10 Dicas de Como Lidar com Chiliques, Birras e Ataques de Raiva

birras chiliques e ataques de raivaOi mamãe, papai, vovó… e quem mais tiver passando por essa fase, que é pesaaaaada! Ai como estou sofrendo aqui, gente! Que difícil! Que dureza! Que puxado! Força na peruca, pessoal!!!

Bom, andei lendo bastante sobre o assunto porque a fase chegou para ficar aqui em casa e é difícil demais lidar com isso. Ainda mais para uma mãe de primeira viagem, né?

Descobri que a fase dos temíveis 2 anos (ou terrible twos como chamam aqui) começa na verdade quando a criança faz 1 ano e vai até 3 anos (as vezes até 4 anos!). Aqui em casa começou com uns 16 meses mais ou menos, mas na maioria dos casos começa com 18 meses (1 ano e meio).



Vamos tentar entender porque as birras e chiliques acontecem e como lidar com eles? Quando os ataques de raiva são considerados normais ou quando são um problema? Segura na minha mão e vem comigo porque eu também estou nesse barco! Escrevi 10 dicas para nos ajudar nessa fase difícil.

 

Por que as crianças fazem isso?

Ao contrário do que a maioria pensa o seu filho não está tentando te manipular, não está tentando te testar, ok? De 1 a 2 anos as crianças começam a entender muita coisa que os adultos falam, muito mais do que você imagina, mas eles ainda não conseguem se comunicar verbalmente, pois eles não têm vocabulário para isso. Quando era um bebê (0 a 1 ano) ele se comunicava com choro, agora ele se comunica com esses “ataques” (além do choro também). Esses ataques de raiva se dão porque a criança quer comunicar algo e não consegue, então ela fica frustrada. Como por exemplo: “tô com fome”, “me dá aquele binquedo ali”, “troque a minha fralda”. Muitas vezes a criança quer alguma coisa, você não atende e pronto, começa a crise…

Já para crianças maiores, de 3 a 4 anos, os ataques de raiva têm motivos diferentes. A criança nessa idade já tem certa autonomia e têm vontades e desejos. Não ter as suas vontades realizadas pode ser o motivo de uma crise de birra por exemplo.

 

Como reconhecer uma crise?
A criança chora, berra, uiva, se contorce, se joga no chão, se debate, algumas vezes segura o ar até ficar vermelha e algumas crianças ficam agressivas dando tapas e tentando bater e chutar alguém ou algum objeto ou até mesmo tentando se agredir.

Se uma crise de raiva colocar em risco a integridade física da criança é dever dos pais protegê-la e contê-la, tirando-a do local e levando para outro até que tudo se acalme. Mas não abrace e não bata!

 

O que fazer durante uma crise?
O ideal é você perceber quando a crise está chegando, aí fica mais fácil de controlar. Com o tempo os pais conseguem sentir antes da criança explodir. O indicado para evitar a crise é distrair a criança. Mostre um brinquedo, chame atenção para outra coisa, tire o foco do motivo da crise. Mesmo durante a crise você pode tentar desviar o foco. Se não funcionar siga o passo a passo abaixo.

10 dicas do que fazer quando a criança explodir.

1- Como eu já falei: distraia, mude o foco, mostre algum brinquedo, dê um biscoito, chame atenção para outra coisa. Estou repetindo porque esse é o mais importante a se fazer e é o que funciona melhor aqui em casa.

2- Mantenha a calma! Não grite e não perca a paciência. É, eu sei que é difícil! Eu mesma tenho melhorado muito nesse quesito. Para evitar de perder a paciência, se for preciso, saia do mesmo ambiente, respire fundo, conte até 10 e pense que o seu filho está fazendo isso porque precisa da sua ajuda. Gritar só vai piorar a situação e além disso você serve de exemplo para o seu filho. Nessa fase eles estão aprendendo muita coisa e muito rápido, você não quer que ele aprenda que a agressividade é o caminho para lidar com os problemas, certo? Então dê o exemplo, por mais difícil que seja.

3- Fique com o seu filho o tempo todo. Não abrace durante as crises, não dê carinho, não fale com voz doce. Mas fique com ele. Sente com ele no chão, ou abaixe até ficar na mesma altura e mostre que você está ali para ajuda-lo. Não vire as costas e nem ignore, pois quando a criança se sente abandonada a situação piora e não é bom ela. Só saia do ambiente se for para você se acalmar, mas volte logo. Não adianta conversar enquanto ele estiver dando um chilique, espere a crise passar.

