mim” ou “minha mãe não vai mais ter tempo pra mim” ou “meu pai vai dar mais atenção pro meu irmão que para mim”. Dependendo da faixa de idade, esse pensamento não ocorre de forma estruturada e os pequenos têm dificuldade de entende-los e expressa-los. O que ocorre muitas vezes é uma resposta comportamental. A criança pode ficar mais agressiva, ter mais crises emocionais (vulgarmente conhecidas como “birra”) ou regredir no desfralde, por exemplo. Assim, é importante entender que caso seu filho mais velho passe por isso, ele não está te desafiando nem fazendo isso “de sacanagem”, mas que é uma reação não consciente ao que ele está sentindo.

9- Elogie o desenvolvimento do seu filho: ao elogiar os progressos da criança, ela se sentirá importante e feliz com suas pequenas realizações. Faça seu filho perceber que seu crescimento é motivo de muito orgulho para os pais. Assim será mais fácil ele perceber que comportamentos regressivos não farão com que ela receba mais atenção.



10- O presente do bebê: quando o bebê nascer, compre um presente bem legal para seu filho mais velho, algo que você tem certeza que ele vai gostar. No dia que trouxer o recém-nascido da maternidade para casa, traga o presente junto e diga que é o presente do bebê para o irmão mais velho. Isso cria uma associação positiva imediata, a criança vincula a chegada do bebê à alegria de ser presenteado. Muitas pessoas relatam que isso pode fazer toda a diferença!

A dica de ouro, que engloba todas as anteriores é conversar bastante. Mesmo que seu filho ainda seja novinho e não se comunique direito, acredite: ele entende muita coisa! Converse diariamente, mostre com palavras e gestos que ele é muito amado e sempre será. Se o filhote já for um pouco maior, abra um espaço para que ele possa falar tudo o que sente, todos os seus medos e preocupações. Escute, leve a sério, ofereça carinho e compreensão e reforce constantemente seu amor e proteção por ele, independente desta nova situação.

Fontes:
Rollercoaster.ie
Whattoexpect.com
Espacopotencial.com

Foto:
Wendy Chin

Dê a sua opinião: