Bomba Tira-Leite – O Texto Mais Completo Que Você Já Viu

A bomba tira-leite é um dos itens que gera debate entre as mulheres. Afinal, quando é necessária? A mulher deve adquirir ainda durante a gravidez? Quais os modelos existentes e pra que servem?

A bomba pode ser um recurso interessante e prático quando se trata de ordenha, mas não é item obrigatório, na maior parte dos casos ela auxilia a mãe com sua praticidade e rapidez, e em alguns casos pode ser o diferencial entre conseguir oferecer leite materno no lugar da fórmula. Para esclarecer um pouco as questões iniciais a cerca da bomba, falarei hoje sobre as situações em que ela pode ser usada, qual é o melhor tipo pra cada situação e mostrar brevemente como está o mercado brasileiro hoje para quem deseja adquirir este item.

Alguns casos em que uma mulher pode precisar de uma bomba tira-leite:

Ausência da Mãe por curtos períodos : Se a mãe irá se ausentar por pouco tempo, ou planeja saídas ocasionais por mais de 2 horas, é possível ordenhar manualmente mas a bomba é um recurso útil por ser rápida, principalmente nos casos em que há necessidade de sair sem planejamento anterior.



Ausência da Mãe por Longos Períodos/ Volta ao trabalho : Quando a mãe ficará ausente por longos períodos o ideal é se planejar com antecedência, e mesmo assim, a bomba elétrica ajudará bastante no planejamento do estoque de leite e número de ordenhas ao longo do dia. Muitas mulheres também conseguem fazer o seu estoque de leite com bombas manuais de boa qualidade e outras irão conseguir fazer o seu estoque com a ordenha manual. A bomba neste caso não é item obrigatório mas ajuda bastante a otimizar o tempo e organização.

Estímulo da produção de leite : Em alguns casos a produção de leite pode ser aumentada com o uso intensivo da bomba (de preferência sob  indicação de profissional capacitado) pois o esvaziamento do seio promove o aumento da produção de forma eficiente. A ordenha com a bomba não é tão eficaz quanto o bebê mamando, mas alguns modelos chegam a ser bastante efetivos neste esvaziamento além de promover o estímulo na área. Nos casos de uso intensivo, a bomba acelera o processo e o torna mais confortável e prático para a mãe que precisa ordenhar muitas vezes ao dia.

Prematuridade do Bebê : Considerando o tempo de gestação no qual ocorreu o parto, condições de saúde do bebê, desenvolvimento de diversos reflexos importantes e outros fatores, o bebê pode ser liberado ou não para mamar no seio. Nestes casos é muito importante que a produção de leite seja estimulada pois embora a descida do leite se dê por um processo desencadeado pelo nascimento, essa produção não se mantém caso não haja estímulo correto e efetivo dessas mamas. As ordenhas devem ser feitas com uma frequência parecida com as do bebê (a cada 2 ou 3 horas a depender da avaliação) e por isso pode se tornar exaustiva para a mãe prematura. A bomba neste caso promove um auxílio importante, principalmente as bombas mais potentes de boa qualidade.

Empedramento do Leite : Alguns profissionais e também mães, acham o uso da bomba interessante nos casos de empedramento ou entupimento de dutos, pois auxilia no esvaziamento da mama. O modo mais efetivo e recomendado para esses casos é que o próprio bebê esvazie a mama, sendo a bomba um recurso interessante apenas quando há a impossibilidade do bebê mamar. Se a mama estiver muito endurecida na aréola o uso da bomba pode lesionar o tecido, que deve ser massageado antes. Esta opção deve ser orientada por profissional e feita com cautela pela mãe.

Pular uma mamada no seio : Em alguns casos de fissura, a mãe opta junto com auxílio profissional, pular uma ou algumas mamadas até que ela sinta menos dor para amamentar. Este caso em específico, deve ser orientado pelo profissional pois o uso incorreto da bomba pode piorar a lesão, principalmente por bombas de baixa qualidade. Além da dor, outros motivos podem levar a mãe a optar por pular uma mamada no seio, e ela poderá fazer o uso da bomba nestes casos, como a ordenha é esporádica,  a ordenha manual também é uma opção prática e econômica.