Saiba porque a Terapia do Abraço funciona melhor em várias famílias e como aplicar.

4- Não ceda! Se você ceder a mensagem que você está passando é “birra funciona” e assim vai reforçar esse tipo de comportamento. As vezes aqui em casa eu estou preparando a comida dele e ele começa um chilique. Eu distraio ele, espero passar e aí sim dou a comida.  Pois assim ele aprende que só ganha se estiver calmo e não reforça o mau comportamento.

5- Quando a crise passar converse sobre o que levou a crise, como por exemplo “você tem que ser mais paciente e esperar a mamãe preparar o almoço”, “a mamãe não tem dinheiro agora para comprar esse brinquedo para você” e por aí vai. Acredite que a criança já entende o que você fala a e converse com ela. Depois da crise, e de conversar, pode e deve abraçar e beijar, é uma maneira de dizer que você está ali para ajuda-la a encontrar o equilíbrio dela e que pode contar com você.

6- Rotina sempre! Criança gosta de rotina e se sente segura assim. Gosta de saber o que está por vir. Gosta de saber o que pode ou o que não pode fazer. Geralmente quando a criança sai da rotina as crises de nervosismo podem acontecer.

7- Informe o que está por vir: Como eu já disse, a criança gosta de saber o que está por vir. Quando estiverem indo à um restaurante, por exemplo, diga ao seu filho “Fulano, mamãe tá pedindo para você sentar e comer o seu jantar hoje comportado. Eu sei que você consegue fazer isso! E se você se comportar, quando chegarmos em casa, você poderá assistir a um desenho”.

8– Não tente humilhar a criança ou fazê-la obedecer à força, pois isso vai ser ruim para a auto estima da criança. Uma boa opção é dar duas opções à ela “quer vestir o pijama verde ou o azul?” “Quer colocar o sapato cinza ou o branco?”. Algumas mães relatam que isso ajuda bastante. Se não houver opção, explique que é aquilo que tem que ser feito e pronto. Por exemplo “hoje nós vamos ao aniversário do seu avô” ao invés de perguntar se a criança quer ir. Obrigação não é opção e a criança deve entender isso desde cedo, mas sem forçar e sem perder a paciência, conversando muito e explicando com voz calma e firme.

9- Florais de Bach para ajudar a reestabelecer o equilíbrio. Sempre que o meu filho tem um ataque de raiva aqui em casa eu dou quatro gotinhas do rescue kids. Muitas vezes resolve sozinho, outras vezes dá uma acalmada na crise que se resolve alguns minutos depois.

10- Se o seu filho for mais velho, por volta de 2 anos e meio a 3, numa idade que já entenda causa e consequência, pode tentar dar um castigo, como deixar um minuto sentado em um canto, ou tirar um brinquedo que ele goste muito por um dia. Deixe claro que essa punição é por causa da birra que ele fez.

Na verdade esse item 10 é uma dica clássica que muitas mães, educadores e pediatras dão. Mas quanto mais eu leio sobre o assunto, menos tenho vontade de fazer. Tenho certeza que aqui em casa não usarei o cantinho do castigo, mas ainda preciso estudar sobre o assunto para saber os prós e os contras e para saber como substituir. Assim que eu estiver por dentro do assunto escreverei para vocês.

 

O que mais funciona aqui em casa.
O que mais funciona aqui é distrair, mudar o foco sabe? Eu mostro um brinquedo, um desenho, mostro qualquer coisa, chamo atenção para outra coisa. Se não funciona eu dou 4 gotinhas de florais de Bach eu vou para outro cômodo da casa e tento distrair lá. Tenho resolvido bem rápido as crises fazendo assim.

Entenda como fazer muidar o foco seguindo a regra dos 3 segundos.

Meu filho fez escândalo na rua, e agora?
Eu entendo, dá vontade de cavar um buraco no chão e enfiar a cabeça, não é mesmo? A criança começa a ter um ataque de raiva e todo mundo em volta pára e olha. Pronto, você fica para morrer de tanta vergonha.

Primeiro de tudo respire fundo e pense que todo mundo ali já passou ou vai passar por isso. Muitas mães olham na verdade de maneira solidária (eu sou uma delas) e também é um certo alívio ver que isso não acontece só com você. Então tente ignorar a presença das outras pessoas e siga com calma os passos acima.

Leve sempre na bolsa o brinquedo preferido do seu filho, esconda alguns dias antes porque aí ele vai ter ficado alguns dias sem ver e o brinquedo se torna um atrativo novamente. Também pode levar alguma coisa que você possa dar para ele comer caso ele seja amante de comida, para tentar evitar uma crise ou distraí-lo. Um livro também é uma boa opção para você ter sempre contigo. Use esses truques cada vez que você sentir uma crise vindo ou até mesmo durante a crise.

Se precisar tire ele no ambiente onde ele teve a crise e depois que se acalmar volte para o local. Por exemplo, se vocês estão em uma loja e ele teve uma crise, saia da loja, converse com ele e depois volte (se precisar voltar).

 



Mas será que tem alguma coisa de errada com o meu filho?
Se você acha que tem alguma coisa de errado com o seu filho vale leva-lo a um especialista. Converse com o pediatra e leve a um psicólogo infantil. Eu sempre digo aqui que intuição de mãe não falha nunca (ou quase nunca) e deve ser levada muito à sério.

Os ataques de birra comuns acontecem por algum motivo e são geralmente dirigidos à alguém. Se a birra acontece diariamente, de forma agressiva e sem motivo, pode ser sinal de problema.

 

ja tentei de tudoUm livro que está muito bem recomendado pelas mães é o “Já Tentei de Tudo” de Isabelle Filliozat, da Sextante. Eu não li então não posso dar a minha opinião, mas se alguém tiver lido e quiser fazer algum comentário sobre o livro, tem uma caixa de comentários ali embaixo.

Mamãe, eu preciso de muita força porque estou passando por isso. Se você tiver alguma dica ou história para me contar, sinta-se à vontade para compartilhar comigo. Ficarei muito agradecida!

 

Tá na fase do desfralde? Aproveite então para ver se o seu filho está pronto para desfraldar, que itens legais para usar no defralde e como fazer o desfralde sem traumas para você e para o bebê.

Fontes:

Revista Crescer
Nestlé Portugal
Baby Center
Delas
Parents

42 Comments:

  1. Olha, eu já tentei de tudo. Sigo os passos que você sugere. Às vezes nada parece funcionar. Às vezes perco a paciência. Já pensei que tinha algo de errado com ele (o mais velho). Levei-o numa psicóloga infantil e ela me disse que se alguém tinha um problema era eu. Tenho mais paciência com o mais novo (2 anos) e sempre fui mais impaciente com o mais velho (4 anos). As birras e chiliques não terminaram quando completaram 2 anos. Já passei vergonha, já me omiti, senti muita raiva e vejo como sou limitado e imperfeito. Nunca pensei que fosse tão desafiador. Espero que isso melhore, pois eu não deixo de levá-los para restaurantes, museus e viagens (muitas internacionais). Minha mulher disse que eles são crianças normais e que está tudo bem. Acredito nela. Agora, eles são uns anjos quando dormem.

    • Thata Tagarela

      Oi Fabrício, desculpe a demora em responder, o seu comentário tinha ido parar em SPAM não sei porque e só vi hoje. :( Primeiro de tudo eu não sou uma pessoa paciente, mas tenh otentado trabalhar isso. Realmente a sua mulher tem razão. São crianças. Quando perdemos a calma perto deles estamos os ensinando a perder a calma com tudo na vida. Nossos filhos são nossos espelhos. Sugiro para você a leitura d eum artigo que escrevi sobre como tentar manter a calma. Desde que comecei a fazer assim eu tenho sido muito mais pacientes. Fabrício, ninguém é perfeito. Não se culpe e não se julgue por isso. Tente dar o seu melhor e é isso. Quanto as birras dizem que passa por volta dos 4 anos, então já deve estar para melhorar. Mas aí volta na adolescência né.

      O artigo que falei é esse aqui:

      http://www.mamaetagarela.com/5-dicas-essenciais-de-como-nao-perder-a-paciencia-com-o-seu-filho/

    • Kkkkkkkkkk. estamos no mesmo barco Fabrício. Meu filho está nessa fase terrível, quase perco a cabeça. Concordo são uns anjos quando dormem. Kkkkkk

    • Meu filho está começando isso agora. Nesta semana mais precisamente, e quanto mais leio, mais vejo que o problema sou eu. Mas vou fazer de tudo por ele. Agora está beeeem mais fácil de lidar sabendo das causas das irritações e birras.