Tipos de Bomba Tira-Leite e como escolher o melhor modelo para você

Bombas Manuais

A maioria das mulheres conhece um ou dois tipos de bomba manual. São encontradas com facilidade em farmácias e lojas de artigos para mãe-bebê. São encontradas em formato de buzina, as de cilindro e de pistão.

Pontos Negativos : Existem muitas marcas de baixa qualidade, estas bombas ruins com frequência danificam o tecido mamário, causam dor ou pioram bastante uma fissura pré-existente. A ordenha pode ser mais demorada cansando mãos e braços. Não existe possibilidade de variação da sucção e mudança de velocidade sem cansaço excessivo.

Pontos Positivos : Econômicas, estas bombas têm um valor bastante reduzido se comparadas às elétricas. Muitas mulheres conseguem tirar bem o leite com bombas manuais de boa qualidade. São silenciosas e facilmente encontradas, tanto nas lojas quanto pra compra de usadas. Não precisam de tomada, pilha ou bateria. São pequenas e possuem uma portabilidade maior.

Melhor uso : Ordenhas esporádicas , nas quais a mãe não precisará ficar muito tempo ordenhando ou repetir muitas vezes ao dia, por muitos dias. Mesmo assim, esta questão é variável de mãe pra mãe. Opte por este tipo de bomba se a príncipio você não possui uma necessidade de ordenha intensiva. Seu melhor aproveitamento será nos casos em que será usadas poucas vezes na semana. Normalmente elas possuem uma garantia curta para trocas e reposição de peças.  Alguns modelos manuais com boa avaliação:

1-Extrator Manual de Leite Phillips-Avent  – Em média R$200 Brasil  –  U$25-30 EUA (foto acima)

2-Ameda One-Hand Bomba Manual – Em média U$35 EUA (foto acima)

3-Medela Harmony Bomba Manual – Em média R$200-300 Brasil e U$25 EUA

4-Bomba Step Up Chicco Em média R$250 (foto acima)

5-Bomba Tira-Leite Manual Lansinoh – Em média R$100-200 (foto acima)

Bombas Elétricas

As bombas elétricas possuem uma boa variedade entre si, inclusive de valor. Possuem um motor que é responsável pela sucção, funcionam ligadas na tomada e muitas também trazem a opção de pilhas/baterias. Alguns modelos também possuem bocal duplo acelerando ainda mais a extração do leite (e em alguns casos aumentando ainda mais a produção), permitindo que se ordenhe as duas mamas ao mesmo tempo.

Pontos Negativos : Possuem um valor mais elevado que as manuais. Algumas marcas e modelos são muito barulhentos. Podem ser bem pesadas e não muito práticas de carregar. As portáteis precisarão de troca constante de baterias e pilhas a depender do uso. Você provavelmente precisará de uma tomada para a maioria dos modelos. A variedade muito grande de tipos e marcas quando apresentadas para a mulher podem mais confundir do que ajudar.

Pontos Positivos : São muito rápidas na extração do leite, normalmente doem menos, e modelos de boa qualidade podem ser muito eficientes na extração. Apesar do valor se foi comprada para uso adequado, costuma ser um bom investimento para quem pode fazê-lo e mesmo assim há opções para aluguel e compra de usadas.

MELHOR USO

I-Bombas elétricas pequenas e de menor potência : Uso esporádico para ausência da mãe em uma ou duas mamadas, por em média dois dias na semana. Também são muito úteis em uso emergencial. Exemplo de Bombas Bem recomendadas de baixa-média potência :

1-Medela Freestyle – Em média R$2600 Brasil – U$300-350 EUA (foto acima)

2-Medela Swing – Em média R$1500 Brasil – U$100 EUA (foto acima)

3-Lansinoh Double Electric®  – Em média R$1000 –  U$100 nos EUA (foto acima)

II- Bombas elétricas de potência média/alta: Volta ao trabalho, ausências maiores da mãe, necessidade de estoque de leite e ordenha frequente. Algumas destas bombas possuem a opção de bocal duplo, acelerando e melhorando a ordenha e o estímulo.  Exemplo de Bombas Bem recomendadas de média-alta potência:

1-Medela Pump In Style®  Em média R$1500-2000 – U$200EUA (foto acima)

2-Ameda Purely Yours® Em média U$100-150 EUA (foto acima)

3-Hygeia EnJoye Em média U$ 270 EUA (foto acima)

III- Bombas elétricas de potência alta (e com bocal duplo) :  Manutenção da amamentação na impossibilidade do bebê mamar, mães que ainda não estabeleceram a amamentação e apresentam dificuldades, mães com bebês prematuros, mães que estão impossibilitadas de amamentar por questão de saúde, mães que tiveram redução mamária com comprometimento da produção de leite, mães em processo de lactação para bebê adotivo.

As bombas elétricas de alta potência, tem um valor muito elevado. Caso não haja possibilidade de locação deste modelo, a mulher pode optar pelo melhor modelo de média potência que conseguir e se puder, bombear as duas mamas ao mesmo tempo.

Exemplo de Bombas Bem recomendadas de alta potência:

1-Ameda Elite Em média U$1300  EUA (foto acima)

2-Medela Lactina Select -Em média R$10.000 Brasil – U$ 1500 EUA (foto acima)

3-Medela Symphony Em média  R$ 20.000 Brasil – U$2000 EUA

4-Spectra S2 Plus – Em média U$ 150-200 EUA (foto acima)

QUAL É O MELHOR MOMENTO PARA COMPRAR UMA BOMBA?

Caso você tenha certeza que ficará longos períodos longe do seu bebê, pensar na compra da bomba com antecedência poderá ajudar. No exterior as bombas custam muito mais barato do que no Brasil, então, se você já sabe que voltará muito cedo ao trabalho ou que precisará se ausentar por muito tempo, e quiser investir, tente comprar fora! Traga em alguma viagem ou verifique se algum amigo pode trazer pra você.

Se você ainda não tem certeza da necessidade, não compre. Espere para comprar se a necessidade surgir. Há também a opção de alugar bombas, o que pode ajudar bastante em termos de planejamento e custos.

Aluguel de Bomba Tira-Leite:
Rio de Janeiro  e São Paulo http://www.cantinhodamamae.com.br
Santa Catarina http://www.qualyleite.com/
São Paulo  http://www.leitedobebecia.com.br/
São Paulo – http://www.mamizem.com.br
São Paulo – http://www.leitefacil.com.br

OBS. Lembre-se sempre de verificar as normas de higiene e dê preferência para locais que possuem certificação da Anvisa ou órgão local equivalente.



Dicas Importantes

  • Procure bombas de marcas reconhecidas e com bons relatos. Evite na medida do possível, comprar bombas de marcas que possuem como seu negócio principal a venda de mamadeiras e fórmulas.

  • Esteja atenta ao tempo de garantia do fabricante e da loja, normalmente o tempo de garantia significa o tempo de vida útil da bomba. Observe estes dados principalmente para o caso do aluguel ou repasse de bombas usadas, já que o seu tempo de uso influi diretamente no estado do motor e consequentemente na eficiência da ordenha.

  • Verifique se a bomba que você escolheu possui diferentes tamanhos de bocal, pois a eficiência da ordenha, assim como o conforto, está diretamente ligada ao ajuste do bocal no mamilo.

  • Certifique-se de que você poderá encontrar peças avulsas para reposição da sua bomba em caso de dano e como é a assistência local para reparos.

  • Caso haja a possibilidade, experimente a bomba antes de compra-la, através de amigas, de aluguel, ou de local que aceite devolução.

Espero que com essas dicas você consiga definir qual é o melhor tipo de bomba para você e se vale a pena compra-la. Lembre-se sempre de que a ordenha manual é uma opção prática, gratuita e possível, na maioria dos casos.

 

camilla mendes consultora em amamentacao rio de janeiro

Camilla Mendes é Consultora em Amamentação e Educadora Perinatal e atua na cidade do Rio de  Janeiro.
Tel: 21 99688-3111 (what’s app)
E-mail: moira.consultoria@gmail.com
Facebook Moira Consultoria em Amamentação e Educação Perinatal

Deixe seu comentário!