  2. Thata realmente não é fácil , eu e meu marido estamos nos perguntando onde estamos errando , tenho um filho de 03 anos e uma filha de 06 anos, o de 03 é mais compreensível que a de 06, a maior parece que regrediu, agora se quer uma coisa e dizemos não , pronto começa a gritar e dizer que nos odeia , que somos os piores pais do mundo , isso em qualquer lugar, já perdemos a calma várias vezes e apelamos para as palmadas, já tirei da dança que ela gostava , já coloquei de castigo , mas parece que ela fica pior, e nos tira do sério, não sei se é a forma de chamar nossa atenção pra ela já que temos o outro menor, mas sei que está muito difícil, me pego lendo vários blogs que dizem que nessa idade já não deve ter birras, que tem vários transtornos e estou super preocupada , não sei o que fazer.

    • Thata Tagarela

      Luciana, se me permite um conselho: leva em um psicólogo infantil. Só uma pessoa capacitada para ajudar vocês. Isso não me parece ser birra, mais parece que ela quer mesmo chamar atenção ou ciúmes da menor. Não sei dizer e não quero dar palpite errado. Um psicólogo infantil que estuda o desenvolvimento das crianças vai saber melhor o que está acontecendo com ela e vai saber orientar vocês. Eu tentaria essa cartada 😉

  3. Isabela Fagundes

    Meu filho fica ótimo comigo, mas toda noite quando o pai chega em casa ele dá escândalo, faz birra, bate. Antes mudar o foco adiantava, agora nada mais adianta! O pior é q meu marido não tem a menor paciência, grita muito e as vezes passa dos limites. Eu não sei o q fazer pq preciso controlar pai e filho! Sei q estou absurdamente cansada e começando a perder a paciência também… =(

    • Olá, Isabela, meu nome é Sabrina e passo por algo parecido. A diferença é que meu marido tem paciência, mas não entendo porque minha filha muda quando ele chega. pelo menos três vezes na semana ele chega e ela já está dormindo. Nas outras, ou chega e eu estou no meio do processo banho, jantar ou logo que sai da escola. neste último caso, ela fica melhor, mas quando chega no meio do processo é um festival de birras, tanto pra ele quanto pra mim! e antes estava numa boa! ao mesmo tempo, passa a me excluir de tudo, só quer o pai pra colocar pijama, botar pra dormir… não sei o que acontece, até pq ela sente muita saudade e ele fica frustrado de correr pra casa pra vê-la e virar esse estresse :(

  4. Adorei seu post!! Na verdade tudo é maravilhoso estoi devorando tudo kkkk… Unica coisa é que acho que não devemos dar comida para desviar a atenção nem quando a criança passa por algo ruim… Isso ensina que a comida é válvula de escape… Torna nossos filhos essas pessoas que comem para engolir as mágoas… Li isso em algum.lugar e achei muito certo!!!
    Um beijão e obrigada pelos textos maravilhosos!!!

  5. Não entendi é pra abracar ou não?a terapia do abraço então não ajuda pq?

    • Thata Tagarela

      “Depois que eu li aquele texto super detalhado da Stheffany Nering que explica como o cérebro funciona durante as birras, a minha visão da birra mudou completamente, da água para o vinho.”
      “Considerando que essas crises no meu filho tem um fundo fisiológico eu comecei a agir diferente de como eu agia. E funcionou!”
      “Não é fácil e muitas vezes o efeito não é imediato, mas aconselho que você tente em casa por um bom tempo para ver como é melhor do que ignorar, bater, gritar de volta ou qualquer outra coisa que, talvez, você já possa ter tentado (nesse último pedaço está linkado esse texto aqui).”

      São trechos do texto “Terapia do abraço”. Bjs

    • Thata Tagarela

      Me passaram que era para se fazer dessa forma e na época eu fiz. Sou mãe em constante aprendizagem sobre maternidade. Assim como todas mães, eu errei (e muito). Depois de ler o texto da Stheffany Nering sobre como funciona o cérebro durante uma crise, eu mudei a minha maneira de lidar com as crises. Deixei seguir os meus instintos e parei de seguir o que as pessoas me falaram para fazer. Depois de um tempo descobri que isso se chamava “terapia do abraço”. Aqui funcionou melhor. Mas o que vai funcionar melhor para você? Aí não sei, só testando para ver. Eu recomendo que se teste a terapia do abraço primeiro. Bjs

  6. Eu simplesmente grito,xingo,e as vezes bato pq eh demais sabe. Meu filho vai a psicóloga ela diz q ele é uma criança normal,não é agressiva,e q muita das vezes faz pra chamar atenção e disse q o problema sou eu (entrando em depressão). Ele tem hiperatismo também . Não é fácil gente

  7. Thata…realmente está fase não é fácil. Tenho um filho de dois anos e dez meses, frequenta a creche o dia integral. Há duas semanas faz birras uma vez ao dia. Tentei dar umas palmadas, mas vi que não estava trazendo resultados positivos. As birras deles são da seguinte forma: não quer assistir TV e não quer que eu assista ou que ninguém assista, como se ele quisesse mandar em todos que estão ao seu redor. Se contrariado na hora de tomar banho por exemplo, não quer que eu saia do banheiro e não quer sair……é de perder a paciência mesmo.
    Ele fica muito nervoso, vermelho e grita muito, nestas horas ele só diz não quero tomar banho, não quero assistir TV assim para adiante….
    Estou lendo alguns blogs e comentários para saber qual deve ser minha ação perante está situação. O que deve fazer? Qual atitude devo tomar? Se devo dar atenção para ele ou não?
    Tenho muitas dúvidas ainda…. quanto tempo demora para passar esta fase….eu chamo isso de uma fase…não sei!.

  8. Adriana Sales Cerqueira Hilda Laudiceia Cerqueira

    E quando a criança já está com seis anos e ainda age desta forma,sendo agressiva e birrenta o que fazer? Já comecei um acompanhamento com psicológico, mas ainda não surtiu efeito.

    • Thata Tagarela

      Muita paciência, Adriana. Tratamento com psicólogo demora a surtir efeito. Talvez seja o caso de procurar outro especialista para dar uma opinião. O que o pediatra fala sobre isso?

  9. luis carlos pires

    BOM DIA . PORQUEJÁ SÃO 00:20 . MINHA FILHA DE2 ANOS E MEIO DE POUCO MAIS OU MEN

  10. luis carlos pires

    …CONTINUANDO . MAIS OU MENOS TRES MESES . ESTA TENDO ESSAS CRISES NERVOSAS . AS VESES ATÉ DE MADRUGADA . EU TENHO 5 2 ANOS E SOFRO MUITO QUANDO A VEJO ASSIM , POR FAVOR , ME AJUDEM . SEMPRE RESO PELA MINHA FAMÍLIA , MAS QUANDO ELA ESTÁ COM ESTA CRISE NERVOSA , BIRRA , EU PEGO A BÍBLIA E PEÇO A JESUS QUE TENHA MISERICÓRDIA DA MINHA PEQUENA . E MUITAS VESES ELA NÃO QUER FICAR COM NINGUÉM , SÓ COM A MÃE . MUITAS VESES ME SINTO UM INVÁLIDO , ME AJUDEM POR FAVOR . ABRAÇOS .

    • Thata Tagarela

      Oi Luis Carlos, não entendi. A sua filha tem 2 anos, é isso? Se for procure textos sobre a crise dos dois anos. É uma fase comum, mas vai passar. Procure textos sobre terapia do abraço. Bjs

  11. alessandra sousa dos santos

    Oi meu filho tem um ano e meio e agora chora por tudo, principalmente se é contrariado. Ele quer bater em mim e em quer falar qualquer coisa a ele, joga tudo que tem na mao seja o q for. Nao sei mais como agir.. ja cheguei ate a bater nele mais alem de nao ter funcionado me senti mto errada, por que de certa forma ele ainda nao entende. O fazer nessas horas?

    • Thata Tagarela

      Alessandra, recomendo que você comece a ler textos sobre terrible twos ou crise dos dois anos. Pela idade ele está entrando nessa fase. É bem ruim mas com paciência vai passar. Cada mãe desenvolve um método melhor. Sugiro ler sobre terapia do abraço. Bjs

  12. E quando você não tem certeza de que é birra? Nas primeiras vezes dar o que ela pedia a fazia parar de gritar , hoje não mais! Ela grita e chora, passa mal. Mesmo com receio de virar refem da birra, dou o que ela pede, mas nada ajuda. Para vocês conseguirem visualizar, essa noite foi igual filme de possessão… não havia forma de distração, não podia pegar no colo..nada do que ela gosta a distraia e paracetamol não funcionou. Não sei o que está havendo, só sei que é desesperador.

    • Thata Tagarela

      Viviane, não se deve dar o que a criança pede gritando porque senão você reforça a birra. Você faz com que a criança entenda que pode ganahr tudo no grito. O que eu faço aqui em casa é falar para ele se acalmar e pedir por favor. Se for algo que ele não pode ganhar agora eu falo que depois eu dou. Acabei de falar para ele comer o salmão e depois eu daria o sorvete. Ele tava berrando pedindo sorvete. Quando eu não posso dar é não e pronto, distraio com alguma coisa, tiro do ambiente, mudo de assunto. Tem funcionado sempre. Tem que tentar manter calm nessas horas porque falar gritando também reforça que gritar é legal.

  13. Nossa é muito complicado minha filha vai fazer 5 anos e tem horas que fico sem saber o que fazer.Ela é muito nervosa não tem paciência pra fazer nada,nem quando tá brincando nem quando tá mexendo no tabletes.Quando tenta algo que não dá certo ela começa a chorar e as vezes joga o objeto longe,esses dias precisei tomar o tablete porque el não tava conseguindo mexer no joguinho e aí começou a bater nele então tomei pra não quebrar.Eu também sou muito nervosa pois tenho enxaqueca e acho q ela é assim por culpa minha pois as vezes não consigo me controlar e aí começo a gritar e as vezes acabo dando umas palmadas,mas depois eu choro muito arrependida por não conseguir me controlar.Me sinto muito mal pois sei q ela é assim por causa do meu comportamento.O que faço pra melhorar isso,pra melhorar o meu comportamento.Será que se eu mudar ela vai ficar mais calma,mais tranquila?Ou já era?

  14. Pessoal,boa tarde!

    Minha filha está com 1 aninho e 9 meses,e estamos passando por uma fase muito complicada nos últimos dias. Ela tem tidos comportamentos estranhos,como gritar,chorar(não e um chorinho não….é oooo choro),taca as coisas no chão…isso me incomoda bastante,principalmente os choros desnecessários e gritos. Contudo,perco a paciência e acabo gritando com ela e as vezes até dando uns tapinhas..coisa que não gosto e me sinto mal em fazer.

    O que me aconselham ???

  15. Estou tentando ser compreensiva e manter a calma…mas realmente é muitooo difícil…meu filho vai completar 3 anos no próximo mês, sempre foi muito bonzinho, é o que mais dificulta minhas atitudes…ele é dócil e muito amoroso, mas fazem uns 2 meses começou a ter essas crises…eu respiro fundo, tento de tudo para contornar a situação…não queria perder o controle…ele é a minha vida…mas confesso que estou cansada…me sentindo fracassada…incapaz…nesses momentos sinto muita raiva…vergonha…hoje estou buscando respostas na internet…preciso de ajuda…amo demais meu filho e quero ser uma boa mãe, mas tbm não consigo relevar essas crises…sou professora e afirmo, é mais fácil cuidar da birra de um aluno do que de um filho…dói menos…e, as vezes, surte efeitos mais rápido…snif!

    • Thata Tagarela

      Sirlene, o seu filho está na crise dos threenagers. Dizem que essas crises com 3 anos é bem pior do que as crises dos 2 anos. Aqui em casa tivemos problemas com a crise dos 2 anos, agora com quase 3 anos não está mal. Mas vou ler sobre o assunto e escrever, tem muito material bom nas páginas de mães em inglês. Vou ver o que vale a pena colocar aqui no blog. Um bj, respira fundo e sai de perto quando precisar.

      • Mães,
        Preciso desabafar me ajudem como puderem,meu nome eh Renata, tenho 24 anos e tenho dois filhos, sinto me desesperada ultimamente , o meu filho mais velho de 7 anos me tira muito do sério, é sempre foi assim e isso me tornou uma mãe grosseira com ele , eu n tenho mais paciencia com ele em n da, tudo eh na base do grito e da agressão, n consigo conversar, ele as cara me pede bjo ou abraço e eu n consigo dar; ele eh sim uma criança teimosa e difícil, mas eu percebo q eu eq faço ele piorar a kda dia, pq eu sei q se eu fosse paciente seria diferente, mas eu n consigo, Eu grito pra ele fazer algo e eke n faz, eu peço ela n faz , deu fico logo breve e apelo pra bater, é só invés de melhorar….
        Só piora, n sei pq fazer mais, eu bato grito, depois me arrependo choro me sinto muito mal por n ter conseguido agir de outra maneira, é isso tem me machucado muito, é tenho certeza q nele tbem….😟 me ajudem por favor!

        • Thata Tagarela

          Sara, vocês dois precisam de ajuda com urgência. Procure um psicologo para ajuda-los a se reconectar. Se você não tiver como arcar financeiramente com um psicologo, procure uma faculdade onde há atendimento clínico (eu sei que a estácio tem). Os psicologos em formação fazem atendimento gratuito ou com um custo bem baido e isso pode ajudar muito vocês dois. Procure ajuda mesmo, essa relaçao não tá legal assim. Ainda dá tempo de consertar. Um beijo e mande notícias

  16. Gente desculpem me pelos erros ortográficos ao em cima, meu teclado tem mania de corrigir as mensagens ai seu tudo errado, espero q d consigam entender….
    Bolsas
    Obg

  17. Nivia Almeida

    Tenho 2 filhos, um de três anos e outro de oito meses, ambos meninos. O mais velho de 3 anos passou a mudar de comportamento quando eu estava grávida, principalmente quando estava próximo do irmão nascer, e depois que nasceu piorou um pouco. Já fomos chamados pela psicóloga da escola, conversamos com ela, e achamos que tudo se deve por ciúmes do irmão, tudo o que ele faz é para chamar a atenção. Só que esse mês as coisas pioraram, ele está muito agressivo. A professora pediu pra irmos novamente conversar com a psicóloga, porque ela tem medo que ele machuque algum coleguinha mais gravemente! Pois ele bateu a cabeça do colega na parede e jogou o lanche dele no chão. Gente, marquei outra psicóloga mas não sei mais o que fazer. Não bato nele, coloco de castigo, tiro as coisas que ele gosta, mas parece que não funciona. Domingo ele teve um ataque de fúria do nada, ele estava dormindo, mas acho que a causa pode ter sido sono, só que ele gritava e chorava ao mesmo tempo. Depois que passou fui conversar com ele, me abaixei a altura dele e falei olhando nos olhos dele que ele estava chorando sem motivo, que ele não podia fazer isso. Ele mal olhou nos meu olhos mas pediu desculpa e nos abraçamos. Não deu um minuto e voltou a fazer novamente, o coloquei de castigo e ele ficou chorando e gritando, e dizia mamãe desculpa varias vezes, fui forte e não cedi. Depois quando ele se acalmou voltei ele pediu desculpa, deu mais um abraço e ficou tudo bem. Mas quase todos os dias ele fica assim! Sinto que pode ser ciúmes com o irmão, pois meu filho mais novo ainda mama, e depende muito de mim. Os dois ficam na mesma creche desde os 6 meses. Mas quando pegamos eles, sempre tentamos dar atenção, brincar, jantar juntos, fazer atividade juntos e sempre o levamos pra passear. Tomara que tudo isso seja uma fase, pois muitas vezes fico muito triste e preocupada me perguntando onde estou errando!

  18. Bom a minha filha tem 3 anos e 4 meses, tbm dá um trabalhinho na hora do banho, chora quando a água cai nos olhos, grita(até pq eu grito tbm), mando parar de chorar a toa, e ela faz escândalo. Perco a paciência e acabo batendo(palmadas). E quando chamo a atenção dela por alguma coisa errada que ela faz, ela se emburra, coloca a mão na boca e chora. Já não aguento mais vê-la chorar… Quer atenção toda hora, quando o pai chega e queremos conversar, ela interrompe toda hora, chamo atenção, ela chora ou fica de cara emburrada…
    Só com muita oração! Pq às vezes acho que não sou uma boa mãe…
    Meu nome é Raquel.

  19. Meu filho tem 3 anos e 7 meses e é muito genioso. Se ficar nervoso, quando contrariado, ele grita muitoo e chora sem parar. Passa dias sem dar birra, mas de repente olha ela de volta…:(
    Achei que com 3 anos ia melhorar, mas não…
    Haja paciência, sabedoria e orações a Deus…

    • Thata Tagarela

      Com 3 anos é uma fase beeem pior, Patrícia. Em inglês chamam de threenagers. Em português já vi especialistas chamando de “adolescência do bebê”. Preciso escrever sobre isso porque estou com um menino de 3 anos e 1 mês e não tá nada fácil. Um abraço apertado em vc e força para nós.

  20. Tenho uma filha que vai fazer 5 anos… Ela esta fazendo birras impressionantes… ela grita e nao escuta agente sai chutando as coisas jogando…. parece que nao esta no proprio corpo. A primeira crise foi na escola… e ate entao nao tinhamos vista nunca nada igual… Ate que essa semana ela fez em casa no sabado e hoje terca repetiu na escola e em casa a noite. Meu marido ficou bravio bateu nela.. Depois de chorar ela acalmou… mais tentava a todo custo ganhar algo ou testar os limites… Nos tiramos o tablet e a tv e colocamos para dormir… Nao sei o que fazer ela vai fazer cinco. Ja vimos que quando ela nao.pode fazer algo ou nao quer fazer algo ela tem isso… Ela e uma crianca incrivel… nao sei pq esta com esses ataques… Nao sei mais o que fazer. ME AJUDEM.

  21. Tenho um menino de 3 anos e 10 meses. Essa fase pra mim tem sido bem difícil. Ela é uma crianca boa, nao é agressivo, mas muito agitado e teimoso. Tem tido constante reclamação da tia da escola quanto a dificuldade em obedecer regras e de comportamento. Coloco de castigo, converso, tiro o que gosta, sempre demonstro que estou triste por ele ter feito algo errado, mas está difícil… acredito q seja uma fase e q uma hora vai passar, mas fico muito chateada c os pedidos constantes de colaboracao da escola. Parece q não educo a criança, sabe?!

  22. Tenho um menino de 3 anos. Quando peço alguma coisa a ele ele diz que não quer fazer dai eu ínsito e começa o choro a birra, o chilique, e os pontapés e tapas……. Tento conversar mais ora me afasto e espero ele se acalmar. Meu marido pega o chinelo e ameaça ele ele grita mais forte ainda dai ficam os dois gritando um com o outro, não aguento fica triste !!! Me ajudem …. Esse comportamento é só com os pais e avós. Na escola ele é ótimo !!

  23. Elizabete Mendes

    Bom dia ! Tenho uma filha de 6 Anos e um menino de 1 ano e dois meses .. minha filha é bem calma e mais séria nunca fez birra sempre compreende tudo o q falamos pra ela, mais o menino de uns dias pra cá começou a chorar, gritar, esperniar principalmente qnd ele tenta se comunicar e agente não entendi pelo fato dele ainda não saber falar fora isso é uma criança amável e bem simpática .. Espero ter muita paciência pra essa situação, já converso muito com ele e ele parece q compreende .. vou tentar seguir algumas dicas que li aqui no blog.

  24. Também tenho me sentido desesperada com minha filha de 4 anos. Mesmo na festinha de aniversário, na hora de cantar os parabéns, ela fez pirraça. Sentou no chão atrás da mesa e não queria sair de jeito nenhum. E isso na frente de uns 50 convidados, todos apontando as câmeras pra mim e pra ela na hora de cantar os parabéns. Esse é só um exemplo de birras constantes, diárias, horárias (existe isso?). E eu depois de um tempo acabo perdendo a paciência. Me sinto péssima mas no dia seguinte acontece tudo de novo. Tem sido quase impossível viver assim.

  25. O meu problema com essa fase já é o contrario. Os avós tentam a todo custo interferir qndo estou disciplinando minha unica filha de 2 anos.
    O pai é calmo e carinhoso… Tanto q as vezes preciso implorar que ele seja firme e me ajude a corrigi-la.
    Eu tbm ando desesperada pq por mais q leia livros e assista bons programas sobre isso. Na hora do ataque eu tbm perco o controle.
    Bater e berrar realmente nao adianta.
    Mas o castigo funciona sim. 1 minuto para cada idade da criança.
    Sempre q minha filha passa dos limites eu a ponho de castigo.
    Programas como SuperNany (o americano) e os livros da Tracy Hogg (a encantadora de bebes) tem me ajudado muito nessa fase tao dificil.

Dê a sua opinião: